Foto: As curvas ficam mais f ceis

Contra-esterço

Foto: As curvas ficam mais f ceis

Foto: As curvas ficam mais f ceis

Entenda como funciona essa eficiente forma de pilotagem que requer apenas um pouco de treino. Durante as aulas do curso de pilotagem SpeedMaster de pilotagem esportiva, eu gostava de pegar todos de surpresa com uma pergunta, como aquelas pegadinhas de vestibular: Qual a forma mais r pida de desviar de um obst culo? Seguem-se v rias respostas, das mais originais, e a surpresa geral vem na hora de revelar a resposta certa: basta virar o guidÆo para o lado contr rio de onde se quer ir.

Fundiu a cuca? Quem j  passou pelos bancos de escola deve lembrar daquela lei b sica da F¡sica (Lei de Newton) que diz: “a cada a‡Æo corresponde uma rea‡Æo igual intensidade no sentido contr rio”. No momento em que uma moto entra em movimento, v rias leis da F¡sica sÆo aplicadas. Para come‡ar, o que era peso vira massa e um mundo de vari veis dinƒmicas vÆo atuar sobre o simples ato de passear de moto.

Um dos exerc¡cios do curso foi candidamente apelidado de “Atropelando a Velhinha”. Colocamos um cone de borracha e o aluno precisa desviar da forma mais r pida e eficiente. Primeiro cada um faz o exerc¡cio utilizando suas pr¢prias t‚cnicas de pilotagem. Depois vem a orienta‡Æo que normalmente d  um n¢ na cabe‡a dos alunos.

Para desviar para a esquerda, deve-se pressionar o guidÆo com a mÆo esquerda, empurrando-o para o lado direito. Ap¢s uma sucessÆo de ooohhhhhs e aaaahhhhhhs, fica claro que ningu‚m ali acreditou numa s¢ palavra; entÆo partimos para a aula pr tica. Eu mesmo, ou o instrutor Minhoca faz¡amos o exerc¡cio diante de v rios pares de olhos. Com apenas a mÆo esquerda no guidÆo, n¢s rodamos at‚ quase bater no cone e fazemos a manobra, conhecida tecnicamente como contra-ester‡o, desviando a moto para o lado esquerdo.

Ap¢s constatarem que realmente funciona, chega a vez de os pr¢prios alunos repetirem a manobra. No come‡o alguns ainda nÆo acreditam, mas ap¢s algumas repeti‡äes todos concordam que o desvio da trajet¢ria ‚ muito mais r pido. Isto ocorre porque ao provocar uma a‡Æo (virar o guidÆo para o lado direito), as for‡as que atuam na roda dianteira provocam uma rea‡Æo contr ria, que ‚ voltar para o lado esquerdo. Quer uma prova?

Pegue uma bicicleta – se nÆo quiser arriscar sua moto – e quando estiver em uma boa velocidade, empurre (veja bem, ‚ para empurrar, nÆo ‚ para inclinar) o guidÆo para a direita e perceba que a bicicleta vai desviar imediatamente para a esquerda. Com a moto, tente mentalizar um obst culo imagin rio e fa‡a a experiˆncia de empurrar o guidÆo para qualquer lado. A rea‡Æo ser  o desvio para o lado contr rio.

Vaca louca
A t‚cnica do contra-ester‡o ‚ muito utilizada nas pistas, principalmente nas curvas de baixa velocidade, onde o piloto precisa contornar a curva sem deixar cair muito o giro do motor. Nas ruas e estradas, para desviar, a t‚cnica do contra-ester‡o produz uma rea‡Æo r pida, eficiente e segura, e depois de alguns treinos pode-se fazer isso naturalmente, como trocar de marcha.

As outras aplica‡äes do contra-ester‡o sÆo: ultrapassar de forma mais r pida e segura; corrigir o inserimento em curva; desviar de objetos em plena curva; corrigir a trajet¢ria na curva; mudar a trajet¢ria em reta sem deslocar o corpo; retornar a moto para a posi‡Æo menos inclinada ap¢s a curva o mais r pido poss¡vel e, claro, facilitar o inserimento em curva sem fazer tanta for‡a.

Outra orienta‡Æo na hora de desviar, seja de uma velhinha, de um buraco, de uma vaca, ou qualquer coisa, ‚ sempre olhar fixamente para o lugar aonde vocˆ quer passar, nunca para o obst culo. Normalmente temos a tendˆncia de seguir para onde olhamos. Os atiradores de arco e flecha, por exemplo, sempre olham fixamente para o centro do alvo, nunca para as beiradas. O Pel‚ era um exemplo: com a bola dominada, ele sempre olhava para o ponto onde queria jog -la, nunca para a bola.

A mesma coisa deve ser feita por motociclistas; ‚ preciso condicionar o c‚rebro para olhar sempre para o desvio, nunca para o obst culo. Quantas vezes vocˆ viu um buraco e, mesmo assim, passou por cima dele? Tudo culpa do c‚rebro, este computador com ¢timas fun‡äes, mas que depende exclusivamente do programador.

Viajando pelo interior do Brasil ‚ muito comum encontrar animais na pista.  incr¡vel a quantidade de cachorros atropelados que ficam pelos acostamentos. Existem algumas diferen‡as b sicas para desviar de animais. Em caso de animais de pequeno porte (gato, coelho, cachorros pequenos), pe‡a perdÆo a Deus e passe por cima. O risco de cair ao desviar de um animal pequeno ‚ muito grande porque eles sÆo extremamente r pidos e imprevis¡veis. E como sÆo leves, ‚ pouco prov vel que irÆo derrubar uma moto.

J  os animais de grande porte (cachorräes, cavalo, jegue, vaca) sÆo mais lentos e mais previs¡veis. Quando assustados, os eqinos tˆm a tendˆncia de correr para a frente, portanto ‚ melhor desviar por tr s do animal. J  os bovinos tˆm a tendˆncia de andar para tr s, por isso ‚ melhor desviar pela frente (a frente dos bovinos ‚ o lado que tem chifres). A menos que vocˆ dˆ de cara com uma vaca louca; neste caso, lembre-se apenas de nÆo fazer churrasco com a v¡tima.