Corte de combustível na desaceleração

Muita se fala no CDS, sistema de desativa‡Æo de cilindros, atrav‚s do qual ele deixa um motor de oito cilindros funcionando s¢ com quatro, ou um de seis com trˆs, ou mesmo um de quatro com dois – ou com o corte do n£mero de cilindros que realmente se precise num determinado momento.

Mas agora a Ford est  indo mais adiante: cortando a alimenta‡Æo de todos o cilindros de um motor durante os momentos e os per¡odos de desacelera‡Æo.

Esta tecnologia, ‚ claro, j  existe – e separadamente ou em conjunto com a CDS, visa economizar a £ltima gota de gasolina ( lcool, etc) poss¡vel neste momento. O interessante ‚ que o sistema j  est  em desenvolvimento e estar  em produ‡Æo dentro de no m ximo dois anos.

A Ford, ali s, precisa disso. Ela ‚ a grande montadora que nos £ltimos anos (2000 a 2005) tem estado empatada ou sozinha no £ltimo lugar corporativo em termos de consumo de combust¡vel (m‚dia de consumo de todos os modelos produzidos: 8,40 km/litro). No ano passado, ela escapou desta encrenca, ficando … frente apenas da Chrysler (8,13 km/l).

Isso nÆo quer dizer que todos os seus carros e trucks (picapes, SUVs, jipes etc) sejam beberräes: apenas alguns deles, geralmente car¡ssimos, ou entÆo imensas picapes cabine dupla com ca‡amba suficientemente grande para levar um velho Fusca de cole‡Æo para cima e para baixo. Paralelamente, ela importa e comercializa Jaguars, Volvos e Aston Martins, sempre topos de linha, claro – afinal, quem compra esses carros busca (quase sempre) tamb‚m imagem.

 o mesmo problema da Chrysler com seus carros alemÆes (Mercedes, AMGs), que nÆo vendem os ‘ simples’ (Classe-C, por exemplo) e tendem a ficar s¢ nos topo de linha.

No Congresso e no Senado americanos, a briga neste momento ‚ a respeito de uma proposta de lei que define um consumo m ximo de um litro de combust¡vel a cada 14,9 km rodados em 2020.

A Ford, como todas as montadoras americanas, est  tentando fazer um motor Otto com economia de combust¡vel de um diesel – na realidade, tornando um motor a gasolina ou  lcool capaz de utilizar o princ¡pio de um diesel: combustÆo por pressÆo, em vez de por centelha. A Mercedes j  definiu o nome deste novo tipo de motor, chamando-o de DIESotto, e o est  apresentando no IAA, em Frankfurt.

Larry Burns, vice-presidente de desenvolvimento e pesquisas da GM, esteve dias atr s num evento na SAE aqui no Brasil e falou muito justamente a respeito do motores Otto com tecnologia de diesel.

Enquanto os DIESotto e outros nÆo entram em produ‡Æo e no mercado comum, as montadoras trabalham em outras solu‡äes, muito menos ex¢ticas mas mais baratas e de entrada operacional mais imediata.

A Ford, por exemplo, quer colocar seus motores TwinForce em produ‡Æo tÆo longo isso seja poss¡vel. Um TwinForce tem a for‡a de um V8 e a economia de um V6, devido a sua inje‡Æo direta associada a dois turbocompressores pequenos. Um prot¢tipo dele foi mostrado no come‡o do ano no salÆo de Detroit num Lincoln MkR – embora o carro de produ‡Æo seja um sedÆ topo de linha chamado MkS, que ser  apresentado ainda este ano. Um TwinForce V6 ou quatro-em-linha estar  em muitos carros Ford ano-modelo 2011.

Esses motores estarÆo quase certamente acoplados a uma transmissÆo PowerShift de seis marchas e duas embreagens – caixa manual automatizada. Paralelamente, esses carros terÆo sistemas de dire‡Æo el‚tricos e um sistema de gerenciamento avan‡ado de energia – ambos bem mais leves do que os atuais.

Al‚m desses, a Ford est  preparando motores diesel, a g s e a combust¡veis alternativos como etanol e biodiesel, al‚m de h¡bridos – embora seus engenheiros aparentemente nÆo gostem do sistema de desativa‡Æo de cilindros. S¢ para contar: 70% de toda sua linha de produtos ser  nova no fim do ano que vem, 100% em 2010.

Podem haver problemas as respeito dos quais a Ford, ou qualquer outra montadora, nÆo ter  qualquer possibilidade de evitar – como o da quase quebra da ind£stria de constru‡Æo de casas, que por sua vez est  quase acabando com a venda de picapes. Esta ind£stria alavancou tremendamente as vendas desse tipo de ve¡culo durante toda a d‚cada de 90.

Jos‚ Luis Vieira


Jos‚ Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de ve¡culos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania.  editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de reda‡Æo da revista Carga & Transporte.