Final do Mundial de Motocross promete ser uma das mais emocionantes dos últimos anos

A Grande Final do Campeonato Mundial de Motocross promete ser uma das mais acirradas dos últimos tempos.

A chuva cancelou os treinos deste sábado (12.09) e deixou a disputa ainda mais equilibrada para a decisão da categoria MX2, que acontece neste domingo.

Agora, os pilotos terão menos tempo para conhecer o traçado da pista de Canelinha e terão que provar toda a sua técnica e habilidade não só nos saltos e curvas, mas também na capacidade de se adaptar a um circuito com pouco tempo de treino.

O português Rui Gonçalves e o francês Marvin Musquin duelam pelo título, na MX2. E o primeiro parece ter a preferência do público brasileiro. “Falo a mesma língua do povo brasileiro e, aqui, sinto como se tivesse correndo na minha segunda casa. O povo é muito acolhedor e sei que estão torcendo muito por mim” afirmou em entrevista coletiva realizada hoje no motódromo Arthur Jachowicz.

Os treinos não foram realizados para preservar a pista para a Grande Final pois, de acordo com o regulamento, depois que iniciam os treinos a pista não pode mais ser tocada. -Hoje poderiam acontecer treinos, mas a direção de prova optou por não deixar as motos entrarem na pista para preservar o circuito. Amanhã, com chuva ou com sol, a prova irá levantar as arquibancadas-, afirmou Rafael Rocha, gerente do Grupo Lance!

O francês Marvin Musquin, atual líder da competição e favorito ao título, prometeu um belíssimo show para o público catarinense amanhã. -A pista estava super linda e foi uma pena a chuva hoje ter impedido os treinamentos. Amanhã, a prova promete ser excelente e espero sair do Brasil com o meu primeiro título da campeão mundial-, explicou.

Já o português Rui Gonçalves, que tem uma desvantagem de 20 pontos, explicou que não adotará nenhuma estratégia especial para a prova. -Vou apenas fazer o meu melhor e tentar vencer a corrida. As contas eu deixo para depois da prova-, explicou.

Os brasileiros Jorge Balbi e Wellington Garcia, que não participaram de nenhuma outra etapa do mundial, pretendem utilizar a prova como preparação para o Mundial das Nações, que acontece daqui há 15 dias.

-No Brasil não temos muitas pistas de nível internacional e poder participar de uma prova deste nível aqui será muito importante não só para mim como também para o Leandro Silva, que também integrará nossa seleção-, celebrou Wellington.

Mais acostumado com as pistas estrangeiras, Balbi também comemorou a oportunidade. -Conversei com alguns pilotos italianos e parece que a pista daqui é bem parecida com a que vai receber o Nações. Isso com certeza será um grande preparativo para nós-.

Sobre a vantagem que geralmente tem contra os outros pilotos por adorar correr na chuva, Balbi foi diplomático. -Contra os europeus não tenho nenhuma vantagem, pois eles correm na chuva todo fim de semana-, comentou.

Se a chuva permanecer, o Mundial será encerrado exatamente da mesma forma como começou. A primeira etapa da competição, realizada em Faenza, na Itália, também aconteceu debaixo de muita chuva e foi uma das mais emocionantes da temporada.

O Honda GP Brasil de Motocross é realizado pelo Grupo Lance! e Youthstream, patrocinado pela Honda e tem o apoio do Governo de Santa Catarina através do Fundesporte da Secretaria de Turismo, Cultura e Esporte. A supervisão é da Federação Internacional de Motociclismo, Confederação Brasileira de Motociclismo e Federação Catarinense de Motociclismo.

Confira a programação completa de amanhã:
Treino livre MX2 – 9:00 às 9:10
Corrida classificatória MX2 – 9:10 às 9:30
Treino de largada logo após o treino classificatório
Treino livre MX1 – 10:30 às 10:40
Corrida classificatória MX2 – 10:40 às 11:00
Treino de largada logo após o treino classificatório

MX2 Grand Prix – 1ª bateria – 12:10
MX1 Grand Prix – 1ª bateria – 13:10
MX2 Grand Prix – 2 ª bateria – 15:03
MX1 Grand Prix – 2ª bateria – 16:03