e as bruxas andam à solta este ano!

e as bruxas andam à solta este ano!

Irmãos,

Não acredito em bruxas e muito menos em ano dedicado a elas, mas elas existem e alguns comportamentos podem representar vantagem para elas. Em menos de um ano perdemos mais colegas que nos anos anteriores.

Alguns fatores merecem destaque e reflexão.

A melhoria da economia, apesar de muito dizerem que não, permitiu que as motos maiores ficassem mais acessíveis quanto ao preço e facilidade de pagamento. Isso permitiu que muitos motoristas clássicos e antigos adquirissem uma moto com cilindrada maior que 500cc. Tal fato ajudou a crescer o número de pessoas viajando, pois também descobriram a maravilha que é o mototurismo. Porém esquecem que o motociclismo de estrada pede respeito e observação a uma filosofia que prega além da liberdade a segurança em duas rodas.

Uma parte dos novatos e outra parte dos veteranos que mudaram de cilindrada andam exagerando e abusando da sorte aliando-se à imprudência. Alguns novatos transferem hábitos de motorista para a motocicleta e assim compram chão. Se é para fazer isso, meu conselho é : não ande de moto. Continue de carro, pois a chance de escapar de um acidente em um carro, por imprudência, é muito maior que numa moto. Pilotar com liberdade nada tem a ver com a libertinagem da pilotagem.

Os acidentes de moto são semelhantes aos de avião pelo estrago que causam e pelas razões pelas quais acontecem. Se um urubu pode derrubar um avião imagine o que um sibite não pode fazer a uma moto, ehehe. São vários fatores combinados que provocam acidentes fatais em motos de grande cilindrada. Vamos citar alguns dos mais comuns:

Falta de equipamento adequado.

Falta de experiência e de costume de pilotar aquele tipo de moto. Muitos saem do carro direto para uma moto de 1000cc e tiraram

habilitação em uma moto de 125cc, em primeira marcha.Um novo motociclista numa condição dessas corre grande risco.

Bebida alcoólica durante viagens, passeios e encontros. Deixe para tomar todas quando chegar ao destino. Esta cerveja tem um sabor inigualável.

Excesso de velocidade. Não corra, desfile!

Pilotagem agressiva em vez de pilotagem defensiva. Você já ouviu dizer que pilotamos para nós e pelos outros. Continue pensando assim.

Viajar só. Muitos saem apenas com o garupa em viagens longas e em motos que não podem ser consertadas numa estrada. Algumas motos modernas te deixam na estrada por conta de um sensor. Isso também precisa ser avaliado antes de pegar uma estrada. Não existem motos 100% confiáveis. Existem motos que demoram a quebrar ou que podem ser facilmente consertadas.

Rodar à noite. Veja e seja visto! Se as condições da estrada não te permite isso, então mude o horário e pratique a paciência. A diferença entre um piloto de avião em guerra e um piloto de avião em tempo de paz é que na primeira ele tem que voar de qualquer jeito. Já no segundo caso, só decola se der.

Enrolar o cabo até ir á final da moto e o pior: estão fazendo isso à noite e com garupas. Pegas ou arrancadas em ruas ou rodovias nunca foram boas idéias. Quer arrancar? Temos um autódromo bacana pra isso.

Desrespeito as faixas duplas e ultrapassagem em lombadas. Abriu, passou. Será?

Excesso de confiança. Os índices de acidentes são maiores com 4 meses de habilitação e depois após dois anos. Motivo: excesso de confiança. O mesmo problema que causa a queda de aviões por falha humana.

Infelizmente sempre tem que existir um chato (eu) que preocupado em não mais escutar notícias ruins resolve pedir aos colegas que aliviem um pouco e se precavenham mais. A namorada do Alexandre `Doido'( Guerreiros do Rock), Isabelle, certa vez disse a ele uma frase interessante: ” Amor, não precisa correr. Numa moto dessas você tem que andar desfilando. Senão as pessoas não veem.” O

Doido desenrolou o cabo. É um bom começo.

É possível beber e andar de moto? NUNCA! Uma hora dá errado, mesmo ao mais experiente motociclista. “Beber, cair e levantar”, como diz a letra de uma música de forró, só para quem está a pé. Andar de tênis, sem proteção de pernas e cotovelos, sem colete e luvas, sem jaqueta é ser um sério candidato ao IJF. Claro que andar de moto na cidade com tudo isso pode ser um exagero, então, exatamente por isso, use pelo menos o mínimo necessário.

Não viaje à noite. MOTO NÃO TEM FAROL e os bichos usam a estrada à noite como dormitório! Quem voa de noite é morcego e coruja. Os belos pássaros voam de dia.

Cuidado com as ultrapassagens. Muitos possuem motos acima de 1200cc e acreditam que cabem em qualquer espaço. Outro erro grave. Às vezes conseguem ultrapassar, mas acabam batendo na traseira de outro carro quando não se acabam de frente com o que vem na faixa contrária. Ultrapassar em faixa dupla ou pelo acostamento é dar chance às bruxas. É pela direita que mais acontecem acidentes com moto.

Andar de moto deve ser sempre prazeroso e, ir e voltar em segurança com belas fotos (ao estilo do meu amigo e fotomotocilista, Luiz Almeida), contar boas histórias é um dos grandes objetivos do motociclismo, além de fazer amigos. Eu uso minha moto diariamente, como muitos outros colegas que escolhem este meio de transporte para ir e voltar do trabalho. Nas minhas idas e vindas já socorri alguns motoqueiros. Sempre que vejo o acidente percebo o quanto alguns pequenos detalhes fazem uma grande diferença. Qualquer um pode `andar’ de moto, mas poucos conseguem ser motociclistas e ser um motociclista não é viver o hoje a qualquer custo, mas rodar o máximo que puder em uma estrada que nunca acabe pra nós.

Não existe prazer sem prevenção e proteção. Continuo a não acreditar em bruxas, mas elas existem e pelo jeito, ainda por muito tempo.

Portanto, desfile, passeie e faça parte da paisagem. Seja feliz e sem medo, mas com total segurança.

A gente se vê na estrada! Luis Sucupira MC Guerreiros do Sol – Brazil Riders



Motociclista desde os 18 anos. Jornalista e apaixonado por motos desde que nasceu.