Danilo Lewis é prejudicado em Brasília (DF) durante 5ª etapa do Racing Festival

Uma mangueira do respiro de sua Honda CB 600F Hornet foi arrancada na madrugada de sábado para domingo, comprometendo o planejamento para o final de semana.

Este foi um final de semana não para ser esquecido pela equipe Pro Comps, mas sim, para servir como ensinamento para as futuras corridas, já que durante a 5ª etapa do Racing Festival realizada em Brasília, um problema que fugiu à capacidade de planejamento do time interferiu negativamente nos resultados do piloto Danilo Lewis.

Competindo pela primeira vez na pista da Capital Federal com uma moto de 600 cm3, Danilo Lewis desembarcou em Brasília confiante em realizar duas boas baterias, entretanto, seus planos começaram a minar ainda na sexta-feira, 15/10, quando acabou caindo ainda na primeira sessão. “Acho que estava confiante até demais, pois acabei levando um tombo bobo no final da Curva 1, que resultou em uma fratura no dedo mindinho da mão esquerda e em danos na minha moto”, revelou.

Após ser liberado pela equipe médica da competição, Danilo voltou à pista mas a moto não apresentava boas condições de dirigibilidade, o que fez com que registrasse apenas o 9º melhor tempo ao final do dia. “A moto estava muito desalinhada e isso a deixou muito instável”, explica.

No sábado, correndo com um novo set de pneus, Danilo ainda não conseguiu melhorar de posição, embora tenha rodado cerca de dois segundos mais rápido que no dia anterior, mas seguiu melhorando, até fechar a segunda sessão livre de sábado com o terceiro melhor tempo, registrando 2min13s605. Nos treinos classificatórios, Danilo conseguiu manter-se na terceira posição do grid, apesar das dores no dedo fraturado, entretanto, o inesperado aconteceu para minar o ânimo da equipe. Durante a vistoria após os treinos classificatórios, os fiscais deram a falta da mangueira do respiro do motor, o que gerou a desclassificação do piloto, derrubando-o para a última posição. “Nós não acreditamos quando o tanque foi retirado e a mangueira não estava lá. Alguém nos trapaceou na noite de sexta para sábado mas como não tínhamos como provar nada, tivemos que engolir seco a decisão e seguir as regras, mas algo desse tipo acontecer é uma vergonha para o esporte”, desabafou Carlos Silva, manager da equipe Pró Comps. “Mas estamos serenos e confiantes de que a justiça vai se estabelecer.”

Largando da última (23ª) posição do grid, e com os pneus já desgastados em razão do treino classificatório e do warm up, Danilo tinha pela frente uma tarefa hercúlea, a qual começou a cumprir a partir do momento da largada da primeira bateria do domingo. “Parti com tudo e na freada da primeira curva estava na quinta posição, mas os pneus não responderam na freada e acabei escapando e quase indo na grama, o que me derrubou lá para trás novamente. A partir daí, procurei atacar ao máximo até terminar na terceira posição”, narrou de forma resumida a proeza realizada. Na segunda bateria, além do dedo latejando, o piloto estava praticamente com os pneus acabados e para não se arriscar a cair e comprometer de vez o campeonato, preferiu realizar uma corrida mais conservadora, terminando “apenas” na oitava colocação, lembrando que largara novamente de último.

Na soma dos resultados das duas baterias, Danilo Lewis terminou sua participação na 5ª etapa do Racing Festival na quarta posição, somando mais 28 pontos na classificação, o que o manteve na segunda posição, com 141 pontos, 35 a menos que o líder. Agora, faltando somente mais uma etapa e 50 pontos em jogo, Danilo terá de contar mais com a sorte que com seu talento. “Ainda dá, mas sabemos que ficou difícil. Entretanto, sou muito novo ainda e tenho muito chão pela frente e muita gente para incomodar”, brincou Lewis, que tem apenas 17 anos de idade e é o mais novo competidor da categoria.

A próxima etapa que fechará a temporada 2010 do Racing Festival acontece entre os dias 10 e 12 de outubro, na pista de Santa Cruz do Sul (RS).

O piloto Danilo Lewis conta com os patrocínios de Blog do Giglio, Ferramentas Corneta, Go! Motos, Udiaço e Ferzza Engenharia de Motores.