Foto: Externamente tudo original

Fazer 290: mais potência e torque

Foto: Externamente tudo original

Foto: Externamente tudo original

Testamos o kit para aumenta cilindrada da Yamaha Fazer de 248 cc para 289 cc, e a potˆncia e o torque sobem 11%.

Antes de falar do kit propriamente ‚ preciso entender o que representa mexer na mecƒnica de forma a ganhar potˆncia e velocidade. Quando as motos sÆo projetadas os engenheiros prevˆem um tipo de uso mediano. Ou seja, ela precisa atender desde aquele motociclista que gosta muito de economia, mas despreza desempenho, at‚ aquele que ama a velocidade e nÆo liga pra consumo. O resultado sempre ‚ o meio! A moto desenvolve uma potˆncia m‚dia para um consumo aceit vel. Um mesmo motor poderia render pelo menos 50% mais de sua potˆncia, mas o consumo levaria um pÆo duro ao suic¡dio. Da mesma forma o motor pode ser at‚ 50% mais econ“mico, mas deixaria o desempenho mais fraco que suor de alma. Portanto, nÆo precisa ser gˆnio para saber que verdade est  no meio termo. Acrescente … essa f¢rmula a necessidade de o motor durar muito e a equa‡Æo final ‚ que o bom motor precisa render o esperado para sua categoria, ser econ“mico e dur vel.

No momento em que uma destas 3 vari veis se alteram, as outras duas tamb‚m mudarÆo. Se ganhar mais desempenho, consumo e durabilidade serÆo fatalmente afetados para pior. Se aumentar muito a durabilidade, o desempenho ter  de ser prejudicado. E para ficar mais econ“mica o desempenho tamb‚m ter  de ser sacrificado.

Foto: Motor com 11% mais potˆncia

Foto: Motor com 11% mais potˆncia

No entanto, alguns preparadores conseguem descobrir f¢rmulas de melhorar alguns desses parƒmetros, sem interferir (muito) nos outros. Um motor pode ser “otimizado” (odeio essa expressÆo!) em propor‡Æo menor, apenas para ganhar um comportamento levemente melhor, sem prejudicar demais consumo e durabilidade.
Foi isso que os preparadores Alexandre Nodario, da Dablio e Paulo Bonfim, propäem nesse kit de 290cc para a Yamaha Fazer. A primeira providˆncia foi levar uma Fazer original e uma com o kit para testar no dinam“metro.

Todo mundo se acotovelou na tela do computador, ligado ao dinam“metro. Enquanto o preparador Alexandre Nodario acelerava a Yamaha YS Fazer at‚ cortar a inje‡Æo aos 9.400 rpm (aferidos), os olhares iam para o ponteiro do dinam“metro. O primeiro n£mero aparece: 23,48 cv a 6.900 rpm! Esta Fazer passou por uma cirurgia que alterou sua cilindrada para 289 cc e tamb‚m mudou a calibragem da inje‡Æo eletr“nica. Com isso conseguiu ter 11% a mais de potˆncia e torque, com um aumento de cilindrada de 16,5%.

Os respons veis pela transforma‡Æo foram dois preparadores da Corremotors, de SÆo Paulo (SP), com muitos anos de experiˆncia na prepara‡Æo de motores. Com a chegada da Fazer eles logo come‡aram a trabalhar.

O primeiro passo foi desenvolver um pistÆo mais largo, com seu diƒmetro passando de 74 para 79,5 mm. Esse pistÆo ‚ fabricado pela Corremotor e pelo teste pr tico nÆo representou aumento nas vibra‡äes do motor. A parte inferior do motor (onde est  o virabrequim) nÆo foi alterada e o curso do pistÆo continuou nos 58 mm. Al‚m disso, permanece a taxa de compressÆo original (9,8:1), explica Paulinho Bonfim, assim como todo o restante do motor. Ou quase original, porque a inje‡Æo de combust¡vel foi alterada. Partindo da regulagem padrÆo, Alex aumentou “trˆs pontos” a inje‡Æo de combust¡vel.  como se aumentasse o giclˆ do velho carburador.

Como a cilindrada do motor foi aumentada, essa altera‡Æo ‚ necess ria para que mistura nÆo fique pobre: pouco combust¡vel e muito ar. O problema da mistura pobre est  exatamente no superaquecimento do motor . Com mistura excessivamente pobre, qualquer motor tem o risco ter o pistÆo furado.

Outros equipamentos ficaram originais, inclusive escapamento e filtro de ar. Segundo Paulinho, “com um filtro mais esportivo e um escape mais livre, essa potˆncia poderia aumentar at‚ 20%”. J  pensou? Uma Fazer com 25,2 cv!

Um dia no dinam“metro revela dados bem curiosos. Primeiro colocamos a Fazer original e j  tivemos uma surpresa. A Yamaha declara 21 cv a 7.500 rpm, mas a nossa Fazer revelou 21,4 cv a 7.000 rpm (o conta-giros foi aferido). J  o torque original declarado ‚ de 2,1 kgf.m a 6.500 rpm, mas no dinam“metro, a Fazer original revelou 2,25 kgf.m a 6.500 rpm. Isso revelou um dado interessante sobre a Yamaha: a empresa divulga a potˆncia usando o dinam“metro de roleta como referˆncia. A Fazer 290 chegou a 2,57 kgf.m a 6.000 rpm. Ganhar 0,27 kgf.m de torque pode parecer pouco, mas note que a rota‡Æo do motor caiu 500 rpm e isso significa um motor que empurra mais cedo, melhorando retomadas de velocidade sem troca de marchas.

Depois do dinam“metro, chegou a hora do teste dinƒmico. Se a Fazer j  tem uma retomada de velocidade muito boa – inclusive em fun‡Æo da inje‡Æo eletr“nica – com um pouco mais de torque aparecendo 500 rpm antes, as respostas foram imediatas. Na retomada, a moto original precisou 5,9 segundos para recuperar de 40 a 60 km/h, em quinta (£ltima marcha). J  a Fazer 290 fez a mesma retomada em 4,5 segundos. Segundo Alex, existe um acr‚scimo de 10% na velocidade m xima, chegando perto dos 145 km/h, enquanto a original fica nos 135 km/h.

O melhor desse kit ‚ o uso na cidade, j  que as respostas ficaram nitidamente melhores. O comportamento ficou mais esperto, inclusive nas acelera‡äes. Comparamos com uma Fazer original e a diferen‡a ‚ muito grande!

Em um comparativo com a Twister 330, tamb‚m feita pela Alex Prepara‡äes com o kit da Corremotor, a Fazer 290 pula na frente at‚ 4¦ marcha, mas depois a Twister vai embora. Segundo os preparadores, com a segunda fase do veneno (com escape e filtro esportivos), a velocidade da Fazer 290 pode chegar a 150 km/h.

O consumo de gasolina nÆo se alterou significativamente.  a velha regra potˆncia x consumo. Se por um lado o motor preparado sugere beber maior quantidade de gasolina, por outro lado, usa-se menos curso do acelerador para rodar na mesma velocidade. Em suma,  s vezes um ganho de potˆncia reflete at‚ em menor consumo.

A melhor parte dessa prepara‡Æo ‚ manter as caracter¡sticas originais do motor.  claro que a camisa perde seu recurso de revestimento cerƒmico e torna-se de ferro fundido. Pode implicar em durabilidade menor, mas esta camisa aceita ret¡fica normalmente, ao contr rio da original. O kit 290 completo, com novo cilindro … base de troca, sai por R$ 550,00 fora a instala‡Æo. Ali s, ‚ bom lembrar que ele tamb‚m serve na Lander. Claro que a coloca‡Æo do kit em motos novas faz que perca a garantia de f brica.

 tamb‚m importante ressaltar que o motor permanece com a parte inferior original, assim como o cabe‡ote: muda apenas cilindro, mas o resto do motor permanece o mesmo.

E j  que o assunto ‚ veneno, descobri que meu velho e grande (literalmente) amigo Renato Gaeta desenvolveu um kit para a Sundown Future 125. O maior problema desse scooter sempre foi a falta de desempenho, mas com o kit de 140cc o desempenho melhora cerca de 30%. Al‚m do kit de motor, Gaeta tamb‚m tem uma prepara‡Æo para a suspensÆo traseira e tamb‚m na rela‡Æo de cƒmbio para deixar o Future mais esperto. O kit custa R$ 320 instalado.

Servi‡o: Corremotor – Rua Gal. Os¢rio, 444/448 – SÆo Paulo.
Gaeta: Rua BarÆo de Campinas, 127 – SÆo Paulo -SP www.gaeta.com.br