Etapa Maratona testa a resistência de competidores e equipamentos

Etapa Maratona testa a resistência de competidores e equipamentos

Etapa Maratona testa a resistência de competidores e equipamentos

No terceiro dia de disputa, o Rally Internacional dos Sertäes sai de Palmas (TO) para Alto Parna¡ba (MA), a especial mais longa do roteiro.

A cidade de Palmas (TO) fez festa para receber os carros, motos, caminhäes e quadriciculos inscritos na 14¦ edi‡Æo do Rally Internacional dos Sertäes, que completou seu terceiro dia de competi‡Æo desde a largada em Goiƒnia (GO), na quarta-feira (26). A chegada … capital tocantinense foi nesta sexta-feira (28) … tarde, depois de um total de 551 km percorridos desde a cidade de Mina‡u (GO), que recebeu os competidores na v‚spera. O trajeto foi um pouco menos complexo do que os anteriores, com trechos de reta e alta velocidade, al‚m da bela paisagem da Serra da Mulher que Chora.

Se as dificuldades nÆo foram tantas neste dia, sobra ansiedade para a pr¢xima especial, a etapa maratona, que ser  realizada neste s bado (29), entre as cidades de Palmas e Alto Parna¡ba (MA). O trajeto tem 661 km e o trecho ‚ o mais longo do roteiro, com 457 km percorridos em velocidade. At‚ a¡, tudo bem. O que complica as coisas ‚ a regra de nÆo poder receber aux¡lio mecƒnico neste dia, justamente o mais longo e trai‡oeiro do rali, que pode deixar muita gente pelo caminho. Por este motivo, o trabalho no equipamento ganhou aten‡Æo redobrada durante a noite.

Pelo segundo dia consecutivo, o mais veloz na categoria motos foi Tiago Fantozzi, at‚ o momento a grande sensa‡Æo das duas rodas, adotando a estrat‚gia da cautela. “Eu andei sem arriscar muito, porque a moto estava deslizando bastante”, disse. Jean Azevedo, pentacampeÆo do Rally Internacional dos Sertäes, ficou em segundo. “Agora ‚ pensar na etapa maratona, que tem tudo para ser bem complicada, com mudan‡as repentinas de piso, judiando do equipamento”, analisa Jean Azevedo. O l¡der do campeonato mundial, David Castou, foi o terceiro do dia.

“A prova tem paisagens maravilhosas, com subidas e descidas que me lembraram o Rally Dakar. NÆo esperava que o n¡vel de organiza‡Æo e seguran‡a fosse tÆo grande”, disse o francˆs. Seu compatriota, Cyril Despres, fechou o dia em quarto. Nas motos, a grande ausˆncia foi do chileno Carlo De Gavardo, que deixou o rali depois de problemas com o motor no primeiro dia de especiais. De qualquer forma, a expectativa ‚ de muita briga entre as motos at‚ o final. “E os brasileiros levam vantagem, por correr em casa”, reconhece o chileno Francisco Lopes.

Carros e caminhäes
O trajeto entre Mina‡u e Palmas tratou de apimentar a disputa entre os carros. Os l¡deres Klever Kolberg / Eduardo Bampi ficaram com a quarta coloca‡Æo na especial desta sexta-feira e acompanharam a aproxima‡Æo da dupla Maur¡cio Neves / Clecio Maestrelli, que ficaram em segundo e na soma dos resultados estÆo a 25 segundos dos primeiros colocados, diferen‡a que pode facilmente ser reduzida e at‚ superada na pr¢xima especial. A terceira coloca‡Æo ‚ de Marlon Koerich / Josiane Koerich. Quem come‡a uma recupera‡Æo na classifica‡Æo ‚ a dupla Guilherme Spinelli / Marcelo Vivolo, que venceram a especial em Palmas e aparecem em d‚cimo.

Nos caminhäes tamb‚m teve gente se recuperando nesta sexta-feira. O problema no eixo que deixou Andr‚ Azevedo / Maykel Justo / Ronaldo Pinto sem condi‡äes de brigar pela lideran‡a em Mina‡u parece finalmente ter sido deixado para tr s. Por diferen‡a m¡nima, eles superaram os ainda l¡deres Amable Barrasa / Jose Papacena Neto / Domenico Montalbano, mostrando poder de rea‡Æo, preocupando os rivais e colocando fogo na briga entre caminhos maiores (como o deles) e menos (caso dos advers rios). Entre os quadriciculos, melhor para Carlos Collet, que ganhou a especial do dia.