Engenharia da mobilidade brasileira faz seu maior evento

Maior evento técnico direcionado aos profissionais da indústria automotiva brasileira, o SIMEA 2009 – Simpósio Internacional da Engenharia Automotiva, organizado pela AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva, estima receber em sua 17ª edição cerca de 700 participantes no Milenium Centro de Convenções, em São Paulo, nos dias 16 e 17 de setembro.

Este ano, o simpósio desenvolve o tema -Responsabilidade Sócio Ambiental da Engenharia da Mobilidade Brasileira: máquina e meio ambiente em equilíbrio sustentável-, subdividido em quatro paineis de trabalho – Responsabilidade Social na Engenharia da Mobilidade: a integração do portador de deficiência física; -A Reciclabilidade no Setor Automotivo; Alternativas para Reduções e Controle de Emissões Veiculares e Melhorias Sócio-Ambientais no Trânsito. E mais 47 trabalhos técnicos serão apresentados, de um total de 84 inscritos, recorde do SIMEA.

–Com o tema central e os paineis, o simpósio pretende disseminar informações que aliam a Engenharia da Mobilidade Automotiva às responsabilidades sócio ambientais dos agentes do setor, ao abordar temas como a integração de portadores de deficiência física no universo da mobilidade urbana, a reciclagem dos veículos, os biocombutíveis e alternativas modernas para a redução das emissões de poluentes por veículos automotores e, ainda, os problemas de trânsito e segurança nas cidades–, argumenta Luís Afonso Pasquotto, presidente da Comissão Organizadora do SIMEA 2009.

No dia de abertura do SIMEA 2009, 16 de setembro, no Painel I, sob o tema -Responsabilidade Social na Engenharia da Mobilidade: a integração do portador de deficiência física-, Koji Okawa, diretor de engenharia da Toyota do Brasil, mostra como as montadoras encaram a questão; a deputada estadual Célia Leão fala sobre a mobilidade na visão dos demandantes e Marcos Belizário, secretário municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, discorre sobre qual é o papel do governo.

-A Reciclabilidade no Setor Automotivo- é o tema do Painel II, com a participação do Ministério do Meio Ambiente, encarregado de debater -A realidade brasileira em reciclagem automotiva-; enquanto Neival Freitas, diretor executivo da Fenseg, discorre sobre as experiências na reciclagem de componentes de veículos e, por final, o engenheiro Rubens Palmejan, da Cummins, fala sobre a reciclabilidade de motores.

Com o tema -O Futuro do Etanol e a sua Aplicabilidade na Matriz Energética Mundial-, de autoria de Marcos Sawaya Jank, presidente da ÚNICA, serão abertos os trabalhos do 2º dia do SIMEA 2009, 17 de setembro. -Alternativas para Reduções e Controle de Emissões Veiculares- será o tema do Painel III, no qual Marcelo Rodrigues Soares (gerente de negócios da CPFL), Donald Manvel (presidente AVL Américas) e Celso Macarini (coordenador da Comissão Especial de Veículos Diesel da AEA) colocam em debate, respectivamente, os temas -Veículo Leve para Pequenas Cargas – O Primeiro Passo de um Veículo Elétrico Brasileiro feito em alumínio-, -Novas Fontes Energéticas Veiculares- e -Proposta de Regulamentação de Controle de Emissões de Veículos Diesel-.

O Painel IV, e o último desta 17ª edição do SIMEA, terá o desafio de debater -Melhorias Sócio Ambientais no Trânsito-, com Luiz Imparato (Mobilidade no Trânsito – Impasses da Indústria Automobilística-, Roberto Scaringella (Interação dos Meios de Transporte) e Orlando Moreira (Segurança no Trânsito).

-Com esse escopo de trabalho-, avalia Luís Afonso Pasquotto, -nossa expectativa, minha e da comissão organizadora, é a de realizar o melhor SIMEA de todos os tempos, sobretudo por abordar temas que efetivamente contribuam para a solução dos problemas sócio-ambientais que vivemos. Esperamos chamar a atenção para ações de mais integração, mais facilidade de locomoção dos portadores de deficiência física em nossas ruas, e mesmo nos veículos de transporte, mais consciência na reciclabilidade de produtos automotivos, acelerar tendências a tecnologias amigáveis ao meio ambiente, e por fim contribuir com a melhoria do trânsito nas cidades-.

As atenções dos participantes não devem, no entanto, estar voltadas sobre às questões macros e nacionais da engenharia da mobilidade. Dos 84 trabalhos técnicos inscritos foram selecionados 47, na opinião de Ronaldo de Breyne Salvagni, responsável pela comissão julgadora, são de excepcional qualidade.

-O SIMEA é tradicionalmente conhecido e reconhecido pela qualidade dos trabalhos técnicos apresentados, mais do que pela quantidade. E neste ano não será diferente. Teremos 47 excelentes apresentações, que vão mostrar a tecnologia de ponta que está sendo feita no Brasil, em termos de eficiência energética, meio ambiente, segurança e outros temas que estão na agenda global prioritária do setor automotivo. Representam tecnologia brasileira, contribuindo e sendo incorporada na Engenharia da Mobilidade em escala mundial. Será realmente uma excelente oportunidade para que os profissionais do setor se informem e se atualizem nas suas respectivas áreas-, conclui Salvagni.