Fevereiro é mês de inspeção técnica veicular

Mastra Escapamentos e Catalisadores ressalta a importância do uso de produtos originais para aprovação do sistema de exaustão na ITV

Como uma maneira de diminuir a poluição na cidade, o programa de Inspeção Ambiental Veicular, da Prefeitura de São Paulo passa a inspecionar, além dos veículos com motores diesel, também os veículos do Ciclo Otto (álcool, gás, gasolina e flex) fabricados a partir de 2003.

A expectativa é que cerca de 2,6 milhões de veículos sejam avaliados a partir de 1º de fevereiro de 2009. A ITV é uma necessidade imediata para melhorar a qualidade de vida do paulistano. Está prevista por lei e todos os procedimentos adotados são aqueles preconizados pelo CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) em sua resolução número 7.

Na inspeção visual o sistema de escapamento tem que estar em boas condições, sem apresentar vazamentos, assim como, a originalidade de todos os componentes é fator preponderante para aprovação nesta etapa. O catalisador também é avaliado na inspeção visual para saber se a carcaça está no local, porém é na análise de gases, com uma sonda colocada na saída do escapamento do veículo, que serão verificados os níveis de emissões de monóxido de carbono e hidrocarbonetos, para saber se o catalisador está operante ou não. O catalisador é uma peça obrigatória no sistema de exaustão dos veículos desde 1997, responsável por converter mais de 95% dos gases tóxicos gerados durante a combustão.

Também será verificado o nível de ruído no sistema de exaustão, causados pela alteração ou adaptação das peças que compõem o escapamento ou pelo desgaste, devido à corrosão na parte interna da peça. Os níveis de ruídos possuem limites definidos pelo Proconve, já que a poluição sonora é uma das formas mais graves de agressão ao homem e ao meio ambiente.

“A Mastra Escapamentos e Catalisadores está atenta as exigências da inspeção e orienta os reparadores sobre a importância da originalidade do escapamento e catalisador na aprovação do veículo”, afirma o Gerente de Engenharia e Qualidade da empresa, Valdecir Rebelatto.

Reprovação
Segundo a empresa Controlar, responsável pela inspeção veicular em São Paulo, cerca de 45% dos veículos a diesel foram reprovados desde que a avaliação começou em maio. Muitos dos veículos reprovados não passaram na inspeção visual, pois estavam com o sistema de exaustão danificado ou adaptado. O programa já inspecionou mais de 38 mil veículos, desde 2008.

Os veículos que não comparecerem à inspeção no prazo estipulado e também os que forem reprovados no teste terão o licenciamento bloqueado junto ao Detran e estão sujeitos à multa de R$ 550 se forem flagrados pela fiscalização de trânsito sem licenciamento.

Em 2009, o proprietário tem que realizar a inspeção a partir de noventa dias antes da data do seu licenciamento.

Quando trocar o catalisador
Um catalisador genuíno, que vem no veículo novo, tem durabilidade mínima de 80 mil quilômetros. Trincas, quebras, derretimento e entupimento da cerâmica também são sinais para a troca imediata, além da não conversão dos gases. Os catalisadores para o mercado de reposição têm durabilidade mínima de 40 mil quilômetros conforme regulamentação do CONAMA. A verificação deve ser feita por profissionais especializados em oficinas e centros automotivos.

Quando trocar o escapamento
O escapamento deve ser substituído quando o proprietário notar alterações no nível de ruído do veículo, caracterizado por sopros de gases, chocalhos no catalisador, som estridente, ressonâncias ao trocar marchas, entre outras. É recomendável checar o sistema de escape quando o motorista perceber que o veículo está com baixo rendimento (amarrado), ou com excesso de consumo de combustível.