Foto: O goiano Wellington Garcia venceu pela 1¦ vez a MX2

Duelos marcam sexta etapa do Brasileiro

Foto: O goiano Wellington Garcia venceu pela 1¦ vez a MX2

Foto: O goiano Wellington Garcia venceu pela 1¦ vez a MX2

Santa Luzia (MG) – Duelos de arrepiar dentro da pista e emo‡äes de sobra para o p£blico que lotou as arquibancadas para assistir a sexta etapa do Campeonato Brasileiro de Motocross, neste domingo, no Megaspace, em Santa Luzia, cidade da regiÆo metropolitana de Belo Horizonte (MG).

Cento e cinqenta e nove pilotos disputaram as cinco categorias da competi‡Æo. Cezar Zamboni venceu na 65cc, Hector Assun‡Æo na 85, Wellington Garcia ganhou na MX2, Milton Becker faturou a MX3 e JoÆo Marronzinho garantiu a primeira posi‡Æo na MX1.

Emo‡Æo … flor da pele
A primeira categoria a entrar na pista foi a MX3, para pilotos com mais 34 anos. E quem pensou que nÆo haveria disputa emocion! ante, se enganou. Milton Becker largou bem e saiu na dianteira. Nico Rocha, em segundo, cometeu um erro e saiu da pista, retornando em seguida, mas nessa altura Becker j  havia se distanciado.

Nico nÆo desistiu e acelerou forte e colou em Becker e os dois foram disputando cada palmo do tra‡ado. No final, prevaleceu a experiˆncia do catarinense 11 vezes campeÆo nacional e Becker cruzou a linha de chegada em primeiro, apenas 42 cent‚simos … frente de Nico. Foi um belo presente para a plat‚ia, que se levantou para assistir o duelo.

Foto: JoÆo Marronzinho venceu na MX1 e manteve a lideran‡a do Campeonato

Foto: JoÆo Marronzinho venceu na MX1 e manteve a lideran‡a do Campeonato

“A corrida de hoje mostrou que a categoria MX3 tamb‚m tem belas disputas e o gate est  sempre cheio. Foi uma prova bacana e somei importantes pontos no campeonato”, afirmou Becker, l¡der da categoria com 131 pontos.

Depois entraram na pista as crian‡as da 65cc, com pil! otos de 7 a 11 anos de idade. Meninos e meninas tamb‚m deram u! m show … parte e garantiram a diversÆo do domingo. Cezar Zamboni foi o melhor e faturou a prova, marcando 25 pontos no campeonato.

Na seqˆncia vieram as 85 cilindradas e Hector Assun‡Æo, Gabriel Gentil e Eduardo Lima protagonizaram belas disputas at‚ a primeira metade da corrida. At‚ este momento Gentil fez bonito e levantou a plat‚ia, mas quem se deu melhor foi Hector, que conseguiu abrir distƒncia dos advers rios e cruzar a linha de chegada em primeiro.

Quando terminou a corrida, Hector jogou a moto no chÆo, deitou-se na terra e foi abra‡ado pelos colegas e equipe. Depois foi at‚ a arquibancada festejar com o p£blico. Gentil, em segundo, nÆo venceu na pista, mas faturou o primeiro lugar no carisma”. Embalado por uma m£sica do grupo inglˆs Queen, fez o p£blico dan‡ar e bater palmas e depois ainda jogou a camisa para a arquibancada. Um verdadeiro showman.

MX2 – Chegou a hora da categoria mais emocionante do Brasileiro de Motocross. No gate de largada, 40 motos – o limite permitido pelo regulamento. Placa de 15 segundos ‚ mostrada, depois de cinco e o ronco dos motores aumenta. Sinal verde e l  vÆo eles.

Marcello Ferreira Lima e Wellington Garcia se destacam logo na primeira volta e conforme a corrida avan‡a, ambos se revezavam na primeira posi‡Æo. Wellington Garcia conseguiu passar novamente e se distanciar e manteve a primeira coloca‡Æo at‚ o final. Foi a primeira vit¢ria de Garcia, de Goiƒnia, na categoria MX2.

MX1- A prova mais esperada pelo p£blico ficou para o final. Al‚m de ser a categoria mais forte do Campeonato, com mot! os mais potentes e os melhores pilotos, um dos competidores ti! nha toda s as aten‡äes do p£blico e da m¡dia: o mineiro Jorge Balbi, representante do Brasil no AMA Motocross, campeonato norte-americano da modalidade nos Estados Unidos – um dos mais disputados do mundo.

Balbi veio para o Brasil apenas para correr em Minas Gerais e era o favorito na MX1. No s bado fez o melhor tempo nos treinos classificat¢rios e colocou mais de dois segundos de vantagem em JoÆo Paulino, atual l¡der do Campeonato Brasileiro.

O dia parecia ser de Balbi. Ele largou na frente e abriu grande vantagem para JoÆo Paulino. Parecia que faria a festa em territ¢rio mineiro. Parecia. Primeiro foi uma queda, o que lhe tirou a lideran‡a da corrida. Voltou com tudo em segundo e come‡ou a perseguir JoÆo Paulino at‚ fazer a ultrapassagem e mais uma vez Balbi estava liderando a corrida.

A alegria do p£blico nÆo durou muito. Balbi cai novamente e desta vez as not¡cias nÆo eram boas: ele machucou o p‚ direito, que j  havia torcido nos Estados Unidos. Sentiu bastante e o ritmo caiu. Com dores, nÆo conseguiu alcan‡ar JoÆo Paulino, que terminou a prova na primeira coloca‡Æo, com Balbi em segundo.

65cc – Cezar Zamboni, Everaldo Rodrigues
Caio Cardoso, Thiago Formehl, Marcos Holtman

85cc – Hector Assun‡Æo, Gabriel Gentil
Eduardo Ferreira Lima, Rodrigo Rodrigues
Gabriel Ferreira

MX1 – JoÆo Paulino da Silva
Jorge Balbi ,Cristofer Castro
Massoud Nassar ,Kristofer Florenzano

MX2 – Wellington Garcia , Leandro Nunes
Marcello Ferreira Lima, Lucas Moraes
Rodrigo Selhorst,
MX3 – Milton Becker, Nico Rocha
Leonardo Muller, Jaques Pich
Mario Teixeira

Classifica‡Æo do Campeonato
65cc – Cezar Zamboni – 90
E veraldo Rodrigues – 80
Daniel Guelman – 68
Caio Cardoso – 57
Marcos Holtman – 55

85cc – Eduardo Ferreira Lima – 114
Rodrigo Rodrigues – 102
Gabriel Gentil – 89
Hector Assun‡Æo – 71
Gabriel Ferreira – 61

MX1 – JoÆo Paulino da Silva – 124
Jorge Balbi – 95; Roosevelt de Freitas – 86
Douglas Parise – 67 ; Cristofer Castro – 64

MX2 – 1. Leandro Nunes – 130
2. Marcello Ferreira Lima – 102
3. Wellington Assun‡Æo – 93
4. Lucas Moraes – 69; 5. Rodrigo Selhorst – 52

MX3 – Mi lton Becker – 131; Nico Rocha – 110
Leonardo Muller – 79; Alexandro Martins – 77
Mario Teixeira – 50