Especialista apresenta os benefícios do uso de cinto de segurança na redução de fraturas craniofaciais

NÆo apenas o cinto de seguran‡a, mas tamb‚m os air bags tˆm sido important¡ssimos na reduzido da mortalidade nas estradas

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Craniomaxilofacial (SBCC) promove, de 12 a 14 de junho de 2008, o X Congresso de Cirurgia Craniomaxilofacial, sob o tema Trauma no S‚culo XXI. Convidados internacionais, de diversas partes do mundo, como µfrica, Am‚rica do Sul, Estados Unidos e Europa, e tamb‚m de diversas especialidades, debaterÆo temas como anomalias congˆnitas e tumores, novas abordagens, diagn¢stico e tratamento.

Um dos temas de destaque no evento ser  a discussÆo sobre a redu‡Æo do n£mero de fraturas craniofaciais ocorrida desde a obrigatoriedade do uso do cinto de seguran‡a nos ve¡culos e do advento dos air bags.

De acordo com o dr. S‚rgio Moreira da Costa, coordenador da Cl¡nica de Cirurgia Pl stica do Hospital Felicio Rocho e membro do Servi‡o de Cirurgia Pl stica do Hospital das Clinicas da UFMG, esta redu‡Æo tem sido constatada em todas as capitais nas estat¡sticas de atendimentos em hospitais de pronto socorro.

“Em Belo Horizonte nÆo ‚ diferente. Devido … melhora no atendimento pr‚-hospitalar, ou seja, ap¢s a instala‡Æo dos servi‡os de resgate (ambulƒncias), v¡timas graves, que morriam antes de ser socorridas, agora chegam vivas ao pronto socorro por conta do pronto atendimento”.

Sem d£vida, o cinto de seguran‡a, o air bag e o resgate representam um grande avan‡o nesta  rea, por‚m, o preparo das equipes encarregadas do primeiro atendimento ao trauma craniofacial ainda preocupa os m‚dicos e as autoridades da  rea.

“Poucos hospitais possuem equipes multiprofissionais estruturadas para garantir um bom atendimento. O ideal seria que mantivessem plantäes permanentes de m‚dicos especialistas em cirurgia craniomaxilofacial, o que nÆo ocorre na maioria dos hospitais em virtude do reduzido n£meros de profissionais especializados nesta  rea de atua‡Æo”.

De acordo com o dr. S‚rgio, o primeiro atendimento visa principalmente … manuten‡Æo da vida at‚ a institui‡Æo do tratamento definitivo. A melhor oportunidade de tratar as fraturas craniofaciais vem a seguir. Chamada de fase aguda, vai de uma a trˆs semanas ap¢s o trauma.

“Na falta de cirurgiäes craniomaxilofaciais, o paciente ‚ operado por cirurgiäes gerais, dentistas ou cirurgiäes pl sticos, sem o devido treinamento na  rea de atua‡Æo”.

O ideal, segundo especialistas, ‚ a transferˆncia r pida do paciente para centros especializados em cirurgia craniomaxilofacial, com equipe multidisciplinar treinada para o tratamento do trauma.

No Congresso, al‚m de discutir o aperfei‡oamento profissional daqueles que se propäem a atender vitimas de traumas craniofaciais, serÆo realizados workshops e a prova de avalia‡Æo para obten‡Æo do certificado de  rea de atua‡Æo em cirurgia crƒnio-maxilo-facial para m‚dicos.

O X Congresso de Cirurgia Craniomaxilofacial acontece no Maksoud Plaza. Mais informa‡äes em www.sbcc.org.br ou (11) 3341-2980 e 3207-8241.

X Congresso de Cirurgia Craniomaxilofacial
Data: de 12 a 14 de junho de 2008
Local: Hotel Maksoud Plaza
Endere‡o: Alameda Campinas, 150 – SÆo Paulo
Informa‡äes: (11) 3341-2980 ou 3207-8241