Moto no trânsito: toda atenção e prudência são fundamentais

Falta de atenção é a maior responsável por acidentes

Texto de Marcelo Bartholomei (azulpress@yahoo.com.br)

A falta de atenção e o desrespeito às regras de trânsito são as maiores responsáveis pelo excessivo número de acidentes envolvendo
motociclistas. O número de acidentes aumentou assustadoramente nos últimos anos. Segundo o dado mais recente do Ministério da Saúde, o total de motociclistas e motoqueiros mortos aumentou em 263,5% em dez anos.

Moto no trânsito: toda atenção e prudência são fundamentais

Moto no trânsito: toda atenção e prudência são fundamentais

Contudo, os dados do Ministério já estão defasados: cobrem o período entre 2001 e 2011. Naquele período foram registradas 11.268 vítimas fatais conduzindo veículos de duas rodas. Vale ressaltar que a frota de motocicletas aumentou 300% entre 2001 e 2011. Com toda certeza, esse número aumentou nos últimos três anos. Mas o que importa para esta Coluna é contribuir para combater esses acidentes.

A solução envolve o comportamento do motociclista no trânsito, seja na cidade, seja na estrada. Afinal, por que, apesar dos alertas e dos cursos de direção, os acidentes continuam ocorrendo em tão larga escala?

Segundo o técnico Valmir Fernandes Nogueira, 48 anos, secretário geral do Centro de Estudos Avançados e Treinamento de Trânsito (www.ceatt.com.br ), os acidentes envolvendo condutores de motocicletas acontecem por um único motivo: falta de atenção dos mesmos e dos motoristas e pedestres. “Eles não observam atentamente a regras de trânsito e os demais veículos em circulação. E mudam de faixa muito rapidamente”, afirmou.

Para o técnico, motociclistas e motoristas devem se habituar a observar mais os retrovisores de seus veículos. Nos carros, outro ponto delicado é o chamado “ponto cego”, aquele ângulo situado na lateral traseira, que não é alcançado pelos retrovisores. Muitas
vezes, apesar de atento, o motorista não detecta a rápida aproximação lateral da motocicleta. Por isso, cabe aos motoqueiros não trafegar nesses pontos onde não são visualizados”, explicou.

O Ceatt promove cursos de pós-graduação na área de segurança de trânsito, além de cursos de gestão, inclusive para prefeituras de muitas cidades do Brasil e para agentes de trânsito e órgãos ligados ao tráfego. Marronzinhos e policiais de cidades como Sorocaba (SP), Manaus (AM) e Barueri (SP), entre outras, já receberam esses cursos.

O técnico dá três dicas que aumentam a segurança do motociclista:

1 – Respeitar a legislação de trânsito em todas as circunstancias;

2 – Respeitar a sinalização; e…

3 – Redobrar a atenção com pedestres, inclusive com os desatentos que atravessam a rua entre os carros parados nos semáforos.

O redator desta coluna acrescenta mais uma sugestão: tomar muito cuidado ao trafegar por corredores de tráfego parado ou ao mudar de faixas de rolamento em avenidas e estradas.