Alteração no regulamento e premiação da Copa Minas Gerais de Motocross para 2015

Copa Minas Gerais de Motocross: alteração no regulamento

Os pilotos de motocross que correm na MX1, MX2 e Super Final terão um estímulo a mais para disputar a Copa Minas Gerais de Motocross este ano. Com o objetivo de esquentar a briga pelo título, melhorar as condições de prova e valorizar todos os atletas, a organização do campeonato promoveu algumas alterações no regulamento e na premiação dessas categorias.

Alteração no regulamento e premiação da Copa Minas Gerais de Motocross para 2015

Alteração no regulamento e premiação da Copa Minas Gerais de Motocross para 2015

Regulamento: a partir de agora, a MX1 e MX2 terão apenas uma bateria cada. Segundo Cássio Marques, presidente do Moto Clube Cassios Racing, entidade organizadora da competição, essa medida foi tomada para diminuir o desgaste dos atletas durante as provas. “Percebemos que os pilotos estavam ficando muito cansados. Eles começavam o domingo com um treino classificatório, depois faziam duas baterias e ainda participavam da Super Final, ou seja, eles entravam na pista quatro vezes no mesmo dia. Como o motocross é um esporte que exige muito fisicamente, resolvemos dar uma aliviada”, explica.

Na Super Final, a mudança ocorreu na pontuação. Ao longo do ano de 2014, essa categoria foi realizada para decidir quem era o melhor piloto do final de semana. Os 10 primeiros da MX1, MX2 e Júnior eram convidados a entrar na pista e disputar um prêmio em dinheiro, mas sem pontuar no campeonato. Em 2015, isso será diferente. Todos que correrem na Super Final irão brigar também pelo título dessa categoria.

Premiação: com a inclusão da Super Final na lista de categorias em que há disputa de título, a organização decidiu alterar a premiação da competição. Até o ano passado, o campeão da MX1 levava um carro 0Km e o da MX2 uma moto 0Km. Nessa temporada, os atletas que conquistarem a MX1 e MX2 ficam com uma moto zero cada um e o campeão da Super Final garante um carro novinho em folha. Além disso, todos os pilotos que terminarem as provas até a décima quinta colocação, nas três categorias, levarão um prêmio em dinheiro. Com isso, o valor total da premiação por etapa passa de aproximadamente 50 mil reais para cerca de 57 mil reais.

“Nossa ideia é valorizar os pilotos que enchem o nosso gate e dão um brilho especial para a Copa. Queremos também que eles se sintam mais estimulados a darem o show que o público tanto aprecia”, afirma Cássio.

Para correr na MX1 é necessário ter entre 17 e 55 anos e uma moto dois tempos de 125 cilindradas até 250 cilindradas ou quatro tempos de 175 cilindradas a 450 cilindradas. Já na MX2 é preciso possuir entre 14 e 23 anos e uma moto dois tempos de 125 cilindradas até 150 cilindradas ou quatro tempos de 175 cilindradas a 250 cilindradas.

O primeiro GP do ano será no Córrego do Bação, em Itabirito-MG, nos dias 14 e 15 de março. As inscrições para o evento serão abertas no dia 15 de fevereiro e devem ser feitas pelo site do evento até o dia 10 de março.

Separador_motos