Foto: Sem luvas para demonstrar pega do freio - Bitenca

Dedo no gatilho ou aprendendo sempre, Yamaha Super T, Regulando o farol, Roupa folgada.

Foto: Sem luvas para demonstrar pega do freio - Bitenca

Foto: Sem luvas para demonstrar pega do freio - Bitenca

Caro Bitenca Pretendo, cada vez mais, melhorar a maneira de dirigir a minha moto, sempre visando a segurança e o prazer. Contando com o seu vasto conhecimento, pergunto: andar com um ou dois dedos apoiados no manete do freio dianteiro é um procedimento correto? A vantagem, creio, é a rapidez de acionamento do freio dianteiro. Com o dedo “no gatilho” e diante de uma emergência o freio dianteiro é solicitado imediatamente, antes do traseiro. Mas é correto freiar primeiro o dianteiro? Um abraço. Oswaldo, 58, Maringá, PR.

R: Oswaldo, essa prática é muito comum, pode ajudar numa situação de emergência, mas também ajuda colocar o pé do freio em posição de acioná-lo com antecedência, veja:
Ao acionar o freio dianteiro primeiro, numa ondição em que a moto não está com as rodas alinhadas pode ser perigoso. Por isso usa-se o traseiro para fazer esse alinhamento, ou seja: Colocar as rodas na mesma linha para que ao pressionar a frente a transferência de peso, não provoque nenhuma oscilação ou desequilíbrio. Um toque no traseiro ajuda muito nisso.
Numa emergência extrema o mais seguro é aplicar os dois juntos modulando a pressão entre eles de forma que você permaneça em controle e consiga uma boa rota de fuga do problema à frente. Vá mordendo e soltando os alicates enquanto faz as manobras para escapar do problema. Solte para preparar a mordida seguinte e aplique com segurança para diminuir a velocidade sem perder o controle.
Numa curva por exemplo, se um obstáculo surgir de repente, trace uma linha mais reta possível e se você não estiver no limite de velocidade da curva, vai conseguir diminuir bem a velocidade para tentar contornar o obstáculo por dentro ou por fora, sem problemas. Por isso, no Ritmo, sempre andamos com um metro da faixa amarela numa curva para a esquerda e com reserva de
controle para poder abrir e frear, ou no caso de uma invasão de um veículo no sentido contrário. Numa curva à direita, termos folga suficiente de manobra para fechar mais a curva sem tocar nos freios e passar numa boa.
Por esses motivos os ajustes dos comandos para seu biótipo é importante para sua maior segurança e controle. Como o pé do freio se acomoda sobre o pedal, antes de acioná-lo, dando boa sensibilidade e como sua mão se ajusta sobre o manete do freio, sem atrapalhar o controle do acelerador.
A forma de usar os controles manuais é importante: Pode ser com o polegar e indicador controlando o acelerador, dedo médio disponível para o freio e anular e mínimo para ajudar a fazer força na barra quando necessário (forma mais usada em off-road). Há quem use o indicador e médio para o freio, deixando os dois últimos para ajudar a manobrar o guidão e acelerador, contra o polegar (on-road). Ainda, para soltar rápido o acelerador para trabalhar com os freios, solte completamente a mão para que a mola retorne automaticamente de forma que você possa se dedicar ao freio sem interferências do motor.
Os sistemas de ABS combinados de última geração podem administrar as “alicatadas” com extrema eficiência, melhor que um piloto sem experiência mas no geral ainda estamos longe disso nas motos comuns. Treinamento é muito importante, continue aprendendo como sempre fazemos também. Abraços.


Salve Bitenca, André e cia ltda. do Motonline 5 anos já perturbando vocês, caras é o seguinte sanei o problema da DT 200R nada que um banho de Yamaha não resolvesse a moto tá estupenda quem vê quer comprar, e eu to pensando em me aproveitar dessa boa fase dela e partir para uma BIG TRAIL, tenho em mente a XTZ 750 SUPER TENERÉ, assim como a DT 200r era um sonho de consumo, a ST 750 também, mas a pergunta é nos tempos atuais compensa se comprar um camelo mecânico desses ? essa moto tem algum vicio mecânico ? defeito congênito ? algo que eu tenha que dar atenção ? estou de olho em uma 1996 GRENÁ, ou uma 1997 VERDE, de fato eu sou um proprietário bem enjoado e detalhista mas como a ST é uma novidade no meu portifólio de motos precisva de umas dicas sobre a mesma na hora da compra e se compensa comprar o mastodonte de duas rodas ? Forte abraço. Junio, 26, Anápilo, GO.

Foto: Mulher raspa - Divulgação Yamaha

Foto: Mulher raspa - Divulgação Yamaha

R: Junio, perturbação nenhuma, de tempos em tempos recebo essa mesma pergunta. Acho que essa moto oferece atratividade grande. O vício mecânico dela está na estrutura do chassi. Quase todas trincam na triangulação do lado direito do quadro. Uma em bom estado pode não ter a fissura ou ser bem consertado, no mais é uma boa moto. Abraços


Tenho uma ER-6n, moto tem uma ciclistica maravilhosa, porém estou com um problema: O farol baixo está com uma regulágem que ilumina diretamente a frente como se estivesse na alta, e o farol alto só faz espalhar a luminosidade como se fosse um farol de neblina. na kawa em Recife os mecânicos disseram que a regulágem é aquela mesmo. Só que no trânsito a situação é diferente, eu levo nome de “filho disso, filho daquilo” e acho que estou encomodando mesmo, o farol vai direto no retrovisor central do motorista cegando o infeliz. Gostaria de saber a que distância da parede eu posiciono a moto e a que altura eu regulo alta e baixa. Um abraço a todos… André, 37, Recife, PE.

R: André, essa regulagem é bastante simples. Posicione sua moto a uns 3 m de distância de uma parede branca (pode ser o fundo da sua garagem ou um muro) mas que esteja no mesmo nível das rodas de sua moto. A linha inferior dos vidros traseiros dos automóveis estão normalmente a 80 cm do chão, então é nessa altura que você vai querer que fique o facho da luz baixa.
Faça uma marca no muro nessa altura e ajuste o facho para que a linha de corte da luz baixa fique nesse ponto. Normalmente isso basta mas se o centro do facho estiver deslocado em relação ao eixo da moto você vai ter que alterar o ajuste lateral até que o centro da luz fique na mesma linha das rodas da moto. Esse ajuste horizontal, quase sempre altera o outro também então é melhor fazê-lo antes do vertical. Boa sorte.


Olá Bitenca, como vai? Hoje minha dúvida não é sobre mecânica, mas sim sobre proteção, vestimentas! Tenho uma jaqueta Zebra Race Track e uma Calça Zebra Twister, tamanho 3XL. O problema é que a jaqueta e a calça estão largas, digamos, mais confortáveis! Quando comprei, eu estava pesando 103kg, e agora estou com 95kg (ufaaa) e 1,87cm de altura (o meu tamanho continua o mesmo rsrsrs)! Minha dúvida é, andar com essas roupas mais folgadas pode causar algum problema no caso de uma queda? É recomendado usar roupas mais justas ou mais folgadas? O que devemos observar na hora de comprar as roupas para andar de moto? Muito obrigado. Danilo, 23, Umuarama, PR

R: Danilo, confira se as proteções permanecem nos seus lugares e se a roupa fica a bater ao vento por causa da folga, fica inconveniente e aumenta o atrito com o ar. No mais tudo bem. Abraços.