BrasMX_cartaz_27_03

Disputa por equipes movimentará o Brasileiro de Motocross

Faltando menos de duas semanas para a abertura do Campeonato Brasileiro de Motocross 2013, que será realizada, entre os dias 12 e 14 de abril, em Carlos Barbosa (RS), muitas equipes já garantiram a participação.

A maioria já definiu os pilotos que defenderão a “escuderia” durante a temporada. Competidores que terão a responsabilidade de entrar na disputa pelo título duas vezes. Uma como piloto e na outra representado a equipe. Isso porque este ano a CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) criou uma competição a parte para os times.

A largada será dada na próxima semana no motódromo Fabiano Audibert, em Carlos Barbosa, e as equipes já criam expectativas. “Essa disputa vai movimentar o Campeonato. Muito legal criar essa disputa entre as equipes. Além de ser uma competição interessante também valoriza os patrocinadores e incentiva as equipes”, ressalta o chefe de equipe da Pirelli / Mobil / Red Bull, Léo Lopes.

Como atualmente apenas o piloto Enzo Lopes corre pela equipe, a escuderia competirá com outras na categoria para apenas um piloto.  Já a disputa pela categoria com quatro pilotos ou mais contará com diversas equipes, como a Team Honda / Mobil.  “Super interessante essa competição entre equipes. Incentiva a contratação de pilotos. Esse campeonato de equipes vai ser muito bom para o esporte”, afirma o chefe de equipe da Team Honda, Wellington Valadares.

A ideia é premiar as escuderias que somarem mais pontos durante todo o campeonato. A disputa será nas seguintes categorias:

►  Equipes com 1 piloto
►  Equipes com 2 pilotos
►  Equipes com 3 pilotos
►  Equipes com 4 ou mais pilotos

Na individual, o piloto que somar mais pontos na temporada dará o título à equipe. Já nas demais será feita a soma dos pontos dos pilotos por etapa.  “É uma forma de valorizar e incentivar essas equipes que desenvolvem um excelente trabalho e oferecem estrutura para os pilotos, contribuindo para o nosso esporte”, explica o diretor de Motocross da CBM, Roberto Boettcher.

Os pontos valerão por todas as categorias inclusive pelas que serão disputadas em quatro etapas. Por exemplo, a equipe pode contar com pilotos em categorias distintas, como na MX1 e na Júnior. Os competidores somam pontos para o ranking.  No final da temporada o time que tiver somado mais pontos levará o título de campeã por equipe em uma das quatro categorias.

Matemática: Na categoria para equipes com 1 piloto,  o competidor que somar mais pontos, independentemente da categoria no Motocross, dará o título à equipe. Já nas demais que contam com mais de um participante funcionará da seguinte forma: a equipe possui um piloto na MX1 e outro na MX2. Um ficou em segundo e outro em primeiro. A escuderia somou 47 pontos na etapa para o ranking e assim sucessivamente.

A etapa tem a organização da CBM (Confederação Brasileira de Motociclismo) e realização da FGM (Federação Gaúcha de Motociclismo).