Como comprar uma usada – parte 3

Como comprar uma usada – parte 3

Como comprar uma usada – parte 3

Em continuidade … mat‚ria sobre a compra de motos usadas, chegou a vez do motor. Esse texto foi produzido em junho de 1994, pelo meu amigo Paulo Bambirra, come‡ando no jornalismo especializado.

Na hora de escolher uma moto usada, a procura pelo bom neg¢cio pode levar a uma excelente compra, encontrando um modelo com um ou dois anos de uso, praticamente zero por at‚ 40% do pre‡o de uma nova. Mas para isso ‚ preciso procurar com crit‚rio e, acima de tudo, avaliar bem se a moto est  realmente nova ou se foi maquiada. Existem alguns sintomas t¡picos de que a moto foi muito usada e que devem ser detectados antes de assinar o cheque. Vazamentos, barulhos, engate de marchas duro, embreagem patinando, fuma‡a do escapamento, entre outros itens, indicam o verdadeiro estado de conserva‡Æo.

Os vazamentos de ¢leo no motor, especialmente entre juntas e cilindros, cabe‡ote, laterais do bloco e c rter, servem para diagnosticar defeitos e se a quilometragem indicada no marcador foi adulterada. No caso dos cabe‡otes de algumas motos, o vazamento de ¢leo em pequenas quantidades ‚ considerado normal, depois de algumas dezenas de milhares de quil“metros rodados (no linguajar dos mecƒnicos, o cabe‡ote est  “suando”). Portanto, se o vendedor insistir em dizer que a moto s¢ tem 5.000 quil“metros rodados, desconfie. Os vazamentos de ¢leo nÆo implicam no fim de um motor, mas denunciam que j  foi muito usado ou que rodou sob altas temperaturas, o que acelera o desgaste.

Outro sintoma de que a moto j  passou dos poucos quil“metros rodados garantidos pelo vendedor ‚ o desgaste do parafuso do bujÆo de ¢leo. Como as trocas de lubrificante sÆo feitas a cada 3 ou 5 mil quil“metros, um parafuso com marcas de que j  foi usado muitas vezes – ou mesmo espanado – demonstra que a moto j  rodou muito.

Para verificar se os ru¡dos internos do motor sÆo normais, deve-se tapar o escapamento com um pano ou estopa, abafando o som da moto. Com isso, fica mais f cil identificar se h , por exemplo, problemas de desgaste no motor ou cƒmbio. Quando a moto est  equipada com escapamentos esportivos, fica mais dif¡cil fazer este tipo de avalia‡Æo.

Depois de fazer o teste de som, passe o dedo pela parte interna da ponteira do escapamento, o que tamb‚m serve para diagnosticar as condi‡äes do motor. Um p¢ seco, pode ser considerado normal. J  o excesso de fuligem seca mostra que o motor est  com excesso de mistura (ar-gasolina) e que necessita de limpeza e regulagem de carbura‡Æo. Mas se a fuligem estiver misturada com ¢leo, o problema ‚ mais grave. Nos motores quatro tempos, significa folga excessiva de an‚is e pistÆo (ou pistäes), grande desgaste do motor, com a necessidade de uma ret¡fica em breve.

A fuma‡a ‚ a forma mais vis¡vel de identificar problemas no motor. No caso dos motores quatro tempos, a fuma‡a sempre indica problemas. Pode ser um probleminha, quando o motor elimina um pouco de fuma‡a logo na primeira vez que funciona, pela manhÆ. Nesse caso pode ser reflexo de guias de v lvulas com folgas, que permitem a entrada de ¢leo para o cilindro durante o tempo que o motor fica desligado. Ou entÆo, a b¢ia do carburador nÆo est  vedando corretamente e permitindo a entrada de gasolina. Normalmente, nos dois casos, a fuma‡a desaparece depois que o motor aquece.

Quando a fuma‡a aparece com o motor quente, principalmente nas desacelera‡äes, ‚ sinal de desgastes mais s‚rios, que vai necessitar um complicado (e caro) conserto. Ao verificar uma moto com motor quatro tempos, pe‡a para acelerar a moto e nÆo se intimide em lev -la at‚ as rota‡äes mais elevadas. As vezes a fuma‡a s¢ aparece em altos regimes de rota‡äes. Fazer isso na frente do dono pode parecer grosseria, mas ‚ para seu pr¢prio bem.

A MOTO EM MOVIMENTO
Ap¢s esses testes, o comprador deve andar com a moto. Fazer v rios engates de marchas serve para checar se alguma delas escapa e tamb‚m se a embreagem est  boa. Quando a moto se arrasta, demora para ganhar velocidade, mas o motor sobe de rota‡Æo, sobretudo nas arrancadas bruscas, ‚ sinal de que a embreagem est  “patinando”. Isso representa discos de embreagem gastos, que necessitam troca. Pode-se verificar a regulagem do cabo de embreagem para ver se est  no limite m ximo de ajuste, o que tamb‚m indica discos de embreagem no fim da durabilidade

Durante o passeio-teste, deve-se ainda observar as condi‡äes de carbura‡Æo e das v lvulas. Motores que apresentam falhas em determinadas rota‡äes, batidas de pino (pr‚-igni‡Æo) e ru¡dos excessivos de v lvulas geralmente estÆo bastante gastos. Aproveitando o motor quente, inspecione as mangueiras e juntas do radiador, no caso de motocicleta com arrefecimento l¡quido. Os vazamentos podem ser descobertos, sem muito esfor‡o, por manchas e ferrugem junto …s mangueiras de conexÆo. Ainda nas motos com radiador, deve-se examinar a colora‡Æo do ¢leo do c rter, com o motor desligado. Um aspecto leitoso, esbranqui‡ado, indica vazamento de l¡quido refrigerante para dentro do motor, o que ‚ um problema grave.

Os motores dois tempos tˆm caracter¡sticas e ru¡dos diferentes dos quatro tempos. Motos sem refrigera‡Æo l¡quida, quando em marcha lenta e no ponto morto de cƒmbio, tˆm um ru¡do (normal) que desaparece toda vez que a embreagem ‚ acionada. Se o som nÆo se modificar com o acionamento da embreagem, certamente h  maiores desgastes no sistema. Entretanto, o ru¡do interno de um dois tempos ‚ sempre maior que o de um quatro tempos e aumenta no decorrer do uso. Portanto, quanto maior a quilometragem de uma moto dois tempos, maior o barulho do motor.

Com o motor ligado, pode-se observar a regulagem da bomba de ¢leo dois tempos, atrav‚s da emissÆo de fuma‡a no escapamento. Esta ‚ a £nica forma de se fazer o teste sem abrir o compartimento da bomba de ¢leo. O excesso de fuma‡a indica que a bomba est  desregulada e que o motor est  se carbonizando rapidamente. No m¡nimo, ser  necess rio fazer uma limpeza do motor, al‚m de regular a bomba. Por‚m se nÆo aparecer nenhuma fuma‡a do escapamento, quando o motor estiver frio, h  deficiˆncia de lubrifica‡Æo do motor. Para fazer o teste, basta repetir o procedimento de tapar, a ponteira do escapamento com um pano.  importante lembrar que o motor dois tempos queima ¢leo normalmente durante a combustÆo. O que nÆo pode existir ‚ excesso de ¢leo a ponto de escorrer pela ponteira. Se aparecer pingos de ¢leo pelo escapamento a bomba est  bem desregulada!

Nas motos com v lvulas YPVS (Yamaha DT 200 e RD 350), a carboniza‡Æo do motor ‚ detectada pelo ru¡do do servo motor, quando ‚ acionada a chave da igni‡Æo. O barulho deve ser linear, sem interrup‡äes. Se for caracter¡stico de um motor el‚trico sobrecarregado, quer dizer que a carboniza‡Æo j  passou do normal. Em caso de batida de pino (pr‚-igni‡Æo) nos motores dois tempos, a carboniza‡Æo j  pode ter atingido n¡veis cr¡ticos, chegando a incandescer o cilindro. Por outro lado, pode ser apenas por desregulagem da carbura‡Æo ou pelo uso de gasolina ou ¢leo de baixa qualidade.