FAQ

1. Posso trocar o pneu da minha moto por um mais largo?

R: O limite para a largura do pneu é a roda. A roda da moto foi feita para receber uma única medida de largura de pneu. Ao usar pneu mais largo teria necessidade de trocar também a roda. Além disso, pneu de moto mais largo pode melhorar a estabilidade, porque o perfil do pneu é estudado para trabalhar em concordância com a distância entre-eixos e geometria da direção. O pneu mais largo gera mais atrito e o resultado é maior consumo de gasolina e desgaste prematuro do sistema de transmissão (corrente/coroa/pinhão). Pode também interferir com alguma peça do chassi.

2. Como conseguir mais desempenho?

R: A fábrica da motocicleta desenvolve os produtos para um compromisso entre desempenho, durabilidade economia e emissões. Qualquer modificação no sentido de melhorar o desempenho vai comprometer uma ou mais das outras áreas. Toda modificação deve levar isso em conta.

3. Quando devo trocar o óleo e qual o melhor ?

R: Cada moto tem um óleo e um período de troca estabelecido pelo fabricante. Leia o Manual do proprietário e veja o prazo correto para a sua troca, assim como a especificação do lubrificante adequado para seu motor. Para obter o manual de sua moto basta dirigir-se a uma concessionária, pois o manual é um item vendido como qualquer outra peça de sua moto.

4. Como amaciar o motor?

R: No manual de sua moto constam os cuidados necessários na conservação e no amaciamento da sua moto.

5. Como lubrificar a corrente?

R: As correntes com anéis de borracha têm lubrificação permanente por dentro, o mais indicado é limpar com água e sabão ou solvente inerte para as borrachas e depois usar uma camada de proteção anti-oxidante, também inerte à borracha. Nas motos com correntes sem anéis de borracha pode-se limpar primeiro com solvente (querosene) e depois lubrificar com óleo SAE 90.

6. Qual gasolina devo usar?

R: Cada fabricante recomenda a gasolina mais indicada para cada modelo. Veja no manual do proprietário qual a gasolina mais indicada para o seu.

7. Qual a diferença entre torque e potência? O que é cilindrada?

R: Torque é a força do movimento de torção de um eixo, polia ou alavanca. É medido em Kgf.m (Kilograma força por metro no Sistema Técnico de Unidades) ou em Nm (Newtons por metro no Sistema Internacional de Unidades) No movimento de rotação, quanto maior a roda maior a velocidade periférica dela, numa mesma rotação (rpm). Representa a capacidade de realizar um trabalho, independente do tempo que isso leva. Potência é a capacidade de realizar um trabalho quando é importante o tempo que isso leva. Quanto maior a potência menor o tempo necessário para realizar um mesmo trabalho.

Cilindrada é o volume que o motor desloca ao percorrer uma volta do virabrequim, pelo movimento dos pistões. Há uma relação entre cilindrada, torque e potência mas para cada motor pode variar bastante.

8. Quero um conselho a respeito de que moto devo comprar.

R: Não temos condições de indicar motocicletas. O leitor deve analisar as opções e de acordo com a importância que dá a cada característica desejada, fazer a sua escolha.

9. Se mudar a relação (tamanho da coroa e/ou pinhão) da minha moto ela vai andar mais?

R: Não necessariamente, depende do uso a que ela foi desenvolvida e das características do motor e câmbio. Normalmente em uma moto trail é fabricada para ter mais força e menos velocidade final. Pode-se reduzir o pinhão em alguns desses casos ou aumentar a coroa para diminuir o torque aplicado à roda e a sua velocidade (rpm). Essa mudança não altera a potência do motor, aumenta a velocidade mas diminui a força, até um ponto em que o vento ou uma pequena subida pode atrapalhar significativamente o deslocamento da moto. Em modelos fabricados para andar nas ruas ou estradas é muito difícil melhorar a velocidade final mudando a relação.

10. Escapamento aberto melhora desempenho?

R: Nem sempre. Uma das funções do sistema de descarga é oferecer uma resistência controlada à saída dos gases. Se o escape for bem projetado ele deve manter os gases que entram pelas válvulas de admissão dentro da camera de combustão e no pequeno instante em que as de escape estiverem abertas junto com as de admissão, uma onda de pressão contrária fornecida pelo sistema de descarga impede que mistura nova saia junto com a queimada. Também é função do cano de descarga manter níveis satisfatórios de emissão de poluentes e de ruído.

Os fabricantes das motocicletas projetam o sistema de descarga para atender a lei que abrange todos os aspectos quanto a emissão de ruídos e de poluentes. Alguns escapes esportivos se servem de um silenciador menos atuante ou da retirada do catalisador para melhorar a velocidade de saida dos gases mas para haver um aproveitamento completo dessa ação, outros ajustes devem ser feitos no sistema de alimentação e ignição. O ganho de desempenho, se houver pode ser bem pequeno.

11. Porque minha moto fica instável em algumas situações?

R: Algumas motos, principalmente as mais antigas ou com algum defeito na suspensão, chassi, direção ou pneus fora de especificação ou desgastados, em determinadas situações entram em um movimento cíclico de torção do alinhamento entre as rodas chamado “shimmy”. Essa oscilação pode terminar sem nenhuma consequência ou com a perda do controle quando um acidente é muito provável.

Nas mais antigas pode ser provocado por flexões que as estruturas ofereciam, tanto no chassi quanto nas suspensões. As motos modernas têm estruturas muito mais estáveis e suspensões muito melhores. Nessas motos, a ocorrência de um movimento parasita, como o shimmy, kick-back (quando a suspensão, normalmente a traseira, retorna sem controlar a roda e arremessa o piloto) ou tank-slapper (quando a frente entra em movimento cíclico de um lado para o outro como se quisesse bater o guidão no tanque) em geral, é fruto de algum defeito ou desajuste da suspensão, direção ou ainda deficiência dos pneus.

12 – O que fazer para manter a moto parada por um longo período?

R: Se o tempo de permanência for maior que duas semanas e for carburada, deve ser esvaziada a cuba do carburador, as injetadas devem ser estocadas com o tanque cheio, com a gasolina da melhor qualidade possível. Nas carburadas, normalmente há por baixo das cubas um pequeno parafuso para esvaziá-las. Depois de fechar a gasolina, coloque um reservatório para recolher o líquido nas mangueiras de respiro e solte esse parafuso até que pare de escorrer. Uma boa idéia é injetar um spray anti-oxidante pela mangueira, se o período parado for maior que três meses. Uma alternativa a esse procedimento, para motos pequenas e sem bomba de gasolina é fechar a torneira da gasolina, mantr o motor funcionando até ele apagar. Isso também esvazia a cuba dos carburadores, mas pode ficar algum resíduo.

Para um período maior que tres meses antes de esvaziar os carburadores outras ações são convenientes. Antes de parar o motor, troque o óleo e coloque a moto em cavalete central, deslige os terminais da bateria e esvazie o tanque de gasolina injetando por dentro uma boa quantidade de spray anti oxidante. Feche rapidamente a tampa porque quanto menos ar no tanque, menor a chance de oxidação. Se for parar por mais de seis meses também é conveniente injetar spray pelo buraco das velas.

Para reativar a moto, coloque gasolina no tanque, abra a torneira, religue os terminais da bateria e espere uns minutos até a gasolina preencher a cuba, antes de dar a partida, usando o afogador. É possível que a bateria não tenha carga suficiente e nesse caso não insista, providencie uma carga lenta. Pode ser necessária a substituição por uma nova.

13 – Onde posso fazer um curso de mecânica de moto?

R: O meio mais fácil de fazer o curso de mecânica é procurar os órgãos oficiais Senac e Senai, pelos respectivos sites: www.senac.com.br e www.senai.com.br nestes endereços encontram-se os cursos e os locais mais próximos de sua cidade.

14 – Qual a diferença entre o freio a disco fixo e flutuante? O que é pinça radial ?

R: O sistema hidráulico que pressiona as pastilhas deve pressioná-las contra o disco e soltá-las pelos dois lados igualmente e com a maior eficiência e estabilidade possíveis. Isso pode ser resolvido de várias maneiras. As pinças das motos mais antigas ou menores, tem pistões apenas de um lado e para garantir que a pinça pressione igualmente pelos dois lados do disco elas se movem lateralmente.

Uma outra solução é ter pistões dos dois lados mas só isso não garante a estabilidade do sistema porque às vezes um pistão avança ou se recolhe antes que o outro. Para melhorar mais ainda a estabilidade ao acionar o freio, a pinça pode ser flutuante (deslocando-se lateralmente) ou o rotor do disco pode ser flutuante. Nesse caso, ele é composto de duas peças. O rotor que é o disco propriamente dito afixado por rebites em uma estrutura que o suporta e é afixada na roda. Este rotor é preso no seu suporte por rebites que permitem uma pequena oscilação lateral mas que mantém o rotor centrado no seu suporte. Esse pequeno movimento serve para garantir que as pastilhas pressionem o disco por igual, nos dois lados e no mesmo momento porque pode haver um pequeno atrito maior de um lado do que o outro. Outra função dessa folga entre o rotor e sua flange é para impedir que eventuais torções da suspensão ou da roda, no momento da frenagem, sejam transferidas para a pinça de freio e afete a pressão das pastilhas sobre disco.

As chamadas pinças radiais, na verdade são pinças normais mas que são afixadas na estrutura da suspensão por parafusos (normalmente quatro) no sentido dos raios da roda e não no mesmo sentido que o eixo da roda como normalmente. Isso faz com que haja uma estabilidade maior da pinça quando ela tem que suportar as forças da frenagem sem transmitir deformações para a suspensão, melhorando sua eficiência.

15 – Como saber qual o custo de manutenção de determinada moto? E sua valorização no mercado?

R: – Para saber o custo de manutenção de qualquer moto, selecione os itens de desgaste mais comuns, como pneus, freios, quantidade e tipo de óleo, sistema de transmissão (corrente, coroa e pinhão) e itens de troca em caso de queda, como piscas, manetes, pedaleiras e – no caso de esportivas – a carenagem. Depois escolha três lojas ou concessionárias em nossa seção de lojas & oficinas e faça a cotação de preço. Assim você terá um parâmetro de custo de manutenção. Sobre a valorização de mercado, verifique na tabela da Fipe – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – ou telefone para três concessionárias da marca e faça uma cotação.