Foto: creme de la creme - Bitenca

Creme da la creme, Quando a XRE 300 chega nas lojas, Excesso de cuidado,

Foto: creme de la creme - Bitenca

Foto: creme de la creme - Bitenca

Caro Bitenca, Na resposta dada ao meu xará Fernando, no dia 12 de agosto, você escreveu que a alteração da mistura de álcool na gasolina teria motivado a correção no manual da Falcon quanto ao tipo de gasolina recomendada pela fabricante. Diante da resposta, ocorreu-me uma dúvida: com a recomendação do manual de uma XT 600 98 de se utilizar gasolina comum, com a alteração da mistura do álcool é necessário algum ajuste na carburação? o uso de gasolina comum, com um teor mais elevado de álcool do que aquele existente à época da fabricação da referida moto, ocasiona algum desgaste precoce do motor/carburador? Abraços fraternais e parabéns pelo reconhecido sucesso do motonline, especialmente da seção de cartas, que, na minha opinião é verdadeiro “crème de la crème” do site. Fernando Ribeiro, 32, Brasília/DF

R: Fernando, Quando foi alterada a proporção de álcool na gasolina, os veículos que não se adaptaram por alguma diferença de regulagem, a essa altura já devem ter sido corrigidos. Bastante fácil, esse ajuste deve ter sido feito na época, ou em alguma vez que você mandou regular sua moto desde aquela data até hoje.
Obrigado pelos comentários, tentamos melhorar sempre

Foto: Velocidade x RPM, Bitenca

Foto: Velocidade x RPM, Bitenca

Olá a todos do motonline. Até o final deste mês deve chegar a XRE 300, aquele que a Honda sonha pensa que vai substituir a Tornado e também a Falcon. Que pretensão a deles! Esta moto pode ser até uma boa substituta para a Tornado, mas não vai ter como substituir uma moto com a saudosa Falcon. Já me informaram que vai ser vendida pelo mesmo preço que a NX4. Na minha opinião (e de muitos outros) esse preço é um verdadeiro absurdo. Não acredito que será uma boa escolha para os novos compradores. A nova moto possui mais tecnologia porém, menos desempenho e uma estética que muitos já consideram ridícula. Gostaria de saber se vocês também concordam que se a Honda tivesse uma moto para entrar no lugar da Falcon, e que tivesse entre 400 e 450cc teria boa procura, caso o preço não fosse incompatível. Obrigado! Wilson, 39, São Paulo, SP

R: Por certo Wilson, uma 400 ou 450 ao preço de uma moto com um motor menor, com tecnologia atual, (promot3) que entrasse no lugar da Falcon faria um estrondoso sucesso. Apenas não acredito que seja possível. A fabrica fez uma opção, comprometeu o mercado da Falcon, ao oferecer um produto com uma concepção que na verdade fica exatamente entre a Tornado e a Falcon. Analisando o mercado, é comum para os fabricantes, ao verificar que não é viável lançar produtos focados em nichos específicos, optarem por outros que abrangem uma gama mais ampla de público. Nesse caso, como foi feita uma substituição, retirando dois produtos que atendiam cada um seu nicho específico e colocado outro que cobre uma gama maior, acho natural que o mercado da Falcon, que comporta maior valor agregado ficasse aguardando um outro lançamento num futuro próximo. Quem sabe a Honda não esconde na manga mais um lançamento para o fim do ano, justamente para esse fim. Porém, não espere pelo mesmo preço, não acho possível.

Tenho um Honda CB 450 1987, uso a moto em viagens todo feriado, sempre ando a uma média de 90Km/h pois o motor fica na faixa de 3500 RPM, tenho medo de manter uma velocidade de cruzeiro mais alta e manter um giro constante muito alto. Troco o oleo a cada 1500Km, manter 5000, 5500 RPM por mais de uma hora direto danifica o motor? Miguel, 23, Rio de Janeiro, RJ.

R: De forma alguma Rafael. Eu tenho para mim que o uso constante de um motor na faixa de até 2/3 da rotação máxima permitida é bem seguro. A sua moto, tem a faixa de potência máxima em 8500 rpm e fica bem confortável, no pico do torque que está na região dos 6500 rpm. Claro que quanto mais baixo o giro, maior a durabilidade e economia mas para sua moto, bastante robusta, esta faixa de 5 e 5,5 mil rpm ainda é bem segura. A 90Km/h pode cruzar um continente. abraços,