a-guide-to-motorcycle-tires-part-2-48421_2

Desgaste excessivo dos pneus

Texto postado no Fórum Motonline por “Superman“, revisado por Carlos Amaral

Desgaste excessivo ou desgaste irregular dos pneus é um problema relativamente comum em motocicletas. Na maioria dos casos isto é resultado da falta de calibragem dos pneus. Pneus com a pressão acima do recomendado apresentam desgaste no centro da banda de rodagem. Pneus com calibragem abaixo do recomendado apresentam desgaste nas bordas.

Em ambos os casos o equilíbrio e estabilidade da motocicleta estão comprometidos e, portanto, fica claro que sem contar o custo relativo à redução da vida útil do pneu, calibragem é um item de segurança. O desgaste excessivo ou irregular pode também ser resultado do estado e uso da motocicleta bem como estilo de pilotagem.

Veja a seguir diversas recomendações sobre isso:

– Pilotagem agressiva (curvas no limite, frenagens fortes), desgasta excessivamente os pneus.

– Motos com maior incidência de uso em trechos retos (estradas por exemplo), tendem a apresentar desgaste no centro do pneu, criando o chamado “pneu quadrado”.

– Desalinhamento do chassi que pode ocorrer em motos que já sofreram acidentes.

– Peso mal distribuído, como por exemplo uma caixa de ferramentas em um só alforje, amortecedores danificados ou com mau ajuste da pressão nas molas e na ação hidráulica.

– Quanto maior a potência da moto, maior o desgaste do pneu traseiro devido a tendência da roda arrastar nas arrancadas e ao grande torque aplicado na roda que traciona.

– O estado de conservação das rodovias pode contribuir para o desgaste irregular e causar danos.

– Fazer “rodinha” ou “zerinho” não só causa desgaste no pneu traseiro, como pode causar danos no motor de sua moto, que não foi projetado para manter o alto giro e torque sem refrigeração; deixe isto para os profissionais de “freestyle”.

– Pressão dos pneus: a temperatura é uma causa importante na variação da pressão nos pneus. Para o ar, a relação – P.V/ T – é constante, onde: P= Pressão, V= Volume e T = Temperatura. Para pneus de motocicletas em geral, considerando-se o volume de ar e a elasticidade da borracha dos pneus, podemos chegar a uma relação simplificada onde para cada 5,6°C, temos uma variação de 1 psi (libras) na pressão. Assim, se sobe a temperatura, sobe a pressão também e vice-versa.

– A pressão ideal para cada pneu e condições de carga são indicadas no manual da motocicleta e na lateral dos pneus (alguns pneus mostram somente o limite máximo). Lembramos que o peso transportado influi nestes valores.

– Quando calibrar: a pressão deve ser verificada a cada semana e com os pneus frios (não houve um longo período de uso antes da calibragem).

– Em dias quentes a pressão de um pneu rodando pode variar por volta de 6 psi (libras), sendo normal uma perda de pressão de 1 psi (libra) por mês. Então veja: você calibra os pneus em um dia muito quente de verão e não verifica a calibragem por 6 meses (o que não é recomendável). Ao sair cedo num dia frio de inverno, você pode estar com até 12 psi (libras) a menos nos pneus de sua moto e isto pode ser muito perigoso.

– Verifique a pressão de ar dos pneus semanalmente e sempre antes de viajar.

Outro aspecto importante e que exerce influência sobre os pneus é a qualidade dos pneus. Mas o que podemos entender sobre a qualidade dos pneus, gastos excessivos,  pouca aderência em piso seco ou molhado, furos constantes?

Um técnico especializado em pneus disse em uma palestra referente ao assunto que “pneu bom é aquele que gasta muito rápido”. Claro que ele quis dizer do tocante ao grip, ou seja, a aderência no piso e em situações de competições. Assim, devemos nos preocupar em usar um pneu que atenda o tipo de uso que vamos lhe dar e manter os pneus sempre em bom estado, sem excessos na pilotagem, como frenagens ou re-acelerações desnecessárias. Motociclistas que usam a moto diariamente, no ir e vir do trabalho ou mesmo para o lazer em viagens, não estão nas ruas para competir.

É bom lembrar que pneu também possui “vencimento”. A borracha mantém suas qualidades durante cinco anos da data de fabricação. Também, se o pneu não estiver armazenado adequadamente, poderá ressecar e formar rachaduras mesmo antes de usar. Desta forma, se vai comprar uma moto usada e encontrou aquela moto dos sonhos, com baixa quilometragem e nunca precisou trocar os pneus originais porque ainda estão “novos”?

Cuidado! A moto usada pode estar impecável, mas por ficar muito tempo parada (com baixa km) o pneu passou de sua validade. As outras peças de borracha seguem o mesmo caminho. Pneu é um assunto sério para a segurança do piloto, por isso trate-o como sendo da família.