Devemos aos motonliners a publicação dos resultados da enquete Motonline.

Do ponto de vista t‚cnico, uma enquete carece de fundamentos cient¡ficos para ser chamada de pesquisa, mas notamos que a seqˆncia das mesmas permite chegar bem perto de interpretar os desejos e opiniäes dos motonliners.
O Motonline nÆo afirma que o resultado seja uma verdade absoluta. Por‚m merece ser observado por aqueles que trabalham no setor.
Escolhemos inicialmente o tema “atendimento das marcas”. Esta pergunta foi feita para entendermos melhor as d£vidas e queixas sobre servi‡os dispon¡veis no segmento.
Uma mesma pergunta foi feita em per¡odos diferentes: ago/05, mar/06, ago/06 e mai/07. A repeti‡Æo ‚ uma forma de acompanhar as tendˆncias que sÆo dinƒmicas.

Foram 2.128 participa‡äes em quatro enquetes, com uma m‚dia de uma semana em exposi‡Æo na Home do Motonline.
Observamos que nÆo chegam a 30% aqueles que afirmaram estar satisfeitos com o atendimento das concession rias. Este resultado atende …s expectativas das marcas?
Na outra ponta, 11% dos motonliners afirmaram que nÆo levam suas motos …s concession rias e 14% realiza a sua pr¢pria manuten‡Æo. Ser  a razÆo do crescimento das multimarcas? O restante nÆo est  satisfeito com o atendimento das concession rias.

A soma das nacionais e chinesas que estÆo entrando no mercado, chegam a um total de 30 marcas diferentes, ofertando cerca de 150 modelos de motos diferentes a partir de 50cc. Modelos para todos os gostos e pre‡os.
Se as trˆs principais marcas japonesas somadas, alcan‡am hoje em torno de 1500 lojas, imaginem se todas as 30 marcas atingirem o mesmo potencial de distribui‡Æo. O mercado necessitaria de 15 mil lojas! Faltar  mÆo de obra especializada! Contudo ‚ bom nÆo esquecer que o Brasil est  entre os cinco maiores mercados do mundo.

Esta situa‡Æo nos remete ao passado: No JapÆo p¢s-guerra pipocaram fabricantes de duas rodas motorizadas, e hoje restam quatro, sendo que Suzuki e Kawasaki juntam for‡as.
Retornemos … enquete: como ficarÆo a qualidade dos servi‡os e p¢s vendas?