Foto: André todo focado no curso

Eu fiz o Curso Speedmaster de pilotagem

Foto: André todo focado no curso

Foto: André todo focado no curso

Sabe quando nos consideramos importunados pelos cuidados da mamãe ou da vovó? Leva agasalho, cuidado para atravessar a rua, almoça direitinho… enfim, uma série de recomendações que parecem redundantes, mas com o passar do tempo, vem nossos filhos e concluímos que eram atitudes do mais puro amor e zelo com o ente querido.

Diuturnamente, vemos notícias negativas aos motociclistas. A verdade é que a culpa não é só do motociclista, mas o trânsito está caótico, as pessoas perderam o senso ético, priorizando o tempo em face da vida humana.

Sábado, 11 de abril de 2009, entrou para minha história de vida.

Após 18 anos como motociclista habilitado, fiz um curso de pilotagem.

Independentemente de se discutir o nível técnico de pilotagem ou o grau de conhecimento sobre segurança ou legislação de trânsito, quero deixar meu recado a você leitor: faça o curso.

Faça o curso, independentemente se você tem 1 mês ou 40 anos de motociclismo.

Na minha turma tinha uma jovem médica pilotando uma Yamaha Lander, com 5 anos de experiência, três Senhores com mais de 50 anos de idade, pilotando Honda Hornet, Triumph Rocket III e Suzuki Boulevard LC 1500, cuja experiência variava de 2 a 35 anos, dentre outros motociclistas com Suzuki Bandit 650S, Honda CBR600RR, Honda Falcon, Yamaha Fazer 250, dentre outras.

Foto: André no limite da moto

Foto: André no limite da moto

Poderia enumerar inúmeras razões, mas vale cada centavo investido para receber, pedagogicamente, ricas informações: de comportamento nas vias rodoviárias e urbanas, de pneus, utilização de equipamentos e até alimentação adequada numa viagem.

Se você nunca acelerou num autódromo, é chegada a hora. É possível! Assim, como gastamos com capacete, jaqueta, botas, luvas, dentre outros equipamentos essenciais e manutenção da motocicleta.

Faça esse investimento em você mesmo. Ao final do curso, certamente, você terá aquela sensação: por que não fiz antes? Você pegará o “gostinho” de acelerar num local controlado e aprenderá utilizar sua habilidade e aprendizado teórico, no dia a dia para seu próprio benefício e da sua família.

Família? Sim, família! Afinal de contas, você é importante para sua família.

Mas não pense que ao final do curso você fará tudo que fez no autódromo nas vias de trânsito. Ledo engano!

Meu novo amigo Ralph Barcelos, 56 anos de idade, pilotando uma Suzuki Boulevard LC 1500 há 3 anos, no domingo pela manhã perguntou se poderia voltar comigo para São Paulo, o que foi prontamente aceito. Logo após, ele fez um comentário: mas será que consigo lhe acompanhar? O que lhe afirmei que sim, todavia, o limite da rodovia é de 120Km/h e o que eu tinha feito no circuito, ficou no circuito, na rodovia impera a lei da pilotagem defensiva e a obediência as leis de trânsito. E voltamos para nossas, respectivas, famílias para o santo almoço de Páscoa.