Desaceleração saudável

Desaceleração saudável

Desaceleração saudável

Vendas de motocicletas cresceram 23,33 % no primeiro semestre, número inferior se comparado ao crescimento do ano passado.

Para analista, fenômeno significa acomodação positiva do mercado

Pode parecer insensato, mas os analistas estão comemorando a desaceleração do mercado de veículos como um todo e especificamente o de motocicletas. Em 2007, segundo dados da Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores (Fenabrave), a venda de motos cresceu 32,68 % em relação ao ano anterior. Já os números do primeiro semestre de 2008 registram um crescimento de “apenas” 23,33 % nas vendas de motocicletas. Entre janeiro e junho deste ano foram comercializados 951.151 veículos de duas rodas – cerca de 40% do total de veículos vendidos no período (2.405.212).

Embora apresente um crescimento menor, o mês de junho foi o melhor da história de motocicletas com 174.962 unidades emplacadas. Assim como as vendas acumuladas entre janeiro e junho fazem deste o melhor primeiro semestre da história.

“Um crescimento acima dos 30%, como aconteceu no ano passado, é inviável em qualquer setor da economia”, afirma a economista Tereza Fernandez, consultora de mercado e sócia-diretora da MB Associados. Para Fernandez, essa desaceleração é saudável e significa uma acomodação positiva do mercado. Para todo o ano de 2008, a MB Associados projeta um crescimento de 23,41 % do mercado de motocicletas. Quando comparado à projeção do crescimento do PIB brasileiro para 2008 de 4,8 %, o aumento nas vendas de motos e de veículos ainda é bastante superior.

Entre as razões para essa desaceleração, os especialistas apontam uma diminuição da demanda reprimida que existia anteriormente e também a maior exigência dos bancos na concessão de crédito. “Quem tinha ficha limpa para conseguir crédito já o fez. Mas quem tinha dificuldades para ter a ficha aprovada, continua tendo”, afirma o presidente da Fenabrave, Sérgio Reze.

Apesar da desaceleração, as vendas de motocicletas projetadas pela MB Associados para a Fenabrave devem bater novo recorde e superar finalmente a barreira dos dois milhões de unidades comercializadas. Segundo a consultoria de mercado devem ser emplacados 2.108.572 veículos de duas rodas em 2008.

Chinesas ganham mercado – Assim como a taxa de crescimento mudou, mudaram também a participação de mercado entre as marcas. Apesar de manter a liderança com 70,88 % , a Honda perdeu market share. No acumulado do primeiro semestre de 2007, a fábrica japonesa tinha 74,52%. Da mesma forma que a Yamaha, a segunda maior, que caiu dos 13,22 % ente janeiro e junho do ano passado para 11,64 % deste ano.

Já a Suzuki, que ocupa a terceira posição, aumentou sua participação no mercado de duas rodas brasileiro para 8,14 % – no mesmo período do ano passado o percentual era de 5,71 %. Em quarto lugar com leve redução aparece a Sundown com 4,55 %.

Somada a Dafra (1,64 %), a Sundown e as montadoras que usam tecnologia chinesa já somam cerca de 10 % do mercado de motocicletas brasileiro. “A Honda é líder e tem uma grande fatia do mercado há muitos anos. É normal que seja a caça dos novos fabricantes, que vem atrás desse promissor mercado”, explica Sérgio Reze.

PARTICIPAÇÃO DE MERCADO – Acumulado de janeiro a junho 2008
Honda 70,88 %
Yamaha 11,64 %
Suzuki 8,14 %
Sundown 4,55 %
Dafra 1,64 %
Outras 3,16 %
*Dados de emplacamento Denatran