Foto: Movido a baterias de carro ou à energia solar, o triciclo possui tração elétrica e mecânica, o que permite o condutor também pedalar

Estudantes da FEI desenvolvem triciclo movido à energia solar e sistema antifurto inédito

Foto: Movido a baterias de carro ou à energia solar, o triciclo possui tração elétrica e mecânica, o que permite o condutor também pedalar

Foto: Movido a baterias de carro ou à energia solar, o triciclo possui tração elétrica e mecânica, o que permite o condutor também pedalar

No total, 13 projetos funcionais e inovadores serão apresentados hoje (17) durante a Exposição dos Trabalhos de Formatura dos alunos da Engenharia Elétrica

Formandos do curso de Engenharia Elétrica do Centro Universitário da FEI (Fundação Educacional Inaciana) desenvolveram 13 projetos funcionais que serão apresentados nesta quinta-feira (17), a partir das 19h, durante a Elexpo (Exposição dos Trabalhos de Formatura da Engenharia Elétrica), no campus São Bernardo. Entre os projetos está um triciclo elétrico que também é movido à energia solar, um sistema de identificação do motorista para evitar o furto do veículo, uma nova versão do jogo Batalha Naval e um dispositivo para ajudar idosos em casos de acidentes.

Movido a baterias de carro ou à energia solar, o triciclo possui tração elétrica e mecânica, o que permite o condutor também pedalar. O veículo foi desenvolvido com peças de bicicleta, como rodas, sistema de freios e guidão. A direção é elétrica, comandada por dois botões no guidão. O triciclo possui freio a disco nas duas rodas dianteiras e sistema de setas. Se a opção for usar energia solar, a recarga dura cerca de 30 horas. No caso das baterias, com um carregador conectado à tomada de energia, o tempo aproximado de recarga é de 7 horas.

O veículo tem 2,20 metros de comprimento, 1,70 m de altura e 80 centímetros de largura. “Pensamos em desenvolver um projeto econômico, com foco na sustentabilidade”, destaca o estudante Rodrigo Cézar Pinto, 25 anos. O preço sugerido do protótipo é cerca de R$ 6 mil.

Outro projeto é um sistema de reconhecimento facial do condutor de um veículo, que ‘testa’ quem senta no banco do motorista e identifica se o condutor está autorizado para dirigir o carro. Uma foto tirada por webcam e enviada ao banco de dados, desenvolvido pelos alunos, identifica se esta pessoa está cadastrada para dirigir o veículo. Neste caso, o sistema de ignição libera automaticamente a partida do motor. Em caso de não reconhecimento, o sistema bloqueia a partida. “O objetivo é oferecer mais segurança e contribuir para a redução de furtos”, afirma o estudante Pedro Marinho.

Batalha Naval – Os formandos da FEI também criaram uma versão para o jogo Batalha Naval. Denominado de Batalha Aeronaval, o jogo utiliza a tecnologia wireless. Para isso foram desenvolvidos dois dispositivos eletrônicos para duas pessoas jogarem simultaneamente em uma distância de até 5 metros uma da outra. Cada dispositivo tem display touch-screen (toque de tela), onde é feito todo o posicionamento inicial da frota e, posteriormente, o meio de disparo dos mísseis para tentar derrubar a frota adversária.

Outra preocupação dos estudantes é com os idosos que ficam sozinhos em casa. O DAP (Dispositivo de Auxílio à Pessoa) fica preso na cintura da pessoa e ao sinal de algo errado uma chave poderá ser acionada e indicar a ocorrência, que avisa os familiares via SMS e aciona uma central para o atendimento até com ambulância. Confira outros projetos:

Sistema automático para teste de lâmpadas – O protótipo faz medições de grandezas elétricas na lâmpada no final do processo de fabricação e compara os parâmetros com os previstos na norma NBR14539, que mostra os parâmetros mínimos para qualificação de uma lâmpada compacta como adequada para comercialização e utilização.

Multisinalizador programável – O objetivo é desenvolver dispositivos luminosos programáveis de alta eficiência para sinalização de trânsito, visando controle e organização do fluxo de veículos e pessoas.

Monitoramento de vagas – Automatização de estacionamentos para facilitar a localização de espaços livres. As vagas são monitoradas por meio de sensores que emitem sinais, interpretados por microcontroladores e enviados (sem fio) para uma central, que controla e processa as informações. Um painel dinâmico informa ao usuário a vaga disponível.

Refrigerador com monitoramento de conteúdo – Todos os produtos contidos no refrigerador são gerenciados. O sistema executa de maneira automática a lista de todos os produtos (com descritivos, valores calóricos e datas de validade) em ordem de vencimento, para compras no supermercado.

Facilita Zona Azul – É a automatização do serviço de Zona Azul. O sistema atua na melhoria do controle de vagas, diminuição das fraudes, redução de custos operacionais, multa eletrônica e comodidade aos usuários que adquirirem o serviço.

Interface remota via celular – Sistema eletrônico que capta as imagens obtidas por meio de uma câmera simples para envio em tempo real ao celular com tecnologia Wi-Fi ou 3G.

Biocontrole – Destinado a deficientes com paralisia parcial ou total de membros, o projeto é baseado no controle de um braço mecânico através do estudo e desenvolvimento de circuitos para aquisição, tratamento e processamento de sinais emanados de contrações musculares.

Controle de retrovisores externos – Módulo anexado ao veículo que se ao condutor por meio do retrovisor central. Os dados são utilizados como entrada para o software que automaticamente calcula os dados necessários e gera o sinal para o ajuste dos retrovisores laterais.

Localizador de vagas – Sistema de auxílio na localização de vagas em estacionamentos. Com um mapa para escolha do setor, o usuário pode escolher onde irá estacionar. Caso não ache vagas disponíveis, o usuário será informado para fazer nova opção.