Congresso Perspectivas: Fabricantes e Abraciclo projetam crescimento para 2010

Painel sobre motocicletas discute mercado duas rodas, motocicletas bicombustíveis e aponta otimismo do setor para o ano que vem

A Abraciclo (Associação dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Bicicletas Motonetas e Similares), através de seu diretor executivo, Moacyr Alberto Paes, participou do painel sobre motocicletas do Congresso Perspectivas 2010 Autodata, realizado nos dias 13 e 14 de outubro do Sheraton WTC, em São Paulo. No evento, que reúne os principais líderes de montadoras, sistemistas e entidades do setor automotivo e motociclístico, foram discutidas as principais tendências e perspectivas para os mercados interno e externo do segmento.

Participaram do painel sobre o setor duas rodas o diretor executivo da Abraciclo, o diretor comercial da Moto Honda, Roberto Akyama, o presidente da Dafra, Creso Franco, e o diretor da Yamaha, Mario Martins Rocha.

-Nós da Abraciclo sempre apoiamos e incentivamos iniciativas como essa, que incitam a troca de informações e visões, fortalecendo o setor-, afirma Moacyr.

Projeções – Segundo os participantes do painel, as fabricantes de motocicletas devem apresentar, no ano que vem, um crescimento de 10 a 25% em vendas para o mercado interno, com os números oscilando conforme a marca fabricante.

-De uma forma geral, o setor duas rodas deve ter em 2010 um aumento de 16% com relação a 2009, alcançando números semelhantes ao do ano passado. Estimamos a comercialização de 1.940.000 motocicletas-, afirma Paes.

Já os investimentos no setor que, cresciam ano a ano, devem ter uma queda.

-Foram investidos U$3,5 bilhões no primeiro semestre de 2009, quantia semelhante a totalidade do ano de 2008-, conta Moacyr.

A hora dos bicombustíveis
Os presentes no painel falaram sobre a tendência de ampliação do mercado flex para as motocicletas. Segundo o representante da Honda, única empresa a produzir motocicletas bicombustíveis no mundo, o modelo já representa 8% das vendas da fabricante.

Yamaha e Dafra, representadas pelos seus diretores, afirmaram estar com estudos de produtos bicombustíveis, para lançamento futuro.

-As vendas de automóveis flex já representam quase a totalidade das comercializações em autos. As motocicletas devem seguir essa tendência-, conclui Moacyr.