s_do_senna

Conheça o ambiente da pista

Enviado por Motonline, qui, 15/07/2010 – 18:23

Acelerar uma moto acima dos limites permitidos em ambientes urbanos ou estradas é uma atitude extremamente perigosa. Diversos imprevistos – um carro mudar de faixa, uma pessoa ou um cachorro atravessar a pista – podem ocasionar uma queda ou acidente. Nesses ambientes uma simples queda pode se transformar em um grave acidente, se o condutor da moto for atropelado por outro veículo após a queda. Além disso, essa atitude coloca a vida de outras pessoas em risco, caso sejam envolvidas em um acidente.

A área de escape na curva é fundamental (foto: divulgação)

A área de escape na curva é fundamental (foto: divulgação)

As pistas de competição oferecem condições apropriadas para se acelerar uma motocicleta. Elas foram feitas para isso e minimizam os riscos para os pilotos, deixando do lado de fora os imprevistos. Acelerar uma motocicleta no local adequado deixa de ser irresponsabilidade e passa a ser um esporte. Radical, mas um esporte. Contudo, aos que apreciam a motovelocidade, a compensação vem na forma de sensações prazerosas e altas doses de adrenalina.

A segunda perna do "S" do Senna em Interlagos não possui área de escape

A segunda perna do "S" do Senna em Interlagos não possui área de escape

Na motovelocidade os riscos são permanentes e as quedas fazem parte do esporte. Como é “direito” do piloto errar, a grande maioria das pistas possui áreas de escape em vários pontos do circuito, principalmente nas curvas. Ao cair, o piloto desliza pela pista e pela área de escape, desacelerando lentamente até parar. Geralmente sai ileso da queda.

Outra função da área de escape é oferecer ao piloto uma alternativa para que ele possa “passar reto” em uma curva, caso ele entre rápido demais ou perca o controle. Portanto, a área de escape é um dos aspectos mais importantes do esporte e deve ser dada atenção especial para este ponto ao se avaliar uma pista. Os acidentes mais graves ocorrem quando o piloto, após cair, se choca contra um obstáculo como uma barreira de pneus ou um muro. Nesses casos, a desaceleração brusca e o impacto podem ocasionar graves danos ao piloto.

Um ponto que deve ser destacado da prática da motovelocidade são as regras para diminuir a possibilidade de ocorrer um acidente entre os pilotos. Todas as escolas de pilotagem enfatizam a importância destas regras, da obediência absoluta à sinalização com bandeiras, aos avisos com placas e aos sinais padronizados que os próprios pilotos devem usar.

A rugosidade do asfalto gera maior aderência dos pneus (foto: Alex Barros Riding School)

A rugosidade do asfalto gera maior aderência dos pneus (foto: Alex Barros Riding School)

Ranhuras no asfalto facilitam o escoamento da água (foto: Alex Barros Riding School)

Ranhuras no asfalto facilitam o escoamento da água (foto: Alex Barros Riding School)

Na pista, o piloto adquire a confiança para procurar limites. Os seus e os da motocicleta. O traçado da pista aos poucos se torna conhecido. O asfalto utilizado nas pistas gera melhor aderência dos pneus. Isso permite acelerações e frenagens mais fortes, maior inclinação nas curvas e como conseqüência, seu contorno mais rápido e com maior controle da motocicleta.

Outro aspecto fundamental é a estrutura médica. Como o esporte envolve riscos é importante a presença de médicos no local para pronto atendimento e boa capacidade de deslocamento rápido a hospitais próximos. Esse tipo de serviço deve ser avaliado junto à empresa que disponibiliza o acesso a pista.

Existem diversas pistas de competição pelo Brasil que podem ser usadas. Tenha o cuidado de escolher uma pista adequada ao motociclismo, sem as barreiras de pneus, muros ou guard-rails próximos da pista. As formas mais comuns de acessá-las são cursos de pilotagem, track days e provas de motovelocidade. Os cursos de pilotagem ensinam as técnicas básicas e avançadas para se pilotar uma motocicleta com controle e segurança, extraindo o máximo do equipamento. Incluem teoria e prática na pista.

Já os track days permitem o acesso à pista por um determinado tempo para que cada piloto possa praticar o esporte de forma segura. Dependendo da empresa organizadora, o grau de supervisão durante o uso da pista é maior ou menor.  Este envolvimento também pode variar de acordo com o nível dos participantes.

Por último, as provas de motovelocidade, que podem ser amadoras ou profissionais, também oferecem a possibilidade de acessar as pistas aos amantes do esporte. Para a série NA PISTA usaremos o autódromo de Interlagos em São Paulo, que será acessado através dos cursos da Alex Barros Riding School.

Se você gosta de acelerar uma motocicleta e sentir as sensações únicas proporcionadas pela motovelocidade, procure uma pista de competição. Você irá perceber todos os aspectos comentados neste capítulo da série e, após pilotar em um local como este, provavelmente se sentirá desencorajado a fazer loucuras nas ruas e estradas.

Veja no vídeo como é uma volta em Interlagos. A moto é uma BMW S1000RR e o piloto é Alexandre Barros durante um dia de curso.

No próximo capítulo falaremos dos equipamentos necessários para a pilotagem de motocicletas em pistas de competição.

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, além da área de comentários abaixo, criamos um tópico no fórum para os motonliners que preferem este formato. Clique aqui para acessar o tópico.

Veja também os outros capítulos:

Capítulo 1 – Lugar de acelerar é NA PISTA

Capítulo 3 – Motocicleta e equipamentos: faça a escolha certa

Capítulo 4 – Primeiro contato com a pista

Capítulo 5 – A evolução ocorre com o treino

Capítulo 6 – Preparação da Ninja 250R para a pista

Capítulo 7 – Copa Ninja