Foto: trƒnsito doido

Editorial, mercado, Alma Selvagem e gravidade

Foto: trƒnsito doido

Foto: trƒnsito doido

Caramba meu, parab‚ns pela mat‚ria “3 minutos para viver”, s‚rio mesmo, ‚ de arrepiar os cabelos do sovaco!. Fechou com chave de ouro.
Everton – Santa B rbara dOeste – SP
Tite, muito bom o texto do Trˆs Minutos para Viver – I e II. Espero que algu‚m da ” rea oficial” tenha tempo para ler e fa‡a algo por n¢s, motociclistas. Parab‚ns.
Edson -SP – SP
Li a mat‚ria trˆs minutos para viver e imediatamente recordei de uma estrada, SP127 acesso a Cerquilho, onde numa CURVA h  faixas transversais, bem altas por sinal, que servem de sinalizador, para os carros claro, me lembro de ter comentado com minha companheira “Isso molhado da um tombo espetacular”. SÆo paulo ‚ s¢ aponta do iceberg.
Ciro – Iper¢-SP
Grande Tite, acabei de ler o editorial “Trˆs minutos para viver” e posso lhe confessar claramente que foi o melhor manual tipo resumo que li na vida. Acabei de receber minha habilita‡Æo. Se antes nessas ruas cheias de armadilhas j  tinha com o que se preocupar, agora vejo que devo me preocupar mais ainda.
Yuri – Campina Grande, PB
Gostaria de parabenizar pelo excelente texto, aposto que a partir de agora teremos mais de 200mil acessos com um pouco mais de educa‡Æo e incentivo … consciˆncia cr¡tica/reflexiva. se nossos governantes lessem motonline aprenderiam muito nÆo s¢ sobre motos, teriam tamb‚m ¢timas li‡äes sobre pol¡tica. continuem assim, espero que a semente seja plantada.
Kuila – salvador-ba
Perfeita a an lise na mat‚ria “Trˆs minutos para viver”. Sou motociclista h  32 anos e o £nico tombo que levei foi causado por uma mancha de tinta refletiva (disfar‡ada) na sa¡da do t£nel do Pasmado no Rio. Gostaria apenas de acrescentar, como exemplo de falta de sensibilidade das autoridades do trƒnsito, a obrigatoriedade das motos andarem na faixa da direita na linha vermelha aqui no Rio. Justamente onde os motociclistas tˆm menos visibilidade (“nibus, vans) e os carros param sem sinaliza‡Æo. Outro problema ‚ a falta de respeito m£tuo entre motociclistas. Para os meus filhos que estÆo come‡ando agora digo: se estiver atrasado NÇO v  de moto.
Alexandre – Rio de Janeiro – RJ
Acesso quase diariamente o motonline e cada vez que leio mat‚rias como: Trˆs minutos para viver – Parte I e Parte II tenho a certeza de que vocˆ Tite ‚ uma das poucas cabe‡as pensantes que gostam do que fazem. Preocupar-se com os outros ‚ algo que faz a diferen‡a. Continue assim, pode ser que algu‚m que leia as mat‚rias mude de opiniÆo e de atitude e possamos fazer desse ca¢tico mundo sobre rodas, algo que possa d  prazer. S¢ quem tem a “alma selvagem” e descobriu que “o mundo ‚ uma roda” tem essa consciˆncia.
Geriberto – Parnamirim – RN
Tite, parab‚ns pelo Editorial “Trˆs minutos para viver”, com suas s bias palavras consegue traduzir essa loucura di ria que ‚ o trƒnsito nas grandes cidades. Ontem no Programa do J“ (GLOBO) vi uma entrevista muito interessante, com opiniäes sensatas e inteligentes sobre outro grave problema social: o tr fico de drogas e a violˆncia urbana. Pensei: opiniÆo sensata, inteligente, com conhecimento de causa. Lan‡o aqui uma convoca‡Æo a todos os Motonliners: vamos levar o Tio Tite ao Programa do J“, o lugar certo para divulgar o bom motociclismo, suas id‚ias e ainda sacanear aquele gordo duvidoso! No site http://programadojo.globo.com/, clicar no ¡cone “O Programa” e depois “SugestÆo de Pauta”. Sugiro que enchamos o site com mensagens indicando o Tite para ser entrevistado. Com o n£mero de acessos di rios do Motonline nÆo vai ser dif¡cil convecˆ-los, mesmo que pela insistˆncia.
Ralph – Niter¢i, RJ

R: Agrade‡o as mensagens. Ralph, o problema ‚ que o J“ NÇO gosta de moto nem de motociclista. Se eu for l  serei alvo de uma s‚rie de piadinhas e provoca‡äes da parte dele e corremos o risco de a entrevista acabar me ridicularizando. Prefiro outros programas menos tendenciosos.

Mercado
Ol  Tite. Nas cartas de 04/11/07 o leitor Wellington – Belo Horizonte, MG, diz que tem uma 250cc e est  subindo de degrau em degrau. Por‚m quer mudar da 250 para uma 600cc em forma de boicote a Falcon e gs500 por serem um projeto ultrapassado. NÆo acho que boicote nas 400 e 500 nÆo seja a forma correta, pois a¡ ‚ que vÆo ficar cada vez mais ultrapassadas e as 600 mais avan‡adas e caras. Imaginem, quanto mais a gs500 vender, mais a honda, yamaha e outras irÆo querer comer est  fatia do mercado lan‡ando motos novas, e quanto mais 600cc encalharem mais o pre‡o cai.
JoÆo – Vitoria – ES

AlmaSelvagem
Tite, nÆo sei nem com come‡ar, eu comprei seu livro e DVD, ja come‡ei a ler o livro e assistir o filme, mas termin -los apenas em dezembro, pelo que ja li e assisti, tenho apenas que parabeniz -lo, pela atitude a vontade de atender bem seus leitores e fans, porque autografar todos os livros e DVDs nÆo ‚ para qualquer um. Fica aqui um abra‡o e que tudo que vocˆ planeje de certo pois meu apoio sempre ter . Obs: Trˆs minutos para viver, muito bom mesmo!
C¡cero – Po‡os de Caldas, MG

Gravidade
Tite, ‚ a primeira vez que escrevo para o motonline e ‚ para discordar de vc, engrossando o coro dos leitores que, como eu, enxergam a questÆo do centro gravitacional de outra forma. comecemos: no caso do conjunto (moto-piloto) o centro G deve ser considerado um s¢ (uma massa em movimento), e a posi‡ao do piloto influencia na localiza‡ao desse centro, para encont -lo deve-se levar em considera‡ao o espa‡o q a massa ocupa. ‚ facil fazer uma experiencia para provar: com a moto parada no descanso central, suba e coloque todo seu peso na pedaleira direita. onde estar  o centro gravitacional? depois, sentado, encline-se o m ximo para a direita, como se fosse uma curva. provavelmente a moto quase cair . pra onde foi o centro gravitacional? o centro gravitacional deslocou-se com a massa para a direita, o q faz com q a moto caia. bom, daria para escrever um livro, mas vou me conter. qnd os pilotos fazem as curvas eles se inclinam para o lado para levar o ponto gravitacional para o lado da curva(indepemdente da pedaleira), o que ajuda a controlar a for‡a centr¡fuga. al‚m de serem ajudados pela resistencia do ar, que freia a moto no lado interno da curva, como no leme do aviÆo. acho que precisaremos de um professor de fisica para resolver esse impasse.
vinicius – paises baixos

R: Vini, eu nÆo sou professor de F¡sica, mas sou professor de pilotagem. Fui me especializar nos EUA e Europa e esse papo de abrir a perna e inclinar nas curvas como forma de aumentar a resistˆncia do ar e funcionar como leme ‚ uma grande mentira! J  deciframos o enigma do CG.  muito simples: esqueci de mencionar que a moto nÆo roda sozinha, precisa de um piloto. O c lculo do CG ‚ piloto+moto. Qdo o piloto fica em p‚ na pedaleira ele eleva o CG DELE, mas rebaixa o CG do conjunto moto+piloto. Um perua Kombi ‚ inst vel porque ‚ alta, mas se colocar um monte de saco de areia no piso dela a estabilidade melhora porque rebaixa o CG. Qdo o piloto fica em p‚ na pedaleira ele desloca o CG DELE pra cima, mas o peso dele na pedaleira rebaixa o CG da MOTO. A resultante ‚ CG mais baixo do CONJUNTO!!!