Foto: Renzo (… esq.) fala sobre Alma Selvagem na All TV

Filme e livro e Editorial

Foto: Renzo (… esq.) fala sobre Alma Selvagem na All TV

Foto: Renzo (… esq.) fala sobre Alma Selvagem na All TV

Tite, s¢ hoje estou lhe escrevendo pra dizer que gostei demais do filme e ainda mais do Livro. eu trabalho numa f brica a 50 km de Eun polis e durante os 4 dias que fui lendo o livro no busÆo, no caminho pro trabalho, dei altas risadas e acho que a galera achou que eu tava ficando louco. Quanto ao filme, ¢timo, j  assisti umas 4 vezes, s¢ faltou uma “tribo” muito importante que vocˆ nÆo abordou (quem sabe vai ser o Alma Selvagem II) que foi os trilheiro, a galera que enrola o cabo no meio do mato, lama, subidÆo e afins. Mas foi muito bom e obrigado pelos autogr fos no DVD e livro. gde abra‡o.
Luciano – Eun polis, BA
Tite, escrevo para agradecer o livro e o DVD autografados! muito bacana mesmo! Minha esposa pirou!
Patric – SÆo Paulo, SP
Tite primeiramente quero te dar os parab‚ns pelo livro em um dia li 150 p ginas seguidas, muito boas as cr“nicas mesmo, mas lendo uma delas fiquei com uma d£vida cruel, vc disse que uma moto 125cc tem uma cilindrada de 125″cc”, e nÆo 125 cilindradas ‚ isso? se ‚ isso mesmo o que significa os “cc” se nÆo cilindradas? em breve estarei comprando o dvd!
Latorre – porto Alegre – RS
Tite , recebi meu livro e o DVD tambem, obrigado por ter autografado ambos, assim q sair o curso de pilotagem motos 250 a 400cc faz um an£ncio ai, quero fazer parte da primeira turma.
Murilo – uberlandia mg
Tite, muuito OBRIGADO por ter produzido o filme Alma Selvagem. Fiz maus pais assistirem umas 4 vezes e consegui convecer a deixar eu comprar uma moto! Agora meus primos querem o filme emprestado para convencer meu tio!  isso ae, o Alma Selvagem salvou nossa fam¡lia!
Armando – Salvador, BA

Foto: Livro: … venda tamb‚m na Cultura

Foto: Livro: … venda tamb‚m na Cultura

R: Agrade‡o a todos os coment rios e lembro que tanto o filme Alma Selvagem quanto o livro de cr“nicas O Mundo  Uma Roda podem ser adquiridos nas livrarias Cultura em seis endere‡os pelo Brasil, ou aqui mesmo no Motonline. Basta clicar nos banners referentes ao livro e ao filme! Na pr¢xima sexta-feira, dia 14, …s 16 horas, o diretor do filme Renzo Querzoli estar  sendo entrevistado no programa Momento Moto da All TV, no site www.alltv.com.br. Luciano, n¢s j  explicamos algumas vezes o motivo de ter deixado os trilheiros de fora: nenhuma empresa do setor se interessou em patrocinar esse cap¡tulo. Latorre, “cc” ‚ abrevia‡Æo chula de “cilindrada c£bica”, cujo s¡mbolo correto ‚ cm3. Murilo, em 2008 faremos um curso dedicado a motos at‚ 400cc.

Editorial
Caro Tite, parab‚ns pelos editoriais “Trˆs minutos para viver” I e II. Acho interessante mencionar tamb‚m uma verdadeira praga, que infesta o Rio de Janeiro, as ruas recapeadas. Nestas ruas, camadas e mais camadas de asfalto se sobrepäem afundando as tampas dos bueiros que se transformam em verdadeiros buracos, algumas estÆo a quase um palmo de profundidade. E quando resolvem fresar a rua antes de recapear o fazem sem qualquer aviso, alerta ou placa indicadora de obras na pista. Para os carros, tudo bem, mas para as motos pode terminar em chÆo, principalmente a noite. Quase levei um tombo na linha vermelha por causa da pista fresada. Total falta de respeito.
Charles – Rio de Janeiro, RJ
Tite, sobre os trˆs minutos, fica uma pergunta no ar, por-que os nossos jovem agem assim, educa‡Æo, mas frequentaram uma auto escola, ser  que talvez, mudar as mat‚rias dessas auto escola poderia ajudar a resolver. Penso eu que na verdade ‚ uma questÆo de saber onde quer chegar, qual meu objetivo e futuro. Pois o que se vˆ em Londrina nÆo ‚ diferente das grandes cidades, desrespeito as regras e leis e ao pr¢prio individuao mesmo. Quem sabe quando n¢s j  tivermos aposentado nossas motos eles irÆo aprender a respeitar e ser respeitados. Quanto as faixas e outras,   nÆo viu nada, aqui no Paran  eles riscaram os asfaltos nas estradas para evitar que os carros e caminhäes derrapem nas curvas, mas esqueceram da motos. Tem que entrar devagar, se nÆo, chÆo, sem falar que os nossos ilustres Engenheiros fazem as curvas com o angulo diferente, jogando qualquer ve¡culo fora dela.
LUIZ – LONDRINA, Pr
Mestre. Quero ser mais um a parabeniz -lo pela excelente mat‚ria “3 minutos para morrer”.  por coisas assim que fico cada vez mais seu fÆ, cada vez mais fÆ de moto e cada vez mais seguro, pois reflito sobre minhas atitudes, que as vezes insiste em ganhar uns segundinhos em detrimento da minha vida. Esquece esse papo de gravidade. Isso deve ser legal de discutir depois de uns 2 ou 3 cigarrinhos, daqueles que a gente mesmo faz.
Gerson – SÆo Jos‚ de Ribamar, MA
Geraldo, meu nome ‚ Ivan, tamb‚m conhecido aqui por Ivan RJ, e no Pequenas Not veis, no qual sou Moderador pelo mesmo nick. Sou motociclista a 37 anos, e acompanho suas mat‚rias desde os anos 80. Queria te parabenizar, sei que ‚ muit¡ssimo pouco, pela cr“nica “Trˆs Minutos Para Viver”. Perfeita e irretoc vel. Est  ‚ a primeira vez que escrevo para vocˆs. Um grande abra‡o a vocˆ e continue na luta pela seguran‡a no transito, esta, tamb‚m ‚ minha bandeira.
Ivan – Rio de Janeiro – RJ
Caro GTS pqp!sem medo de errar seu texto “3 min p viver” ‚ sem duvida o melhor raio x que j  li sobre a materia. Meus parabens! Se me permite acrescentar algo, na minha opniniÆo quanto as inumeras armadilhas ,a que estamos sujeitos, faltou uma mensÆo honrosa as “ca‡ambas de entulho”, que com certeza vc e muitos dos nossos amigos motonliners j  tiveram o desprazer de ve-las repousando tranquilamente nas mais variadas avenidas e ruas,independente de permissÆo para estacionar, n¢s os “responsaveis pelo transito, polui‡Æo, ruidos, buraco na camada de ozonio, etc “temos que por bom senso ou obriga‡Æo legal usarmos refletivos at‚ debaixo da l¡ngua mas o “genio” que legisla e controla as ca‡ambas nunca se deparou com uma numa rua escura a noite com chuva e teve que se virar nos trinta pra nÆo passar a integrar o entulho que jazia dentro daquela armadilha. Eu imagino que se vc fosse descrever todos os riscos potenciais a que somos submetidos, seu texto se tornaria mais um livro,mas encare minha singela observa‡Æo como um aviso aos motonliners menos experientes que estÆo com sua primeira moto, e muitas vezes passam despercebidos por situa‡äes de alto risco.
mauricio – sao paulo sp
A mat‚ria sobre os 3 minutos foi uma das mais bonitas que li na imprensa como um todo. Parab‚ns. D  pra ver o quanto tocou os usu rios. Sei que a luta por patroc¡nio, publicidade etc ‚ dif¡cil, mas creio que a rea‡Æo das pessoas, pelo menos, deve ser um tanto recompensadora. Gostaria de fazer um pedido: poderiam falar sobre os dados t‚cnicos das motos de competi‡Æo das principais categorias nacionais? Comparar com as de s‚rie, comparar os tempos por volta das categorias etc? Pesquisei e nÆo encontrei nada do tipo. Ex: no que uma Hornet ou uma 250cc de competi‡Æo difere das de rua.
Hugo – Rio de Janeiro, RJ

R: Agrade‡o os elogios e s¢ lamento que os jurados do prˆmio Abraciclo nÆo concordem com a qualidade desse texto! Hugo, sua sugestÆo ‚ boa, vamos analisar.