Foto: Sandro Hoffmann, piloto Honda de Enduro de Regularidade

Dário Júlio conquista o bicampeonato do Enduro Piocerá

Foto: Sandro Hoffmann, piloto Honda de Enduro de Regularidade

Foto: Sandro Hoffmann, piloto Honda de Enduro de Regularidade

Depois de quatro dias de provas disputadas, piloto da equipe Honda garante resultado positivo no último dia

O piloto da equipe Honda, Dário Júlio, conquistou o bicampeonato do Enduro Piocerá, neste sábado (31). Depois de quatro dias de provas duras e muito disputadas, o mineiro terminou com o primeiro lugar nas duas provas da última etapa e superou o segundo colocado, o cearense Helâindo Onofre, que liderou os três primeiros dias do campeonato. Dário repetiu o resultado de 2007 quando conseguiu o primeiro título. O hexacampeão Sandro Hoffmann garantiu o terceiro lugar. Desde o início da competição, os pilotos percorreram mais de 1200 quilômetros, entre Teresina, no Piauí e Fortaleza, no Ceará, e experimentaram o novo sistema de apuração via satélite, implantado este ano.

O vencedor garante que se sente muito feliz, não só pela conquista do título, mas também pelo poder de superaçã o que acabou descobrindo durante a competição. “Essa foi uma das provas mais disputadas que já ganhei. Tenho dificuldade de correr sobre pressão. Eu mesmo me cobro muito e pela soma dos pontos até ontem, eu sabia que tinha de vencer as duas etapas de hoje para ser campeão e consegui. Aumentei minha capacidade de concentração e superei este desafio.”

Dário Júlio considerou seu desempenho nesta quarta e última etapa o melhor desde o início da competição. “Tivemos um percurso um pouco mais travado. Mais parecido com o que estou acostumado, com pedras e solo mais duro. Fui muito bem. No final, também enfrentamos um areião e me saí bem. Esta foi a melhor etapa para mim”, comentou o mineiro que utilizou a motocicleta Honda CRF 230F, nas trilhas. “Ainda tivemos um pouco de chuva pelo caminho, mas nada como a de ontem”, completou.

O capixaba Sandro Ho ffmann teve alguns momentos difíceis durante o dia, mesmo com o bom desempenho garantido durante a etapa. “Quando estávamos quase terminando a trilha, passamos por um trecho de areião com cajueiros, que possuía muitos galhos. Um deles entrou no meu peito e cortou meu braço. Tive de imobilizá-lo. Muitas motos estragaram neste trecho e não conseguiram subir uma parte de areia. Perderam o embalo. O importante é que mesmo com os percalços, terminei a prova.”