Um projeto interessante que gostei muito ao usar

Customização de motos: uma 883 da pesada!

Customização é uma palavra que gera várias definições. Algumas delas meio erradas. Na realidade a palavra customização é empregada no sentido de personalização, adaptação. Desta forma, customizar é adaptar algo de acordo com o gosto ou necessidade de alguém; alterar algo para fazer com que sirva melhor aos requisitos de uma pessoa. Customização pode ser entendida como sendo adequação ao gosto do cliente e significa transformar uma peça a fim de deixá-la nova e única.

Um projeto interessante que gostei muito ao usar

Um projeto interessante que gostei muito ao usar

Colocar acessórios comuns na moto não é uma customização no conceito puro. São pequenas personalizações onde você pode estar na rua numa moto e ver outra  rodando com os mesmos acessórios, o que é frustrante. Bobber, choppers ou clássicas, não importa. O que interessa é que ela seja à sua cara ou pelo menos diferente de todas.

Choppers ou helicópteros tem desenho e construção específicas

Choppers ou helicópteros tem desenho e construção específicas

Para deixar claro o que é cada coisa, uma bobber é uma moto custom que teve o para lama traseiro “cortado” (feito menor) e de uma maneira geral, a mudança retira todas as partes “supérfluas” para tirar o peso.

Já uma chopper é um tipo de motocicleta que foi criada ou modificada a partir de uma motocicleta original ou construída a partir do zero para ter uma aparência única e artesanal. Alguns dos traços característicos das choppers são o chassi alongado ou esticado, a frente longa e muitas vezes com grande angulação, quadros hardtail (sem suspensão traseira), rodas traseiras maiores que as rodas dianteiras,  guidão “cabide de macaco” muito alto ou “chifre de boi”, largos e curvados ou baixos e muito curtos “straight bars” para menos arrasto ao vento. Há ainda o “sissy bar” (santo antônio), que é um encosto para o garupa que sobe a partir do assento do garupa e às vezes são estendidos a boa altura. Esses são recursos que caracterizam a assinatura de um criador de choppers.

Choppers são tipicamente peladas, pois muitas peças foram modificadas para serem menores, ou removidas completamente. Geralmente é removido o para-lama dianteiro, piscas, um ou mais espelhos, velocímetros e indicadores, partida elétrica, baterias e outras partes.

Para entender o que seria um projeto de customização é importante atentar para alguns pontos imprescindíveis. O primeiro deles é a personalidade do dono da moto. Isso diz tudo, pois saberemos se a moto terá muitos ou poucos cromados, se será mais fosca ou monocromática, mais chopper ou mais bobber, ou ainda se será uma clássica ou old school. Outro dado importante é o peso tanto do proprietário quanto da moto. Customização que aumenta o peso da moto absurdamente acaba prejudicando não apenas o desempenho, mas a vida útil do equipamento tornando muito cara a sua manutenção.

A customização começa com um desenho. Esse desenho previamente aprovado pelo cliente é que será o guia de todo o trabalho. Outro dado importante e pouco observado é se a moto será usada para viagens. A autonomia deverá ser proporcional ao conforto. Motos de banco duro devem abastecer a cada 150 km no máximo. Da mesma forma as custom e choppers conhecidas como “seca-suvaco” também devem ter a mesma autonomia. Motos que rodarão apenas na cidade e são apenas para exibição não precisam de grande autonomia e aí o tanque pode ser bem menor. A suspensão é outro item a ser considerado, principalmente em nosso Brasil que é carregado de quebra-molas e tartarugas de todos os tamanhos.

É importante separar o que é customização de moto por encomenda. A moto por encomenda é totalmente feita, com exceção do motor. O chassi é construído do zero e não aproveitado como acontece com a maioria das customizações. Portanto, se vai encomendar uma moto toda nova, lembre-se de verificar o chassi e a qualidade do trabalho na formação dos ângulos de rake, pescoço e as soldas.

Ângulo de rake ou ângulo de rícino representa o deslocamento angular do eixo vertical da suspensão  da roda em uma moto ou de qualquer outro veículo, medida na direção longitudinal.  Pilotos de carro, por vezes, ajustam o ângulo de rake para otimizar as características de pilotagem do veículo em situações de condução personalizada ou mais esportiva. O mesmo vale para motos e é isso que vai definir se ela será melhor para curvas ou para andar em retas.

Eu pude testar um exemplo interessante de um projeto de customização do qual gostei bastante do resultado final.  É um trabalho onde uma Harley-Davidson 2010 Sportster 883 foi transformada em uma bobber.

Veja os detalhes da transformação.

Antes e depois

Antes e depois

Infográfico 1

Infográfico 1

Infográfico 2

Infográfico 2

Infográfico 3

Infográfico 3

 



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.