Estação de abastecimento doméstico de hidrogênio

Estação de abastecimento doméstico de hidrogênio

Estação de abastecimento doméstico de hidrogênio

A Honda iniciou a operação de seu primeiro posto de abastecimento solar de hidrogênio em seu centro de pesquisas solares nos Estados Unidos em 2001, com a criação de um sistema de três unidades e armazenamento de hidrogênio em julho daquele ano.

Em outubro, iniciou seu trabalho com um sistema bi-unitário com um eletrolisador original de seu próprio projeto, mais um conjunto solar utilizando protótipos de células solares CIGS (cobre, índio, gálio e selênio), oferecendo maior eficiência do sistema.

Em agosto de 2008 um conjunto solar dotado de células CIGS de produção seriada da Honda Soltec Co., reduziu o tamanho do conjunto em 20% e aumentou muito a eficiência energética fotovoltaica (PV).

Agora, um novo sistema inicia sua operação, ampliando ainda mais a eficiência do melhor sistema anterior conhecido, aumentada mais de 25% (valores calculados em simulações), chegando ao mais alto nível até hoje existente.

O posto solar de abastecimento de hidrogênio da Honda, instalado no centro de pesquisas americano em Los Angeles, utiliza o mesmo conjunto de 48 painéis e 6 kW de células solares finíssimas CIGS de primeira geração. A estratégia da Honda ao criar uma estação doméstica, foi criar um novo estilo de vida com reabastecimento conveniente, limpo, eficiente e sustentável, através de uma infra-estrutura que possa avançar o uso cada vez maior de veículos elétricos a células de combustível.

A Honda agora inicia os trabalhos de um protótipo solar menor instalado na garagem de uma casa, capaz de recarregar veículos a células de combustível durante a noite, produzindo 0,5 kg de hidrogênio num período de 8 horas.

No posto anterior, havia um eletrolisador e um compressor separado para criar hidrogênio a alta pressão. O compressor era o componente maior, mais caro e que reduzia muito a eficiência do sistema. Com a criação de um novo eletrolisador de grande pressão diferencial, os engenheiros da Honda conseguiram eliminar o compressor – a primeira vez que isso foi feito num sistema para uso doméstico. Esta inovação reduziu o tamanho de outros componentes, fazendo do novo posto o sistema mais compacto existente – e aumentando sua eficiência em mais de 25%. A unidade fica muito mais adequada para pessoas com garagens menores ou que têm de compartilhá-las com outros proprietários, como em apartamentos.

O posto foi projetado para trabalhar em conjunção com o veículo Honda FCX Clarity e é compatível com um sistema de energia Smart Grid (rede inteligente). A recarga do veículo será feita em horários de baixa demanda, sem necessidade de armazenamento de hidrogênio, o que diminui também as emissões de CO2. Durante os horários (diurnos) de máxima demanda, o posto pode -exportar- eletricidade renovável à rede, tornando a energia usada neutra e de baixíssimo custo para o dono do posto. A quantidade de hidrogênio produzido é praticamente a mesma que o motorista comum precisará durante seu dia de trabalho – e a pureza do hidrogênio estará dentro das mais estritas especificações SAE (J2719) e ISO (14687).

A Honda espera que a combinação de um veículo a células de combustível e o posto de hidrogênio doméstico ajudará no estabelecimento de uma sociedade de hidrogênio baseada em energia renovável, que resultará numa forte redução de emissões de CO2 e maior sustentabilidade energética. A Honda, porém, ainda não fala em tempo de testes em larga escala ou em disponibilidade.


José Luiz Vieira, Diretor, engenheiro automotivo e jornalista. Foi editor do caderno de veículos do jornal O Estado de S. Paulo; dirigiu durante oito anos a revista Motor3, atuou como consultor de empresas como a Translor e Scania. É editor do site: www.techtalk.com.br e www.classiccars.com.br; diretor de redação da revista Carga & Transporte.