Foto: Tite ator de document rio

Em busca de um sonho

Foto: Tite ator de document rio

Foto: Tite ator de document rio

Por que ‚ tÆo dif¡cil conseguir patroc¡nio dentro do mercado de motos? Ser  que falta dinheiro nesse mercado? Ou o mercado nÆo d  valor quando o assunto ‚ seguran‡a?. H  mais de seis anos gra‡as …s conspira‡äes c¢smicas que tanto PlatÆo falava quatro s‚culos antes de Cristo, reencontrei o velho amigo Renzo Querzoli em um evento. Somos uma esp‚cie de dinossauros do motociclismo e nos anos 80 j  faz¡amos trilha de moto com as her¢icas DT 180 e XL 250. Quis a vida que nossos rumos seguissem dire‡äes opostas at‚ que os astros deram uma for‡a e nos reencontramos para iniciar um projeto capaz de reunir nossas grandes paixäes (ˆita conversa esquisita…): moto, cinema e pilotagem.

Foi assim que nasceu um produto: um filme sobre motociclismo. Um filme nÆo, um projeto que compreende uma cole‡Æo de DVDs com conte£do nunca antes visto no Brasil. No primeiro plano pensamos em fazer o tÆo desejado filme sobre t‚cnicas de pilotagem esportiva. Em seguida o produto foi tomando novas formas e nasceu a cole‡Æo que teria um DVD sobre pilotagem, outro sobre tuning, outro mostrando as turmas que se re£nem em motoclubes, um sobre turismo etc, etc.

Foto: A piloto da categoria 250 tamb‚m aparece

Foto: A piloto da categoria 250 tamb‚m aparece

A id‚ia parecia tÆo boa que investimos tempo e neur“nios no desenvolvimento do menu de cada um desses DVDs. Foram intermin veis horas produzindo roteiros, os famosos power point do Renzo, projetos e mais projetos.

De posse do primeiro or‡amento sa¡mos em busca da verba necess ria. O sonho virou pesadelo.

Ou n¢s somos duas grandes bestas quadradas, com inteligˆncia abaixo da mediocridade, ou esse mercado de motos ‚ realmente POBRE DEMAIS. Uma vez a Isabel Reis, vice-presidente da Motorpress Brasil – editora da revista MOTOCICLISMO – fez um discurso brilhante. Falou na cara dos representantes do mercado que o mercado brasileiro de motos podia ser imenso, mas era muito POBRE. Foi de uma coragem ¡mpar, mas absolutamente verdadeira.

O primeiro or‡amento para fazer a “cole‡Æo SpeedMaster” era de R$ 250.000.  menos do que custa um an£ncio de p gina dupla da revista semanal Veja, que fica na banca UMA semana.

Diante de v rias recusas – inclusive das montadoras brasileiras – refizemos o projeto, cortamos v rios extras e chegamos em um novo produto. UM filme sobre o amor pela moto. O t¡tulo traduz tudo: Alma selvagem: amor por motociclieta. O or‡amento caiu para R$ 50.000 sem abrir mÆo da qualidade que um grande cineasta, especializado em publicidade, e diretor do n¡vel do Renzo faz questÆo de manter.

Sa¡mos em busca de alguma empresa que tivesse interesse em investir 50 mil reais em um filme in‚dito, de qualidade, que trata do amor pela moto. Perdi a conta de quantas empresas visitamos e procuramos: montadoras, f bricas de capacetes, associa‡äes de marcas, fornecedores, importadores, petroleiras, lojistas, etc etc. Sem obter NENHUM resultado positivo. D  at‚ vontade de publicar o nome de todas elas para que vocˆ saiba quem despreza as boas id‚ias.

Ou o mercado nÆo quer ver esse filme que mostra a moto como objeto de paixÆo e amor, ou realmente essas empresas estÆo … beira da falˆncia a ponto de nÆo dispor de R$ 50.000 para investir nesse produto.

Tomamos uma decisÆo: vamos come‡ar a filmar, nÆo podemos esperar mais. Fizemos as primeiras imagens em Interlagos, durante uma etapa do campeonato brasileiro de Motovelocidade. Vamos continuar em busca desse sonho, com ou sem apoio das empresas do setor. Mas se vocˆ a¡, leitor, empres rio, publicit rio, piloto, importador, comerciante, industrial, qualquer pessoa que VIVA do mercado de motos quiser investir em um produto que ‚ certeza de sucesso nos procure.

Para mim esse “fracasso” na busca de patroc¡nio nÆo ‚ novidade, pois vivi isso recentemente quando publiquei o livro de cr“nicas inteiramente com investimento pr¢prio. Na minha ingenuidade pensei que um jornalista com 25 anos de presen‡a no mercado, que ajudou essas empresas a venderem seus produtos conseguiria um apoio facilmente. Ah, que bobagem a minha… o mercado quer que o Geraldo Tite Simäes limite-se a escrever sobre motos. Que ajude a vender mais motos, capacetes, macacäes, pneus, gasolina, ¢leo, corrente, vela etc etc, mas o mercado nÆo QUER ajudar o Geraldo Tite Simäes a realizar um projeto pessoal que trata do amor pela moto.

Quando decidi lan‡ar o livro por meios pr¢prios tamb‚m fui ingˆnuo ao acreditar que em um marcado onde sÆo comercializadas 1,5 milhÆo de motos por ano seria f cil vender toda a tiragem de um livro que trata do amor pela moto. Parece mais uma piada, mas em quatro meses os resultados de venda – 40% – apontam para mais um fracasso editorial! Como bom ariano que sou, j  estou preparando o volume 2 do O Mundo  Uma Roda. Quem sabe serei o futuro campeÆo de vendas… em sebos!

Aposto meu hist¢rico profissional como o filme Alma Selvagem sair , com ou sem patroc¡nio. L  vamos n¢s, eu, Renzo e uma equipe de abnegados colaboradores continuar as filmagens. E quando finalmente estiver pronto, vocˆ ter  o privil‚gio de adquiri-lo s¢ aqui, pelo Motonline. Se a gente nÆo falir antes!