Aneff

Crédito para financiamento de veículos atinge R$ 194 bilhões no primeiro semestre

Aneff

Aneff

Balanço semestral da Anef (Associação Nacional das Empresas Financeiras e dos Bancos das Montadoras) aponta que o saldo total de crédito para aquisição de automóveis fechou o primeiro semestre de 2011 em R$ 194,9 bilhões, evidenciando um crescimento de apenas 4,8% no ano, enquanto o Total de credito do Sistema Financeiro Nacional cresceu 7,5% no mesmo período.

O cenário atual segue a tendência dos últimos meses e mostra um crescimento menor em comparação a 2010. Este panorama, provocado pelas medidas macroprudenciais do Banco Central, deve permanecer até o fim de 2011. “A Anef, no entanto, mantém a expectativa de aumento de 10% da carteira de financiamento em 2011”, afirma Décio Carbonari de Almeida, presidente da Anef.

Em junho, as vendas à vista representaram 40% do total de veículos e comerciais leves comercializados. Já o leasing registrou queda constante neste ano, de 11% em 2010 para 7%, no primeiro semestre, mesmo com a não incidência do IOF. As vendas a prazo sofreram uma leve redução, passando de 63% no ano passado para 60% em 2011.

Segundo a Anef, os seis primeiros meses foram marcados pelo impacto das medidas do Banco Central. “Vale ressaltar também o aumento das vendas a frotistas pelas Montadoras, em boa parte pagas à vista, o que também contribuiu para a redução da participação relativa do CDC e Leasing nas vendas totais”, completa o presidente da ANEF.

Inadimplência
O saldo da inadimplência no CDC de Veículos para Pessoa Física, acima de 90 dias, apresentou aumento de 3,6% em maio para 3,8% em junho. Entretanto, os números da inadimplência acima de 30 dias indicam uma estabilidade nos últimos três meses o que, na avaliação da Anef, deverá refletir positivamente, em curto prazo, no índice acima de 90 dias.

Segundo a Anef, embora venha aumentando ao longo do semestre, a inadimplência não chega a ser um fator de preocupação. Esta situação no financiamento de veículos ainda fica abaixo do índice de atraso total das Pessoas Físicas que é de 6,4%.

Taxa de Juros e Planos de Financiamentos
A taxa de juros e os planos médios tiveram relativa estabilidade nos últimos meses. Nos novos contratos, os planos de financiamento fecharam com a média de 43 meses, sendo que o prazo máximo oferecido permaneceu em 60 meses neste semestre, já no mesmo período do ano passado praticava-se prazos de até 72 meses.

Comerciais (Caminhões e Ônibus)
Neste segmento a Anef destaca o crescimento e absoluta prevalência do Finame no escoamento das vendas. A opção representa 73% dos números deste primeiro semestre. Os outros 27% se dividem entre compras à vista, financiamento, consórcio, leasing e Finame leasing.

Motocicletas
As modalidades de pagamento nas vendas das motocicletas mantiveram as tendências de 2010. O financiamento ainda é a opção mais desejada, com 51% da procura, enquanto é possível observar uma retomada das vendas de motos através do consórcio neste primeiro semestre.