motocross-4

Carlos Campano segue líder no Brasileiro de Motocross

Mais uma vez a cidade goiana de Morrinhos recebeu uma etapa do Brasileiro de Motocross e, mais uma vez, Carlos Campano conquistou o primeiro lugar na categoria principal, a MX1. O piloto da equipe Yamaha Geração Monster Energy, além de conquistar a terceira vitória consecutiva no certame a bordo de sua YZ450F, se manteve na liderança da categoria. A prova rolou no último domingo. A próxima etapa está prevista para acontecer do dia 29 outubro em Tupaciguara, em Uberlândia (MG).

Acumulando vitórias, Carlos Campano segue líder do Brasileiro de Motocross na categoria MX1

Acumulando vitórias, Carlos Campano segue líder do Brasileiro de Motocross na categoria MX1

Agora, o piloto espanhol tem cinco pontos de vantagem sobre o equatoriano Jetro Salazar, vice-líder na disputa pelo título nacional.  “Estou feliz com minha terceira vitória consecutiva no campeonato. Me senti bem na corrida. A primeira bateria, larguei em segundo, atrás do Jean Ramos, consegui ultrapassar e abrir um pouco de vantagem para controlar a corrida. Na segunda foi mais difícil porque a pista estava perigosa, com o sol baixo, que atrapalhava a visibilidade. Na largada quase caí no meio da reta, saí entre os últimos e tive que fazer uma corrida de recuperação sem arriscar muito. Fiquei em terceiro, mas aumentei um pouco a vantagem no campeonato. Seguimos na liderança. Ponderei os riscos e achei que era ótimo ficar em terceiro, ganhar a etapa e seguir 100% para a próxima”, comentou Campano.

Classificação do Campeonato Brasileiro de Motocross

MX1 
1. Carlos Campano – 162 pontos
2. Jetro Salazar – 157 pontos
3. Dudu Lima – 129 pontos
4. Paulo Alberto – 128 pontos
5. Jean Ramos – 110 pontos

MX2 
1. Gustavo Pessoa – 197 pontos
2. Fabio Santos – 167 pontos
3. Pepê Bueno – 152 pontos
4. João Ribeiro – 137 pontos
5. Caio Lopes – 137 pontos

Off-road Yamaha: título mundial de motocross feminino e TT-R 230 no pódio da Independência

Kiara Fontanesi é o nome da campeã do FIM WMX, o Campeonato Mundial de Motocross feminino, pela quinta vez. A italiana obteve o título neste final de semana, com as péssimas condições de pista na decisão do campeonato. O circuito foi cortado em uma parte para evitar a subida onde boa parte das participantes ficou atolada no sábado, mas o tempo de bateria permaneceu o regulamentar: 20 minutos mais duas voltas. Mesmo sem o pior trecho, mais da metade ficou pelo caminho antes de completar três voltas. Mesmo em meio a esse verdadeiro caos na lama, a piloto da Yamaha escreveu seu nome na história do FIM WMX ao conquistar o pentacampeonato.

A italiana Kiara Fontanesi conquistou o pentacampeonato no Mundial de Motocross Feminino

A italiana Kiara Fontanesi conquistou o pentacampeonato no Mundial de Motocross Feminino

No Brasil, destaque para a pequena e valente Yamaha TT-R 230. Foi com o modelo que o piloto Fábio Coelho Amaral foi o campeão da Categoria Brasil, destinada às motocicletas nacionais, do 35º Enduro da Independência. O piloto rodou mais de 700 quilômetros em quatro dias de prova, largando da Basílica de Aparecida em São Paulo, passando pelas cidades Mineiras de Itajubá, Três Corações, Luminárias e São Tomé das Letras e pela região das trilhas da fé, até chegar à Lavras.

No mercado há 10 anos, Yamaha TT-R 230 provou sua valentia no Enduro da Independência ao vencer na categoria de motos nacionais

No mercado há 10 anos, Yamaha TT-R 230 provou sua valentia no Enduro da Independência ao vencer na categoria de motos nacionais

“Eu sabia que a prova seria muito difícil em função do roteiro escolhido pela organização. São Tomé, Luminárias e Lavras são regiões conhecidas pelo alto nível técnico de suas trilhas e pela quantidade de pedras. No início usei a estratégia de andar mais tranquilo, poupando o equipamento, já que seria uma prova de muito desgaste, tanto físico quanto do equipamento, em que qualquer vacilo poderia colocar tudo a perder”, declarou Fábio Amaral, representando a equipe O2BH Yamaha. O piloto também teceu elogios à robustez da companheira TT-R 230, modelo que completa 10 anos de mercado em 2017. Curiosamente, a primeira moto a vencer o Enduro da Independência foi a Yamaha DT 180, em 1983.

Separador_motos

Fonte: Yamaha Motor do Brasil



Jornalista gaúcho convicto de que um passeio de moto em um dia de sol é a cura para praticamente todos os males da vida. Fã de motoaventurismo, competições de moto, café, praia e de rock n roll.