Equipe Petrobras Lubrax garante vaga no Dakar 2007

Na semana passada a organiza‡Æo do Rali Dakar divulgou que as inscri‡äes para a 29¦ edi‡Æo da competi‡Æo haviam se encerrada por excesso de competidores.

Na segunda-feira, dia 19 de junho a Equipe Petrobras Lubrax, a £nica no mundo a competir nas trˆs categorias – moto, carro e caminhÆo – recebeu a confirma‡Æo de um representante da organiza‡Æo que est  garantida a sua 20¦ participa‡Æo consecutiva no Dakar.

“Com esta confirma‡Æo a Equipe Petrobras Lubrax d  in¡cio a uma conquista muito importante para o Brasil. Em um ano que os brasileiros poderÆo comemorar um poss¡vel hexacampeonato da sele‡Æo, n¢s festejaremos nossa vig‚sima participa‡Æo consecutiva no rali”, disse o piloto de caminhÆo Andr‚ Azevedo que j  acumula um t¡tulo de campeÆo na categoria moto maratona em 1991 e um vice-campeonato na categoria caminhÆo em 2003 no Rally Paris-Dakar.

A Equipe Petrobras Lubrax conta com Klever Kolberg no volante da Pajero Full e Eduardo Bampi na navega‡Æo do carro. Andr‚ Azevedo e Maykel Justo formam a dupla de caminhÆo da equipe e completando o time o irmÆo mais novo de Andr‚, Jean Azevedo que pilota a moto KTM.

Para este ano a equipe programa alguns eventos para festejar a data comemorativa nÆo s¢ para o grupo, mas para o Brasil, que j  pode dizer que tem a experiˆncia de duas d‚cadas no rali mais desafiador do mundo e alguns t¡tulos na bagagem: Andr‚ Azevedo: vice-campeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Motos 600 cc (1990); campeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Motos Maratona (1991); vice-campeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Motos Maratona Monocilindro (1994); vice-campeÆo do Rally Dakar-Agades-Dakar – Cat. Motos Produ‡Æo (1997); vice-campeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Caminhäes (2003); Klever Kolberg: CampeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Motos Maratona (1993); vice-campeÆo do Rally Paris-Moscou-Pequim – Cat. Motos Maratona (1995); vice-campeÆo do Rally Granada-Dakar – Cat. Carros Maratona (1999); vice-campeÆo Rally Paris-Dakar-Cairo – Cat. Carros Maratona (2000); vice-campeÆo do Rally Paris-Dakar – Cat. Carros Super Production Diesel (2002) Jean Azevedo: campeÆo Paris-Dakar – Cat Moto Production (1997); bicampeÆo do Rally Paris-Dakar Cat. Moto Production (2003)

Poucas vagas para o Dakar 2007
A not¡cia que as inscri‡äes para todas as categorias do Dakar haviam se encerrado em apenas duas semanas por excesso de competidores e poucas vagas deixou alguns esportistas desolados. Apesar de ser algo recorrente nos £ltimos anos, muitos sonham em realizar a primeira participa‡Æo no evento, mas como os organizadores da competi‡Æo precisam seguir a cartilha nÆo h  como inserir todos aqueles que querem competir no deserto do Saara.  preciso um n£mero m ximo de equipes em cada categoria para que nÆo haja nenhum problema na matem tica do rali.

Este ano a organiza‡Æo limitou as vagas para as categorias em: 240 vagas para moto, 185 vagas para carros e 80 para caminhäes. E em apenas duas semanas eles j  haviam recebido, 330 inscri‡äes para motos, 240 para carros e mais de 100 para caminhäes.

De acordo com Andr‚ Azevedo, a organiza‡Æo chega a estes n£meros m ximos pela log¡stica necess ria para a seguran‡a, a alimenta‡Æo e o combust¡vel. Outro fator relevante, de acordo com o piloto, ‚ o tempo gasto na largada com tantos competidores. “No inicio do rali, quando todos competidores ainda estÆo na prova, s¢ de largada …s vezes demora mais de 5 horas entre a primeira moto e o £ltimo caminhÆo”, destacou o piloto campeÆo do Dakar.

Outro elemento importante nessa conta ‚ o fato de que algumas federa‡äes internacionais de automobilismo e de motociclismo impäe regras na quantidade de horas que nÆo se pode competir sem a luz do sol nas provas de cross-country. Por isso, em algumas etapas da £ltima edi‡Æo do Dakar a organiza‡Æo resolveu inovar na largada das motos: os £ltimos largaram primeiro dando mais chance de luz aos mais lentos da categoria. O normal para a largada ‚ a ordem de chegada no dia anterior.