Equipe Petrobras Lubrax pronta para sua 23ª participação no Rally Dakar

Equipe Petrobras Lubrax pronta para sua 23ª participação no Rally Dakar

Equipe Petrobras Lubrax pronta para sua 23ª participação no Rally Dakar

A equipe brasileira Petrobras Lubrax está preparada para mais uma participação consecutiva no maior rali do mundo, o Dakar. A prova, que possui cerca de nove mil quilômetros e é considerada a maior e mais difícil do mundo, será realizada pela segunda vez na América do Sul entre os dias 1 e 17 de janeiro.

Competindo em três categorias simultaneamente – moto, carro e caminhão – a Petrobras Lubrax alcança sua 23ª participação no Dakar. Na moto, representada por Rodolpho Mattheis, o piloto quer conquistar o bicampeonato na categoria Marathon. Reinando como a única dupla brasileira entre os Caminhões estão André Azevedo e Maykel Justo, os melhores colocados na última edição do Dakar, realizada em janeiro de 2009, com a sexta posição na geral. E a grande novidade da Petrobras Lubrax é a contratação de Emerson Cavassin como navegador do carro de Jean Azevedo.

De Curitiba para o Dakar – Emerson “Bina” Cavassin começou a sua carreira em 1989 como piloto de moto, participando de enduros de regularidade. “Já tenho alguma semelhança com a trajetória do Jean, já que ambos temos experiência em duas rodas”, brinca. Uma fratura no joelho, em 1996, foi o motivo da mudança de categoria. “A partir daí, comecei a amadurecer a ideia de traçar novos caminhos e em 2001 fui navegador do piloto Rafael Tulio nas provas de rali de velocidade. E, logo na estreia, fomos campeões da categoria N2”, acrescentou.

A parceria Jean/Bina terá início em janeiro de 2010, com a realização do Rally Dakar na Argentina e Chile. “Será uma estreia dupla com muita responsabilidade: no Dakar e como navegador do Jean”, contou Bina. Confira abaixo mais informações dos outros integrantes da Petrobras Lubrax:

Piloto Rodolpho Mattheis (KTM 450)
Nascido em Petrópolis, no Rio de Janeiro, é o integrante da Equipe Petrobras Lubrax na categoria Motos. Foi atleta de downhill por dez anos e após ter conhecido Jean Azevedo decidiu ser piloto de moto. Desde 2005 participa de competições off road, conquistando vitórias em sua categoria. Seus principais resultados são: a vitória na categoria Maratona até 450 cc no Rally Dakar 2009, a liderança da categoria Production no Sertões 2009 e o primeiro lugar na Brasil Aberta do Sertões de 2008.

“Existem três fatores muito importantes durante um Rally Dakar: equipamento, preparo físico e psicológico. Sem equipamento não se chega ao final da prova. Caso o competidor não consiga manter um bom equilíbrio psicológico é muito provável que ele cometa erros, resultado muitas vezes no abandono da corrida. E, finalmente, sem preparo físico o rali torna-se puro sofrimento por conta de sua longa duração”

Piloto Jean Azevedo (Mitsubishi Pajero Full)
Em 2008 Jean troca a moto pelo volante do Mitsubishi da Equipe Petrobras Lubrax, após uma excelente carreira no motociclismo nacional (seis títulos no Campeonato Brasileiro de Rally Cross Country e cinco vitórias no Rally dos Sertões). Logo em sua estreia na nova categoria, venceu o Campeonato Brasileiro entre os Carros, e em 2009 conquista por antecipação o bicampeonato. 100% de aproveitamento.

“O resultado que conquistamos em cada prova é resultado do trabalho de uma equipe inteira. O planejamento para se fazer um Dakar acontece com quase um ano de antecedência, logo que terminamos a prova já pensamos na seguinte”

Piloto André Azevedo e navegador Maykel Justo (caminhão Tatra)
Engenheiro de formação, André Azevedo deixou a paixão pela velocidade falar mais alto quando, em 1988, foi um dos primeiros brasileiros a competir no Rally Dakar. A partir daí, seu nome entrou definitivamente para a história do off road mundial. Em janeiro de 2009 conquistou a melhor posição para o Brasil: 6º lugar.

Maykel participava de provas de raid e foi convidado para ser o navegador de André Azevedo no Rally dos Sertões 2005. Logo em sua primeira participação no Dakar, obteve o quarto lugar entre todos os caminhões inscritos na prova.

“O Rally Dakar tem a fama de ser a cada ano mais difícil. Então em toda a edição que se inicia eu imagino que esta será a mais complicada da minha vida. A última edição, realizada em janeiro de 2009, deixou lembranças de que a América do Sul é digna para receber uma prova desse porte. Já para janeiro de 2010 teremos mais etapas no Deserto do Atacama, dificultando ainda mais o percurso”. (depoimento de André Azevedo)

A Equipe Petrobras Lubrax tem patrocínio da Petrobras, Mitsubishi Motors do Brasil, CCR NovaDutra, e apoio da Mercedes-Benz Caminhões, Pirelli, KTM do Brasil, Renov, BorgWarner, Mahle, Kaerre, Capacetes Bieffe, Sparco América Latina, Fazenda Real e Artfix.