Engrenagens lubrificadas

Engrenagens lubrificadas

Engrenagens lubrificadas

O sistema de lubrificação em uma motocicleta é bem diferente dos automóveis, o óleo lubrifica o motor e a caixa de transmissão, além de trabalhar em regimes mais altos.

Além das duas rodas a menos, as motocicletas têm outras grandes diferenças mecânicas com os carros. Um bom exemplo é o sistema de lubrificação de cada um desses veículos. Enquanto nos carros há um lubrificante específico para o motor e outro para a caixa de transmissão, na maioria das motos com motores quatro tempos à venda no Brasil o mesmo óleo que lubrifica cilindros e pistões, lubrifica também a caixa de marchas e a embreagem.

Essa importante diferença técnica mostra que não se pode, em hipótese alguma, usar óleo para automóveis em motos e vice e versa. O engenheiro Celso Cavallini, da Esso Brasileira de Petróleo, que fabrica os óleos Mobil, diz que as peculiaridades não param por aí. -Além disso, o volume de óleo em um carro é de cerca de quatro litros, já nas motos menores, esse volume não passa de dois litros. Esse é outro fator importante -, alerta.

A embreagem úmida das motos demanda um óleo de composição mista, explica Cavallini, ou seja, sem os redutores de atrito utilizados nos lubrificantes dos carros. Caso contrário, a embreagem das motos patinaria demais.
Outro fator levado em conta para se desenvolver um óleo para motocicletas é a alta rotação dos motores das motos. Por exemplo, um carro tem potência máxima a 4.000 rpm, já uma moto produz a potência máxima na faixa dos 7.000 rpm. -Com isso a temperatura do motor é bem mais alta. O óleo de moto tem de ser mais robusto e resistente -, conclui o engenheiro.
Outra função importante do lubrificante das motos é a refrigeração do motor. Motos, como a Honda CBX 250 Twister, e a maioria dos modelos até 250 cc, não têm refrigeração líquida. O óleo auxilia também na refrigeração do motor – em conjunto com o ar, por isso se chama refrigeração mista (ar+óleo). Quando bem refrigerado, o motor trabalha na temperatura certa, evitando assim desgaste excessivo dos componentes.

O óleo certo – Outra dica importante do engenheiro é quanto ao óleo correto a utilizar em sua moto. -Deve-se sempre seguir a recomendação dos fabricantes -, sentencia. Nada de seguir apenas as normas API (SF, SG) feitas para os automóveis. – O que importa no óleo de moto é a sigla -Jaso-, uma norma japonesa feita exclusivamente para motocicletas. Mas seguindo o que manda o manual do proprietário, não tem como errar- , complementa.

Por isso é importante ler o manual do proprietário de cada moto e usar o óleo recomendado pelo fabricante que, segundo Celso, já realizou longos testes em diversas condições para saber o tipo de óleo e a quantidade correta a ser colocada na moto.

A hora certa – Na hora do cliente trocar o óleo sempre fica uma dúvida: com quantos milhares de quilômetros deve-se trocar o óleo da moto? Nada de seguir o que diz o senso comum. Uns falam em 1.500 km, outros 3.000 km. – No manual, o motociclista também encontra esta informação -, adianta Celso.

Os fabricantes ainda costumam advertir sobre condições severas de uso, como por exemplo, em estradas de terra, onde há muita poeira.

Nesses casos, geralmente previstos no manual, recomenda-se diminuir o intervalo entre as trocas de óleo.

Outra dica importante é verificar o óleo periodicamente, se possível toda semana, e completar o nível se for necessário. Por último, vale lembrar que para um bom funcionamento do sistema de lubrificação deve-se trocar o filtro de óleo e o filtro de ar, nós intervalos indicados no manual do proprietário. Isso para evitar que partículas sólidas se acumulem no motor e aumentem o desgaste natural dos componentes.

BOX
5 dicas sobre lubrificação de motos
1 – Nunca use óleo de carros em motocicletas
2 – O óleo certo para cada modelo de moto é o recomendado pelo fabricante
3 – Verifique o nível do óleo periodicamente
4 – Em condições severas, como motos que rodam em estradas de terra, os intervalos entre as trocas de óleo deve ser menor
5 – Ao trocar o óleo, faça uma revisão nos filtros de óleo e ar da motocicleta. Substitua-os se necessário