Diário da Motocicleta - Yamaha MT-03 - capítulo final

Diário da Motocicleta – Yamaha MT-03 – capítulo final

Como se trata do último texto da MT-03 nessa coluna, serão informados os nomes das concessionárias que prestaram os serviços. Foi concedido espaço para as concessionárias e o fabricante se manifestarem nos assuntos atrelados a pós-vendas, via e-mail.

Yamaha MT-03: trocada por outra marca aos 5 mil km

Yamaha MT-03: trocada por uma de outra marca aos 5 mil km

 

No texto inaugural informamos que o proprietário da MT-03 fazia sua utilização diariamente, já que é empresário no ramo de sistemas. Infelizmente nosso colaborador sofreu um acidente no final de 2009, mais precisamente no dia 09 de novembro, em pleno cebolão, interligação das Marginais Tietê e Pinheiros, sentido Santo Amaro.

O piloto estava equipado e não sofreu nada grave, mas a MT-03 avariou bastante. O estrago foi tão grande que saiu de guincho para a Concessionária Yamaha Feltrin na Avenida Santo Amaro e aí começou a via crúcis. A aprovação para reparo pela seguradora foi rápido – em 17/11/2009 já estava autorizado. Foi pedido ao proprietário da motocicleta fazer um relato dia-a-dia, que nos escreveu:

“André, seguem os dados:

Data da queda: 09/11

Aprovação do Banco do Brasil: 17/11

Primeira previsão de entrega: 07/12

– No dia 01/12, fiz uma ligação à concessionária e fui informado que as peças ainda não haviam sido enviadas pela fábrica.

– No dia 08/12 fiz outra ligação à concessionária e fui informado que as peças ainda não haviam sido enviadas pela fábrica. Previsão para entrega das peças dia 11/12.

– No dia 14/12 mais uma ligação feita à concessionária e fui informado que as peças ainda não haviam sido enviadas pela fábrica. Previsão para entrega das peças dia 18/12. Neste dia fui avisado que a Yamaha estava em balanço desde o dia 02/12 e não poderia faturar as peças até o dia 18/12.

– No dia 21/12 mais uma ligação à concessionária e fui informado que as peças ainda não haviam sido enviadas pela fábrica. Previsão para entrega das peças dia 28/12.

– No dia 05/01 outra ligação feita à concessionária e fui informado que as peças foram entregues no dia 28/12, porém faltavam algumas peças e a bengala direita havia sido enviada errada. Previsão para entrega das peças faltantes dia 08/01.

– Nova ligação dia 11/01 e nova promessa das peças para o dia 15/01.

– Mais uma ligação dia 18/01 e fui informado que as peças chegaram (menos a capa da bengala direita que veio errada pela 3ª vez). Agora a moto entrou na fila de espera da concessionária para iniciar o reparo.

– Dia 29/01 – A moto foi retirada da concessionária em perfeito estado. Porém, ainda faltando a capa da bengala direita. A capa da bengala me foi entregue no final do dia, após a retirada da motocicleta, e foi trocada quando marquei o retorno.”

Portanto, a MT-03 saiu da concessionária após 80 (oitenta) dias na concessionária, prazo nada razoável. Descontente com o atendimento Yamaha, a MT-03 foi vendida com menos de 5.000Km e trocada por motocicleta de outra marca, duas semanas depois de retirada da concessionária. O pós-venda de qualquer produto ou marca é essencial para fidelizar o cliente ou consumidor.

Especificamente no setor de duas rodas, a compra da próxima motocicleta começa na oficina, na manutenção da motocicleta. Apesar do contato via email com as duas concessionárias – M9, responsável pela primeira revisão, e a Feltrin, escolhida para o reparo da motocicleta -, não houve qualquer manifestação de resposta para prestar algum esclarecimento ao leitor.

 

Obs.: Para facilitar a discussão sobre esse assunto, além da área de comentários abaixo, criamos um tópico no fórum para os motonliners que preferem este formato. Clique aqui para acessar o tópico.