Foto: Pop: para trabalho

Comparativo das pequenas – parte 2

Foto: Pop: para trabalho

Foto: Pop: para trabalho

A Honda tem suspensäes diferentes em todos os sentidos. Na frente a bengala telesc¢pica (curso de 100 mm), a exemplo das cubs, vai da mesa inferior ao eixo da roda dianteira, enquanto na Hunter as bengalas seguem at‚ a mesa superior como nas motos convencionais e tˆm curso de 105 mm. Na traseira ambas usam amortecedores bichoque, mas na Sundowm existe a chance de 5 regulagens, enquanto a Pop ‚ simples, sem regulagem. Para mostrar que a Honda realmente pensou em trabalho pesado, o curso ‚ de 83 mm enquanto a Hunter tem 65 mm. Ao contr rio do que comenta pelas ruas, o quadro da Pop NÇO  IGUAL DA BIZ!  totalmente novo, de fabrica‡Æo simples, tÆo simples que o guidÆo lembra o de uma bicicleta e as pedaleiras de garupa sÆo fixadas no quadro el stico.

Os pneus sÆo Pirelli Mandrake nas duas, mas a Pop usa roda traseira de 14 polegadas e 17″ na dianteira, enquanto a Hunter usa 17 polegadas nas duas rodas. Quem estranhou a roda de 14 polegadas na Pop, mesmo sem compartimento sob o banco, o motivo tem a ver com o maior curso da suspensÆo que permite trabalhar livremente, al‚m de evitar o ac£mulo de lama.

Nas curvas a Hunter tem uma rea‡Æo t¡pica de motos com quadro em T, provocando a sensa‡Æo de a traseira estar sempre atrasada em rela‡Æo … frente. Quem teve motos pequenas nos anos 70 nÆo ir  estranhar. A suspensÆo traseira estava regulada em uma posi‡Æo intermedi ria e ainda podia optar por uma posi‡Æo mais esportiva, o que ajuda a reduzir esse efeito. J  a Pop tem praticamente a mesma rea‡Æo de uma Biz 100 (que por sua vez ‚ igual … Biz 125): pode-se inclinar que o conjunto se mant‚m est vel sem sustos. Nas duas foi poss¡vel inclinar at‚ as pedaleiras tocarem no asfalto.

Foto: Hunter: para lazer

Foto: Hunter: para lazer

Com sistema de freios semelhantes, a tambor nas duas rodas, a Pop impressiona pela frenagem absolutamente segura e firme. O freio dianteiro apenas parece o da Biz 100, porque o diƒmetro ‚ diferente e o ƒngulo de ataque das sapatas mudou para dar mais atrito. A mordida ‚ impressionante mesmo. Por outro lado, a Hunter ‚ um caso curioso, porque o acionamento ‚ bem borrachudo, mas ela freia bem. Por‚m ‚ preciso rever detalhes de acabamento porque a folga na guia do tambor dianteiro estava exageradamente grande!

As duas pequenas atendem … proposta de mercado principalmente aos novos motociclistas. Os R$ 1.000 a mais no pre‡o da Pop pode ser justificado pelo peso se uma marca e na rede de assistˆncia t‚cnica com 600 concession rios. Para concorrer com a Honda neste quesito, a Sundown credenciou mais de 300 oficinas em todo Brasil para atender seus clientes e havia feito uma campanha de garantia de 2 anos para as motos compradas em dezembro de 2006. Pela simplicidade observada na Pop, a ponto de nem sequer contar com cavalete central, esse valor 34% maior que o da Hunter parece exagerado. Esses R$ 1.000 de diferen‡a pode at‚ se usado para equipar ou personalizar a Hunter 90!

Um item que efetivamente pesa a favor da Pop ‚ o conforto, tanto pela suspensÆo traseira quanto pelo banco que ocupa quase a metade superior da moto! O estilo pode ser at‚ mais moderno, com a lanterna traseira integrada aos piscas, herdada da Biz 100, mas a semelhan‡a com um ciclomotor pode gerar duas rea‡äes: agradar …queles que de certa forma tˆm medo de moto, ou desagradar …queles que imediatamente lembram da saudosa Moblylette. No entanto, alguma coisa na Pop est  errada: ou o pre‡o ‚ muito alto ou a moto ‚ muito simples. O painel ‚ um dos mais feios j  visto em uma moto pelo Brasil.

Para o mercado o mais importante ‚ ver que Honda e Sundown decidiram investir na base do motociclismo. Assim como os veteranos que come‡aram suas hist¢rias motorizadas em cima de simples cinquentinhas, agora ‚ a vez dessas duas formarem novos motociclistas. J  conversei com v rios adolescentes que adoraram a Pop, seria a hora de a Honda investir pesado para aprovarem a lei de habilita‡Æo de motonetas para maiores de 16 anos?