Barreda vence mais uma mas Coma continua líder com larga vantagem

Dakar 2014: sétima etapa

Joan Barreda vence, mas Marc Coma segue com folga na liderança
Especial é marcada pela chegada da prova na Bolívia, que pela primeira vez em sua história recebe o evento

 

Barreda vence mais uma mas Coma continua líder com larga vantagem

Barreda vence mais uma mas Coma continua líder com larga vantagem - foto de divulgação

Depois dos competidores recarregarem as baterias no dia de descanso (sábado), o Dakar 2014 chegou à sua segunda metade neste domingo (12) ao desembarcar na Bolívia, que pela primeira vez em sua história é palco da maior competição de rali do planeta. Na especial de 401 quilômetros, realizada apenas para motos e quadriciclos rumo ao território boliviano e válida pela primeira parte da segunda maratona, na qual os pilotos não podem ter assistência das equipes, o espanhol Joan Barreda (Honda) foi o mais rápido com o tempo de 3h28min41s. Ele superou o segundo colocado Marc Coma (KTM) em pouco mais de quatro minutos.

Apesar da vitória de Barreda na sétima etapa, entre Salta (ARG) e Uyuni (BOL), Coma segue tranquilo na ponta das motos. Ele está 38 minutos e 41 segundos à frente do rival vitorioso deste domingo.

O nome na ponta da classificação com mais da metade do caminho percorrido não é nenhuma surpresa. Marc Coma teve que trabalhar duro para recuperar sua confiança e eficiência após ter ficado de fora na edição de 2013, com um desempenho até o momento irretocável. O piloto catalão passou as primeiras etapas assistindo à distância enquanto seu vizinho da Valência, Joan Barreda, comemorava, mas na 5ª etapa, ele agarrou a oportunidade e deu um duro golpe em seus rivais.

Marc Coma lidera no geral com 42 minutos de vantagem sobre o segundo colocado, Joan Barreda

Marc Coma lidera no geral com mais de 38 minutos de vantagem sobre o segundo colocado, Joan Barreda

Coma não é apenas um piloto habilidoso, ele é também um mestre estrategista que escolheu o momento certo para tomar as rédeas da corrida. Jordi Viladoms, de volta a seu papel secundário na KTM, tem sido de pouca ajuda para Coma. Sua volta por cima com uma grande margem conquistada (tendo apenas Barreda a menos de uma hora do líder, 42 minutos atrás) se deve não apenas a sua superioridade, mas também à falta de sorte da maioria de seus competidores, em especial Cyril Despres. Tendo perdido mais de 30 minutos na 4ª etapa por ter precisado parar para reparar um curto-circuito em sua Yamaha a poucos quilômetros da linha de chegada, o vencedor do ano passado ainda cedeu quase duas horas no dia seguinte por ter ficado sem combustível e uma série de erros de navegação. Com suas esperanças de defender o título frustradas, Despres pode agora utilizar a próxima semana para testar sua Yamaha em condições reais com antecedência para a próxima edição.

Alguns dos outros pretendentes à coroa do Dakar não terão nem mesmo esta oportunidade após terem sidos forçados a abandonar o rali. Ruben Faria e Frans Verhoeven (3ª etapa), o inglês vencedor de uma das etapas Sam Sunderland (4ª etapa), seu companheiro de equipe na  Honda e o campeão mundial Paulo Gonçalves (5ª etapa) e o ídolo chileno “Chaleco” López (6ª etapa) tiveram todos que ir para casa mais cedo. Porém, com cinco marcas diferentes entre as seis primeiras colocações, a KTM não deve ter tanta certeza que levará mais uma vitória em sequência.

Além de Barreda, a Sherco surpreendeu com seus dois pilotos, Juan Pedrero e Alain Duclos vencendo uma etapa e o francês pisando no terceiro degrau do pódio provisório. Os chilenos podem agora torcer para Jeremías Israel, que está em quinto na classificação geral com sua Speedbrain. Um pouco mais para baixo, entre os sobreviventes deste ano extremamente exigente, a catalã Laia Sanz jogou bem e ocupa a vigésima colocação geral, 4h 26min atrás de Coma. Os brasileiros Jean Azevedo (não concluiu etapa obrigatória) e Dário Júlio (lesões por queda) abandonaram a competição na 5ª etapa.

Jean Azevedo e Dário Júlio da Honda Racing Rally Team reprentarão o Brasil nas motos, no maior espetáculo off-road do planeta

Os representantes brasileiros Jean Azevedo e Dário Júlio abandonaram o Dakar na quinta etapa

No trecho cronometrado, 85 pilotos da categoria partiram para à Bolívia, em uma altitude acima dos 3.600 metros, e se depararam com um verdadeiro labirinto de trilhas, em áreas montanhosas e íngremes. Ao final do dia, o pentacampeão Cyril Despres (Yamaha) ficou com a terceira colocação, seguido de Juan Pedrero Garcia (Scherco), que segue com regularidade na prova. Kuba Przygonski (KTM) completou em quinto, mais de oito minutos atrás do líder.

Nesta segunda-feira (13), os competidores das motos e quadris desafiarão o Salar de Uyuni, considerado o maior deserto de sal do mundo. A oitava etapa, válida pela segunda parte da maratona, terá 462 quilômetros de especial.

Resumo da 7ª etapa (12/1)
Percurso: Salta (AR) a Uyuni (BOL)
Deslocamento: 373 km
Especial: 409 km
Total: 782 km

Mapa da sétima etapa do Dakar 2014

Mapa da sétima etapa do Dakar 2014

Resultado da 7ª etapa – Motos
1º – Joan Barreda (ESP) #3 Honda – Tempo total: 03h28m41s
2º – Marc Coma (ESP) #2 KTM +00h04m03s
3º – Cyril Despress (FRA) #1 Yamaha +00h05m35s
4º – Pedrero Garcia (ESP) #23 Sherco +00h06m57s
5º – Kuba Przygonski (POL) #15 KTM +00h08m56s

Resultado acumulado após sete etapas – Motos
1º – Marc Coma (ESP) #2 – KTM – Tempo total: 26h40m44s
2º – Joan Barreda (ESP) #3 – Honda +00h38m14s
3º – Jordi Viladoms (ESP) #4 – KTM +01h16m03s
4º – Alain Duclos (FRA) #22 – Sherco +01h16m35s
5º – Israel Esquerre (CHL) #38 – Speedbrain +01h39m29s

Programação do Rally Dakar 2014

Programação do Rally Dakar 2014

Como será a 8ª etapa. segunda-feira (13/1)
O Salar de Uyuni é simplesmente o maior salar do mundo! E os motociclistas poderão perceber isso, já que terão que dar a volta nessa gigantesca extensão durante a oitava etapa do rali. O percurso será marcado ao redor e através do salar, uma maravilha que se estende por mais de 400 quilômetros, e também passará por diversas ilhas que tornam este local tão excepcional. A altura do Vulcão Tunupa (5.300m de altitude) será uma característica permanente na paisagem. É uma impressionante visão de estar sonhando acordado entre o céu e a terra com um pano de fundo branco, se o clima permitir.

Resumo da 8ª etapa (13/1)
Percurso: Uyuni (BOL) a Calama (CHL)
Deslocamento: 230 km
Especial: 462 km
Total: 692 km

Roteiro do Rally Dakar 2014

Roteiro do Rally Dakar 2014