Paulo Gonçalves e Jean Azevedo fazem dobradinha Honda na 6ª etapa

Dobradinha Honda na penúltima etapa

Paulo Gonçalves e Jean Azevedo fazem dobradinha Honda na 6ª etapa

Paulo Gonçalves e Jean Azevedo fazem dobradinha Honda na 6ª etapa - foto de divulgação Team HRC

O português Paulo Gonçalves e o brasileiro Jean Azevedo conquistaram nesta sexta-feira (29) dobradinha na 6ª e penúltima etapa do Rally dos Sertões 2014. Com 2h24min25s, o piloto da Team HRC (Honda Racing Corporation) ficou em primeiro na sexta e penúltima etapa, cujo percurso que teve largada e chegada no mesmo destino: Diamantina. A segunda colocação ficou com Jean, da Equipe Honda Mobil, com o tempo de 2h26min08s. O terceiro lugar foi de Marc Coma (KTM Red Bull Factory Team).

Definida pelo diretor técnico do Rally dos Sertões, Eduardo Sachs, como a mais bela e completa especial da 22ª edição da prova, a sexta etapa foi realizada nesta sexta-feira (dia 29) em forma de laço, com os competidores largando e chegando na cidade mineira de Diamantina. Foram 204,29 km no total, um alívio após os mais de 600 km disputados no dia anterior. Neste sábado (30), o Sertões chega ao fim, com a disputa da sétima etapa, e os novos campeões serão conhecidos na Praça Geralda Damata Pimentel, na Lagoa da Pampulha, em Belo Horizonte, com chegada prevista a partir das 12 horas.

Nas motos, que contou com 33 competidores na disputa desta sexta, o português Paulo Gonçalves venceu sua terceira especial nesta edição e segue tentando tirar a diferença para o espanhol Marc Coma, que também tem três vitórias e lidera no geral, com 16h45min39s (4min36s de vantagem para Gonçalves). Na especial de 178,87 km, Coma terminou em terceiro, atrás do brasileiro Jean Azevedo, que segue na briga entre as estrelas internacionais. No geral, Azevedo está em terceiro, a 13min29s do espanhol.

Apesar da vantagem, Coma sabe que ainda resta mais um dia pela frente, com uma especial de mais de 125 km, e o objetivo é manter a cautela e administrar. “Hoje foi importante controlar a tocada, fazer uma tática mais conservadora, sabendo que perderíamos algum tempo, mas foi bom. Não foi uma etapa fácil, com uma parte de trial, com serra. Uma etapa completa. Amanhã ainda são muitos quilômetros, vou manter a concentração e controle até o último quilometro”, destacou o piloto, que já venceu o Sertões em 2010 e está liderando o Mundial de Rally Cross Country da FIM.

Jean Azevedo é segundo na etapa e continua como o melhor brasileiro na competição - crédito: DFotos

Jean Azevedo é segundo na etapa e continua como o melhor brasileiro na competição - crédito: DFotos

Paulo Gonçalves admite que não será fácil brigar pelo seu bicampeonato no Sertões, mas também não joga a toalha. “Foi uma especial mais curta, saí numa posição boa, andei forte e, no meio da especial, cheguei no Jean, só que era muito difícil de ultrapassar por causa da poeira. Esta faltando um dia, vencer está um pouco difícil, porque o Marc está alguns minutos na frente, mas a corrida só termina amanhã no último quilômetro. Vamos esperar e andar forte pra ver o que vai acontecer. Na velocidade, vai ficar difícil ganhar tempo, ainda mais abrindo pista. Não é fácil tirar tempo de um adversário como o Marc, ainda mais saindo na frente dele. Se fosse garantido, nem partiríamos amanhã, então vamos pra luta e ver o que vai acontecer”, disse o português.

Em seu 19º Sertões, o pentacampeão Jean Azevedo observa que vai ser difícil superar Gonçalves e Coma, mas quer ser novamente o melhor brasileiro na disputa. Ele também falou sobre a especial desta sexta: “Foi uma especial curta, mas bem gostosa, bem prazerosa de pilotar, sinuosa, bastante navegação. Uma região bonita no início dela, onde era uma antiga estrada de trem. Agora é só terminar, tentar manter a terceira posição. Subir mais fica difícil”.

Como foi a 6ª etapa – 29/8
Percurso em forma de laço: Diamantina (MG) a Diamantina (MG)
Deslocamento Inicial: 0 km
Trecho Cronometrado: 178,87 km
Deslocamento Final: 25,42 km
Total: 204,29 km

Ainda em regime “Maratona”, a especial começou na saída do parque fechado. Os participantes passaram por uma zona de radar inicial de 19 km. Foi sem dúvida uma das mais belas e completas especiais. Teve passagem por trechos estreitos de uma antiga ferrovia com muitas pedras, erosões e muita navegação. A prova ficou mais rápida com estradas de média velocidade. A etapa teve duas zonas de radar. Na sequência, o trecho seguiu bem travado, com subidas de serra, dificultada ainda por muitas curvas, erosões, pedras, travessia de rios e um visual fantástico. O último quarto da prova foi mais rápido, em estradas de piçarra e cascalho predominando estes pisos até o final da especial.

* – Na etapa MARATONA as equipes de apoio não puderam realizar a manutenção dos veículos para encarar uma nova etapa no dia seguinte. O único autorizado a realizar modificações nas máquinas foi somente o piloto, que para isso tem em torno de 30 minutos para fazer qualquer reparo mínimo que precisar na moto. Isso dificultou muito a vida dos competidores.

Resultados 6ª etapa – categoria motos
1º Paulo Gonçalves (POR) #1 – 2h24min25s
2º Jean Azevedo (BRA) #5 – 2h26min08s
3º Marc Coma (ESP) #2 – 2h26min49s
4º Sam Sunderland (GBR) #16 – 2h27min34s
5º Jordi Viladoms (ESP) #3 – 2h28min20s

Resultado acumulado após 5 etapas – categoria motos
1º Marc Coma (ESP) #2 – 16h45min39s
2º Paulo Gonçalves (POR) #1 +4min36s
3º Jean Azevedo (BRA) #5 +13min29s
4º Helder Rodrigues (POR) #4 +19min17s
5º Jordi Viladoms (ESP) #3 +23min07s

Como será a 7ª e última etapa – 30/8
Percurso: Diamantina (MG) a Belo Horizonte (MG)
Deslocamento Inicial: 54,38 km
Trecho Cronometrado: 125,88 km
Deslocamento Final: 151,96 km
Total: 336,96 km

Neste sábado (30), chega ao fim mais uma edição do Rally dos Sertões. O último dia de prova terá o total de 336,96 km (54,38 km de deslocamento inicial, 125,88 km de especial e 151,96 km de deslocamento final). A última etapa começa com um deslocamento inicial de 54 km por estrada de terra. A especial será rápida, com piso de cascalho e travessia de rio. Depois, segue por estradas de piçarra com muitas lombas e mata-burros. A prova segue por um trecho de trial, subindo e descendo uma serra. A última parte é mais rápida, porém muito sinuosa. O deslocamento final será por asfalto até a chegada em Belo Horizonte, na Praça Geralda Damata Pimentel, na Lagoa da Pampulha, próximo à Igreja de São Francisco de Assis.

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Roteiro do Rally dos Sertões 2014

Entre Goiânia e Belo Horizonte, o Sertões passará por mais cinco cidades. Três são sede do rali pela primeira vez: a goiana Catalão e as mineiras Paracatu e São Francisco. Completam o percurso, Caldas Novas (GO) e Diamantina (MG), que já receberam o Sertões em outras edições. São sete etapas até a chegada no dia 30 em Belo Horizonte e mais de 2,6 mil km percorridos.

A prova iniciou com 197 competidores no total (incluindo carros, quads, UTVs e caminhões) e pilotos de seis países, além do Brasil: Chile, Espanha, França, Polônia, Portugal e Reino Unido. Nas categorias motos e quads, o Sertões também é válido pelo Mundial de Rally Cross Country da FIM (Federação Internacional de Motociclismo).

A capital mineira prepara uma festa para receber os participantes da principal prova off-road do país. A previsão é que os pilotos comecem a chegar, a partir das12h, na rampa montada na Praça Geralda Damata Pimentel, na Lagoa da Pampulha. Gratuito e aberto ao público, o evento, que vai até as 18h, faz parte da programação da Virada Cultural da cidade. Para fechar a 22ª edição do Rally dos Sertões, toda a caravana da competição estará na festa de encerramento à partir das 21h, no Music Hall. Quem quiser participar da confraternização, poderá fazê-lo, mediante compra de ingresso.

Para ver o resumo das etapas anteriores, clique no link correspondente:

Detalhes da competição /  Primeira etapa / Segunda etapa / Terceira etapa

Quarta etapa / Quinta etapa