Danilo Lewis estreia em uma superbike com 6º. lugar

Danilo Lewis estreia em uma superbike com 6º. lugar

Danilo Lewis estreia em uma superbike com 6º. lugar

Pilotando pela primeira vez uma motocicleta de 1.000cc entre os melhores pilotos do Brasil, e ainda por cima com um dedo quebrado, Danilo Lewis fica em sexto lugar na 7ª. etapa do TNT Superbike.

Depois de ser apontado como uma das grandes promessas da motovelocidade nacional, graças à sua performance durante o Racing Festival, onde é o mais jovem piloto do grid com 17 anos de idade, agora Danilo Lewis dá novas mostras do potencial que carrega.

Neste final de semana ele disputou a 7ª. etapa do TNT Superbike, um dos mais competitivos campeonatos nacionais da motovelocidade e pela primeira vez correu com uma motocicleta de 1.000 cilindradas, conquistando um resultado bastante expressivo, em se tratando de uma estreia e ainda por cima, entre os grandes nomes da motovelocidade nacional e com o dedo mindinho da mão esquerda fraturado.

Desde que chegou a Curitiba (PR), local da corrida, Danilo anunciava que seu objetivo era estar entre os cinco primeiros, ignorando o fato de estar pilotando uma superbike pela primeira vez em uma competição – ele apenas havia pilotado até então, motos de 600 cm3 de cilindrada, já que competiu este ano no Pirelli Superbike com uma Honda CBR 600RR e no Racing Festival, pilota uma Honda CB 600F Hornet.

Em seu primeiro treino, na sexta-feira, registrou apenas o 22º. tempo e em sua segunda entrada na pista, já conseguiu sensível melhora, registrando o 15º. lugar, entretanto, foi com o asfalto úmido que conseguiu andar ainda melhor, cravando o sétimo tempo do dia no terceiro treino livre.

Os treinos de sábado sofreram atrasos devido à falta de energia elétrica e a chuva tratou de complicar as coisas dentro da pista, já que acidentes com os carros do Troféu Itaipava GT Brasil acabaram comprometendo a realização da Superpole, entretanto, Danilo conseguiu registrar o 10º. melhor tempo entre todos os pilotos do grid. “Se na corrida o Danilo conseguir melhorar um segundo, podemos já brigar por uma vaga no pódio”, analisou ainda no sábado Carlos Silva, manager e chefe da equipe Pro Comps.

Ciente da dura missão que tinha pela frente, Danilo Lewis alinhou no grid e durante a largada, acabou perdendo algumas posições, o que lhe complicou ainda mais o alcance de seu objetivo. “Na largada, assim que fui trocar de primeira para segunda, entrou neutro e vários caras me passaram, o que me obrigou a começar uma corrida de recuperação”, recordou-se.

A partir de então, Danilo passou a conquistar algumas posições e travou um duelo particular com o piloto Renan Alves até pouco antes da bandeirada, quando então, Danilo o ultrapassou, bem como a Jaime Cristobal, para receber a bandeirada na sexta posição.

“Foi uma corrida excelente para mim, em se tratando de uma estreia com uma moto tão forte, em um circuito que conheço pouco e ainda por cima, com o dedo mindinho quebrado. Confesso que na sexta-feira eu estava assustado com a potência da moto e tive bastante trabalho para conseguir encontrar-me sobre ela, mas depois, as coisas foram melhorando e consegui este resultado. Poderia ser melhor? Sim, claro que poderia, mas minha moto estava cerca de 30 km/h mais lenta na reta que as de meus principais adversários, já que corri com ela praticamente original, mas ainda resta uma etapa em Interlagos, um circuito com o qual estou mais familiarizado. Até lá, vamos fazer novos progressos com a motocicleta”, explica Danilo, cuja Honda CBR 1000RR Fireblade contou apenas com um conjunto de ponteira e escape especiais.

“Quero aproveitar e mandar um abraço ao Luiz Giglio, que neste final de semana pode acompanhar de perto a etapa portuguesa do Mundial de MotoGP, que aconteceu neste final de semana praticamente no quintal da casa dele, já que ele mora pertinho do (Autódromo de) Estoril, além de também ter-me acompanhado pela internet”, brincou.

A viagem de volta a Osasco estava marcada para acontecer ainda neste domingo e assim que retornar ao QG da equipe Pro Comps, Carlos Silva irá reiniciar os trabalhos visando aprimorar a motocicleta para a 8ª. e última etapa do TNT Superbike, que será disputada entre os dias 26 e 28 de novembro.

Europa

Paralelemante às competições nacionais que chegam ao fim, Danilo Lewis está trabalhando junto a seu principal patrocinador, Luiz Giglio (Blog do Giglio), a participação em campeonatos internacionais em 2011.

Luiz, que mora em Portugal e conheceu Danilo através de vídeos no You Tube, está participando de diversas reuniões junto à equipes que participam do Mundial de Moto2 e do CEV (Campeonato Espanhol de Velocidade), com o objetivo de levar o jovem brasileiro a correr em algumas etapas destes campeonatos.

Estão sendo sondadas algumas equipes com background capaz de oferecer ao brasileiro condições de ser competitivo e em breve, novidades serão anunciadas.

O piloto Danilo Lewis conta com os patrocínios de Blog do Giglio, Ferramentas Corneta, Go! Motos, Udiaço e Ferzza Engenharia de Motores.