Foto: K 1200 R, CB 1300 e MT-01

Comparativos Moto do Ano/DUAS RODAS

Foto: K 1200 R, CB 1300 e MT-01

Foto: K 1200 R, CB 1300 e MT-01

Durante a realiza‡Æo do teste para eleger a Moto do Ano promovido pela revista DUAS RODAS, tive a chance de pilotar 24 motos de 9 marcas diferentes. NÆo posso descrever como um teste, mas tamb‚m nÆo foi uma “voltinha”, porque extra¡mos muita informa‡Æo de cada moto. NÆo foi poss¡vel avaliar dados como consumo, velocidade m xima ou acelera‡Æo, apenas as impressäes ao pilotar.

A ocasiÆo era mais do que adequada para um super teste comparativo, afinal as motos – as que efetivamente sÆo vendidas no Brasil – estavam na mesma pista, no mesmo dia em total igualdade de condi‡äes. E ainda com a possibilidade de trocar opiniäes com outros especialistas!

Algumas categorias foram muito equilibradas, como a Big Trail, na qual disputavam a KTM 990 Adventure e a BMW GS 1200, duas ferrenhas concorrentes em todos os mercados em que sÆo vendidas. Outras categorias apresentaram concorrentes muito diferentes como na custom, na qual a Miza 150 ficou ao lado da Suzuki Boulevard 1500 e a Honda VTX 1800.

 bom lembrar que as motos concorrentes foram inicialmente selecionadas pelo p£blico leitor e depois s¢ as finalistas seguiram para o teste. Tamb‚m deve-se ressaltar que s¢ entraram no concurso as motos lan‡adas entre novembro de 2006 e setembro de 2007. Acompanhe a primeira categoria. IMPORTANTE: essa avalia‡Æo foi realizada ANTES do resultado ser divulgado, portanto o que vocˆ vai ler aqui nÆo reflete necessariamente a opiniÆo do j£ri, mas exclusivamente a MINHA opiniÆo.

Foto: Doc Tite e as motos dol teste

Foto: Doc Tite e as motos dol teste

Roadster
Estr‚ia da categoria no Moto do Ano, essa foi representada por trˆs motos chamadas de musculosas: a Yamaha MT-01, a Honda CB 1300Four e a BMW K 1200 R. Um p reo duro, porque a categoria se caracteriza por modelos “pelados” muito potentes, diferentes entre si e extremamente divertidos de pilotar. Foi uma escolha dif¡cil mesmo.

A mais diferente de todas ‚ a Yamaha MT-01 que nasceu como moto-conceito no final dos anos 90, com estilo absolutamente in‚dito. Pra come‡ar o motor de dois cilindros em V tem distribui‡Æo (comando) no bloco e acionamento por tucho hidr ulico. O torque ‚ uma insanidade de 15,3 kg que atinge o m ximo em apenas 3.750 rpm e potˆncia de 90 cv a 4.750 rpm, o que demora um pouco pra acostumar a acelerar sem cortar a rota‡Æo, principalmente depois de descer das motos de quatro cilindros em linha.

A maior surpresa da MT-01 ‚ a facilidade, aliada … maneabilidade. Isso mesmo, apesar da aparˆncia grandalhona, a MT ‚ bem f cil e muito divertida de pilotar. Depois de me acostumar com o freio traseiro e com o freio motor muito sens¡vel passei a brincar de derrapagens controladas como se estivesse com uma motard pequena. S¢ nÆo aconselharia levar garupa porque o banco ‚ pequeno e curto demais, as pedaleiras sÆo muito altas, al‚m daqueles grandes escapamentos muito perto do traseiro do passageiro.

NÆo ‚ exatamente uma moto veloz, mas feita para passear – ou melhor, desfilar – calmamente. E o motor pr¢ximo demais do corpo tamb‚m transfere muito calor ao piloto.  efetivamente uma moto feita para quem curte um visual exclusivo. Para ter direito a essa exclusividade o pre‡o ‚ R$ 62.330*.

O motor quatro cilindros em linha da Honda CB 1300 Super Four tem funcionamento muito “liso”, com vibra‡Æo acentuada s¢ em alta rota‡Æo. A potˆncia ‚ de 115 cv a 7.500 rpm e torque de 11,9 kgf.m a 6.000 rpm. NÆo ‚ um motor explosivo, mas muito gostoso e fluido. O chassi tubular garante boa estabilidade e a suspensÆo traseira por duplo amortecedor tem comportamento muito bom para passeio e viagens, mas em pilotagem esportiva pode-se sentir uma leve tor‡Æo quando no limite. Oferece um bom n¡vel de conforto para piloto e garupa porque permite v rias regulagens na suspensÆo at‚ encontrar a combina‡Æo ideal.  a s¡ntese de uma moto com estilo anos 70, mas tecnologia atual como inje‡Æo eletr“nica. Essa Super Four ‚ a mais barata das trˆs, cotada a R$ 46.000.

Em termos de tecnologia a terceira concorrente ‚ at‚ um exagero. A BMW K 1200 R com o motor de quatro cilindros em linha de 165 CV a 10.250 rpm e torque de 12,8 Kgf.m a 8.250 rpm ‚ a que mais chega perto de uma esportiva. Al‚m da inje‡Æo eletr“nica tem sistema de freio ABS, associado a flex¡veis com malha de a‡o (tipo aeroquip) que resultam em frenagens absurdas.  preciso tempo para se acostumar com o freio porque a alavanca ‚ levemente “borrachuda”, mas a frenagem ‚ totalmente eficiente. Al‚m disso, a suspensÆo dianteira batizada de Telelever funciona como anti-mergulho. Na traseira a suspensÆo ‚ monoamortecida e o cardÆ funciona como balan‡a.

Fiquei surpreso com a capacidade de inclina‡Æo nas curvas. Ela deita com muita facilidade, apesar dos 211 kg e esse ‚ apenas um dos pontos altos dessa moto. Outro ponto alto ‚ o pre‡o, l  nas alturas! Para ter essa BMW em casa ‚ preciso desembolsar R$ 76.650.

Na pr¢xima semana ser  a vez da categoria Sport Touring, com a BMW F 800 S. Yamaha FZ 6S Fazer e Suzuki Bandit 1200S.