Extra Distance Team termina a Race Across America 2004

Atlantic City (EUA) O quarteto brasileiro do Extra Distance Team chegou ao final da Race Across America, a principal e mais dif¡cil prova de ciclismo endurance do mundo, na noite de segunda-feira (28). Ap¢s pedalar 4733 quil“metros entre as cidades de San Diego (oeste) e Atlantic City (leste), nos EUA, Michel B”gli, Marcio Milan, C ssio BrandÆo e Z‚ Filho cruzaram a linha de chegada com o tempo de 7 dias, 2 horas e 30 minutos, conseguindo a quinta coloca‡Æo na categoria e a 12¦ na classifica‡Æo geral. Mais do que a coloca‡Æo em si, todo o grupo festejou o t‚rmino da prova, principal objetivo do projeto. Os ciclistas retornam ao pa¡s nesta quarta-feira.

“Chegar aqui, considerando que comecei a pedalar h  um ano, ‚ um grande desafio vencido. Por mais que tivesse treinado e me esfor‡ado, no come‡o houve momentos em que achei que nÆo fosse conseguir. Mas o entrosamento e a forma que trabalhamos foram muito bons e ainda contamos com grande prote‡Æo divina, pois nÆo tivemos nenhum acidente e terminamos a prova com apenas dois pneus furados”, contou C ssio BrandÆo, 41 anos, diretor de projetos especiais do Grupo PÆo de A‡£car e um dos estreantes na competi‡Æo.

Na verdade, a equipe brasileira sofreu bastante com a grande varia‡Æo de temperatura, com dias muito quentes e noites geladas. “Estivemos o tempo todo lutando contra o frio, o cansa‡o, o sol e as dores. Por isso, chegar ao final ‚ uma emo‡Æo inexplic vel. S¢ conseguimos isso gra‡as ao nosso ideal e ao apoio de todos, amigos, patrocinadores, familiares e Deus”, declarou M rcio Milan, 55 anos, diretor comercial de commoditties, projetos especiais e assuntos corporativos do Grupo, onde est  h  34 anos.

O esp¡rito de competi‡Æo e companheirismo de M rcio Milan contagiou a todos. O empres rio Z‚ Filho, de 37 anos, que em 2001 foi campeÆo em duplas ao lado de Michel B”gli, nÆo cansava de elogiar o amigo. “Essa competi‡Æo foi muito diferente da primeira. Aqui eu tive oportunidade de conviver com o Marcio e descobrir nele o esp¡rito de uma crian‡a aflorado de forma tÆo espontƒnea em cada uma das transi‡äes ou quando pass vamos por ele. Essa ‚ a forma correta de se fazer esporte, sem a preocupa‡Æo com resultado imediato e a performance.  bom ver as pessoas fazendo tudo com determina‡Æo, seriedade e brilho nos olhos de alegria”, disse.

Michel B”gli, com 34 anos, o mais experiente do grupo na competi‡Æo, tamb‚m ficou satisfeito com o resultado. “Foi muito legal. O percurso foi bacana e todos estÆo de parab‚ns, principalmente os iniciantes, por terem conseguido enfrentar essa grande dificuldade de sete dias. Agradecemos tamb‚m … equipe de apoio, em sua maioria novata e que nÆo sabia o que poderia encontrar pela frente, pelo desempenho perfeito. Espero que todos tenham aproveitado a prova do jeito que a RAAM deve ser aproveitada”, finalizou.