Delicioso papo técnico

Gostaria de saber porque as motos de competi‡Æo (moto GP) tˆm um giro tÆo baixo cerca de 15 000 rpm se compararmos com os motores de F1, de 19 000 rpm. Lembrando que os cilindros das motos sÆo menores o que permite uma constru‡Æo super quadrada e uma in‚rcia menor das partes m¢veis permitindo um regime de rota‡Æo mais alto. Existe alguma limita‡Æo de regra quanto a durabilidade do motor?  verdade que j  existiram motos de 250 com 12 cilidros e uma rota‡Æo de +- 22.000 rpm. H  algum movimento para alterar as regras das categorias inferiores 250cc e 125cc para motores 4T? o resultado de transferˆncia tecnol¢gica para as motos 1000cc foi magn¡fico e ainda pode dar mais, isso para motos menores como 600cc seria fascinante. Eu ap¢io vc nÆo h  razÆo no Brasil para haver tantas motos baixas, a nÆo ser pre‡o e tradi‡Æo no caso da CG e marketing no caso das Custom, sou adepto da moto alta de rampar lombada e ignorar qq buraco, no Brasil isso ‚ muito importante. S¢ uma duvida para o caso Tornado X Twister, a sua Tornado estava a quantos rpm quando chegou a dita velocidade, e qual ‚ a rota‡Æo que a Twister chega a m xima em condi‡Æo de teste, s¢ assim d  para saber realmente se a rela‡Æo est  muito longa
Bernhard Jordan
SÆo Paulo, SP
Oi Bernd, obrigado pelo oportunidade de discutir um papo cabe‡a. NÆo existe limita‡Æo de rota‡Æo e potˆncia na MotoGP pelo regulamento. NÆo conferi esta informa‡Æo dos 15.000 RPM, mas acredito que j  tenha passado disso, pois a minha CBR 600F de corrida chegava a 13.500 rpm. Vou pesquisar isso. A grande diferen‡a entre carro e moto ‚ que os F1 tˆm dois gigantescos pneus traseiros para receber potˆncia e rota‡Æo. As motos tˆm uma banda de rodagem muito pequena, mesmo na largura 220. As motos j  tˆm controle eletr“nico de tra‡Æo e isso ajuda um pouco a amenizar a entrada de potˆncia, mesmo assim a porrada ‚ forte. De que adianta ter giro e potˆncia se nÆo d  para transferir isso pro asfalto? Hoje a MotoGP calcula a potˆncia com base na F1. Se o motor 10 cilindros, 3 litros, de um F1 chega a 19.000 rpm e vai a 900 cv, um motor de moto, de 1 litro e 5 cilindros deveria chegar a 300 cv. NÆo chegou ainda, mas calcula-se que esteja com 220 cv. Vou pesquisar isso mais a fundo junto aos amigos t‚cnicos e depois volto a escrever. Nunca ouvi falar deste motor 250 de 12 cilindros, mas nos anos 60 havia um motor 250 de seis cilindros da Honda que nÆo deu muito certo. Imagino que cada cilindro deveria ser do tamanho de um dedal. O futuro da 125 e 250 no mundial ainda nÆo est  definido. Fala-se em substituir a 250 pela 600 Supersport, mas as equipes odiaram a id‚ia. O motor 2 Tempos ganhou uma sobrevida gra‡as aos ¢leos sint‚ticos que emitem baix¡ssimo ¡ndice de poluentes. A Tornado do teste nÆo tinha conta-giros e nÆo era minha, era da Honda. Mas vc tocou num ponto crucial: a Twister nÆo “enche” a £ltima marcha, mas muitos leitores nÆo sabem o que isso significa. Felizmente vc sabe!