Foto: BMW R 1200 GS

Comparativo relâmpago (parte II): as big trails

Foto: BMW R 1200 GS

Foto: BMW R 1200 GS

Para dar continuidade aos testes comparativos relƒmpagos, agora ‚ a vez das big trail BMW R 1200GS e a KTM 990 Adventure. Para mim ‚ o teste que proporcionou mais expectativas porque eu mesmo estava curioso em rela‡Æo a essas duas motos. Como j  foi explicado no comparativo-relƒmpago anterior, nÆo foi poss¡vel rodar na estrada, no entanto, logo ap¢s o teste da Moto do Ano da revista DUAS RODAS, eu tive a chance de rodar 1.000 km com a KTM 990 cedida pelo pr¢prio importador, por isso consegui alguns dados extras. J  a BMW ‚ uma velha conhecida que me permite rechear com mais dados. Vamos l .

Para mim foi a categoria mais equilibrada e dif¡cil. Al‚m de muito especial, pois trata-se de duas motos que estÆo na minha lista de “objetos do desejo”: a BMW R 1200 GS e a KTM LC 990 Adventure. Depois de rodar com as duas no asfalto e na terra minhas d£vidas s¢ aumentaram! SÆo duas motos que eu classificaria como “feitas para dar a volta ao mundo”. A principal diferen‡a entre elas ‚ a voca‡Æo mais fora-de-estrada da KTM contra a destina‡Æo mais “on” da BMW.

A cada nova gera‡Æo a BMW GS 1200 se torna uma moto mais pr¢xima de uma touring do que propriamente de uso misto. Tanto que a empresa alemÆ criou a versÆo “Adventure” para quem quer se aventurar no fora-de-estrada. Essa moto se caracteriza pelo conhecido e resistente motor de dois cilindros opostos (boxer), que desenvolve 101 cv a 7.000 rpm de funcionamento silencioso e um imenso torque em baixa rota‡Æo: 11,7 kgf.m a 5.500 rpm. Por ter grandes dimensäes, ela conta com banco de altura regul vel para atender v rias medidas de pilotos. Tamb‚m tem itens de conforto como as manoplas aquecidas muito £teis para quem realmente pensa em dar a volta ao mundo. Al‚m do tradicional freio com ABS e as suspensäes telelever na dianteira e paralever na traseira.

Foto: KTM 990 Adventure

Foto: KTM 990 Adventure

O que mais limita o desempenho da GS 1200 na terra sÆo os pneus de desenho mais esportivo. J  o dado surpreendente ‚ a estabilidade nas curvas em asfalto, quando pode-se inclinar at‚ quase raspar os cilindros no chÆo! NÆo destrua uma BMW GS 1200 porque o pre‡o de tabela ‚ de R$ 71.400.

Depois de receber inje‡Æo eletr“nica e freios ABS a KTM 990 Adventure ficou ainda mais pr¢xima da concorrente alemÆ. A KTM nÆo divulga a potˆncia do seu motor de dois cilindros em V a 75§, mas pode-se imaginar f cil algo acima de 100 cavalos. Apesar de ter um visual e caracter¡sticas mais fora-de-estrada, a KTM revelou uma incr¡vel estabilidade no asfalto. Mais do que isso, pode-se rodar a 200 km/h no asfalto sem a dianteira chacoalhar como acontece com algumas big trails. O motor tem uma pegada mais esportiva do que a BMW e se a id‚ia ‚ ter apenas uma moto para viajar, rodar na cidade e ainda enfrentar um rali sem compromisso a KTM 990 ‚ uma op‡Æo mais vers til. Sem falar no estilo mais moderno que desperta aten‡Æo por onde passa. O menor peso pode ser decisivo: 199 kg contra 225 da BMW, mas na KTM o banco ‚ fixo e a altura dele pro solo ‚ de 860 mm, enquanto na BMW – na op‡Æo mais baixa – ‚ de 840 mm. O pre‡o da austr¡aca KTM tamb‚m ‚ mais baixo: R$ 60.750.

Na companhia de um grupo de amigos anenc‚falos decidi fazer uma brincadeira estilo “Iron Butt”, ou bunda de ferro, aquele grupo de motociclistas que afora rodar mais de 1.000 km num dia. Peguei uma KTM 990 Adventure emprestada e fizemos o roteiro, medindo o consumo. S¢ que dado o ritmo fren‚tico as m‚dias foram rid¡culas, entre 10 e 14 km/litro. Analisando testes feitos por jornalistas italianos, cheguei at‚ a dados como 18,5 km/litro. Na BMW as m‚dias nÆo sÆo muito diferentes, porque no fundo o item mais determinante no consumo ‚ o c‚rebro do piloto, nÆo a moto em si. J  consegui varia‡äes absurdas em uma mesma moto apenas mudando a forma de pilotar. No geral a KTM ‚ um pouquinho mais econ“mica em fun‡Æo do menor peso e menor  rea frontal.

Outra diferen‡a importante nas duas ‚ o sistema de transmissÆo. A BMW tem o cl ssico sistema de cardÆ com lubrifica‡Æo eterna, que elimina toda e qualquer enche‡Æo de saco decorrente de manuten‡Æo do sistema. Na KTM a corrente d  um tom mais esportivo, mas tem todos os inconvenientes de um sistema mais “sujo” e barulhento. Rodando com as duas na terra a BMW apresenta-se menos mane vel, por outro lado o motor boxer garante um centro de gravidade mais baixo. Ambas passam de 200 km/h no veloc¡metro, mas a KTM, como toda big-trail com roda dianteira de 21 polegadas, come‡a a “passarinhar” a frente quando se aproxima dos 200 km/h. Nada que assuste um motociclista experiente, mas ‚ sempre uma sensa‡Æo preocupante. A BMW se mant‚m firme como uma rocha, gra‡as … roda dianteira de 19 polegadas.

Resumindo eu concluiria o seguinte: a BMW R 1200GS ‚ uma moto mais touring, com possibilidade de incursäes no fora-de-estrada leve, sem lama. Gasta mais gasolina, por‚m tem a vantagem da elimina‡Æo de manter um sistema de transmissÆo. A KTM 990 Adventure ‚ uma moto muito mais vers til, mais leve, permite fora-de-estrada s‚rio, com lama, pedras etc, ‚ mais econ“mica, tem esp¡rito mais esportivo, com a possibilidade de ser a £nica moto na garagem, pois se desenvolve bem tamb‚m no trƒnsito urbano.

No que diz respeito a garupa, basta olhar para essas motos pra saber que ambas sÆo verdadeiras poltronas sobre rodas. A BMW como j  ‚ tradi‡Æo tem possibilidade de instalar at‚ trˆs malas. J  a KTM tem restri‡Æo quanto … carga no bagageiro porque cria instabilidade na parte dianteira. A f brica nÆo aconselha a ultrapassar os 160 km/h quando equipada com bauleto no bagageiro. Ali s, essa recomenda‡Æo deveria ser estendida a muitas outras motos!

Quanto mais rodo com essas duas motos mais fico em d£vida. Pela minha atividade de escalador que exige enfrentar estradas muito ruins, quase p‚ssimas, me sentiria mais … vontade com uma KTM!

Dados e ficha t‚cnicas podem ser obtidos nos respectivos sites das empresas, publicados em nossa se‡Æo de links.