Comumente encontramos em motocicletas de origem chinesa um, até então,

Comumente encontramos em motocicletas de origem chinesa um, até então,

desconhecido sistema de freio anti-bloqueio mecânico, que tem por objetivo evitar acidentes causado pelo travamento total da roda. O sistema anti-bloqueio pode utilizar algum mecanismo tais como eletrônica embarcada ou ser simplesmente mecânico. É sobre este último mecanismo (mecânico) que explicarei neste artigo.

O sistema anti-bloqueio impede o travamento da roda no instante em que realizamos uma frenagem brusca. Ao contrário do consagrado sistema ABS (anti-blocked system) que se utiliza de uma complicada eletrônica para funcionar, o sistema anti-bloqueio mecânico funciona de maneira simples, eficiente e barato em sua construção.

Antes de compreendermos este sistema, devemos conhecê-los.

Na figura postada, o “globo” prateado contem o conjunto do sistema anti-bloqueio mecânico. Este “globo” é rosqueado numa câmara de metal que por sua vez contem um êmbolo em seu interior.

Construído por poucas porém, pequeninas peças, tais como tampa de segurança; tampa do êmbolo, mola; êmbolo com seus retentores e câmara para alívio de pressão, este conjunto trabalha de maneira simples e eficiente.

Fica mais fácil de compreender o seu funcionamento se imaginarmos uma seringa cheia de água. No geral, para fazermos a água expelir da seringa devemos aplicar uma determinada força no embolo. Imagine agora uma mola que atue de tal maneira que resista a força aplicada, para bom resultado, devemos aplicar um pouco mais de força para expelir a água. Considero este raciocínio muito útil para compreendermos o sistema anti-travamento mecânico. Enquanto não há força suficiente para mover o embolo do sistema anti-travamento, este fica inativo e, somente o restante e conhecido sistema de frenagem é utilizado, trata-se do caso de uma frenagem comum na qual a motocicleta pára tranqüilamente. Em caso de um bruto acionamento ao manete do freio (situações de emergência na qual necessitamos de um curto espaço de frenagem) a força aplicada poderá ser transmitida na íntegra ao restante do sistema de freio porém, com a inclusão do sistema anti-travamento, parte desta força será utilizada para empurrar o embolo evitando assim que se aplique toda e desnecessária força ao sistema de frenagem o que pode causar um acidente por travamento da roda.

Na prática, haverá sensíveis diferenças na utilização do sistema anti-bloqueio quando comparado com o sistema convencional. A adaptação do condutor com cada tipo de sistema é o que estabelecerá o melhor resultado de frenagem e portanto, o sucesso alcançado pela tecnologia inserida à uma motocicleta depende da aceitação do consumidor.