Foto: Tarso Marques - Bitenca

Equalização, Moto maior, Muito ou pouco óleo

Foto: Tarso Marques - Bitenca

Foto: Tarso Marques - Bitenca

Sobre o colega motonliner da cb que quer adaptar carburador: Isso a que se refere seria a tal da equalizacao dos carburadores? Eu tenho interesse em saber mais a respeito, os mecanicos nao falam a respeito como se fosse algo tao valioso como enriquecimento de uranio. Quanto a adaptar o carburador a moto perderia a resposta, ficaria muito esquisita, j[a adaptei um carburador de fusca na minha cbx 200, ate anda bem mas fica com uma resposta pior que carro. Da muito trabalho e o resultado final e ruim. obrigado pela atenção. Wagner, 27, Cuiabá, MT

R: Verdade Wagner, dá até raiva os mistérios que os mecânicos fazem a respeito, eles querem valorizar seu conhecimento, isso é até louvável desde que feit com ética. Aguarde que eles serão desvendados nas próximas matérias técnicas. Abraços.

Boa noite Bitenca e CIA, sou fã de vcs, acesso todo santo dia e o site nunca para de melhorar, continuem assim. Seguinte, desde os 18 anos, ando de moto, já tive CG, YBR, e estou de Strada, agora pretendo dar um up, estou decidido a pegar uma GS 500, só falta o test drive pra decisão completa, eu sempre pilotei com estrema cautela e ando devagar, como moro em cidade pequena do interior, posso transitar a 40km/h sem problema, tendo em vista o meu perfil tranquilo, acho que não terei problemas em passar de uma monocilindrica de 200cc para uma bi de 500, como não tenho nenhum amigo que possua uma 500, gostaria de saber se tem algum cuidado especial, alguma dica não muito óbvia para esta troca? Ricardo, 30, Vera Cruz,PR

Foto: Bitenca Trailandia 1973

Foto: Bitenca Trailandia 1973

R: Sem novidades amigo Ricardo. Vai fundo que não deve haver problema nenhum. A dica que poderia dar você já se adiantou, ir tranquilo para aprender como lidar com as diferenças, de peso, de potência etc. Você se acostuma rápido. Boa Sorte.

Olá! Gostaria de saber a possibilidade real da Suzuki do Brasil, nacionalizar e comercializar o modelo GZ 250cc, conhecido como Marauder 250cc. Pois as semelhanças mecânicas com a saudosa Intruder 250cc é enorme; (isso senão for o mesmo motor); e nos Estados Unidos é comercializado a 3799,00 dolares, algo em torno de R$ 8740,00 reais.Como a Suzuki Brasil não tem nada na linha das 250cc, creio que esse é um ótimo modelo. Valeu!! Luis, 35, Rio Grande RS.

R: É Luis, as novas motos estão custando a surgir, se não por conta da crise no Brasil, que é menor que lá fora, será por causa da retração em novos investimentos por parte das matrizes das fábricas. Ainda mais da Suzuki que no nosso país é um fabricante com licença da marca Japonesa as dificuldades podem ser ainda maiores. Na verdade não temos notícia se esse modelo seria fabricado por aqui, mas que fique anotada a sugestão à J. Toledo para lançá-lo. Motocicleta muito interessante por sinal. Abraços.

Bitenca, sobre a proporção de óleo 2T, (carta dos leitores 29/04), me desculpe, mas faço trilha há +ou- 14 anos, e sempre de moto 2T (primeiro Agrales e depois Kawasaki KDX), e sempre usei entre 2 e 2,5% (aliás sempre usei óleo náutico, de motor de polpa) e nunca tive problemas, ñ vou falar q de tempos em tempos abria o motor ou as válvulas de torque (as Agrales acho q nem tinham), mas como disse anteriormente nunca tive problemas c/ carbonização/falta de lubrificação; ou sempre estive errado ou sempre tive muita sorte… Ricardo, 41, Campinas SP.

R: Ricardo, As proporções podem ser as mais variadas, ainda mais se melhorar a qualidade e tipo do óleo. Minha recomendação de 3% é para maior segurança e tranqüilidade usando o óleo normal que o amigo citou. Em corridas com motores preparados e óleo sintético especial chega a 1% ou menos em certos casos, muito relativo. Além do mais o óleo não fornece energia na explosão, por isso os preparadores procuram usar menos para melhor resultado em termos energéticos mas a lubrificação é essencial então fazem um compromisso entre os dois fatores. Abraços