A gigante francesa Michelin compra a Levorin

Francesa Michelin compra a brasileira Levorin

Dando provas do seu real interesse em estabelecer-se com mais força no mercado brasileiro, a gigante francesa Michelin anunciou nesta semana, através de comunicado oficial, a compra da brasileira Levorin, dedicada à fabricação de pneus para motos e bicicletas. Para que seja concretizada oficialmente, a operação ainda depende de aprovação pelo CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

A gigante francesa Michelin compra a Levorin

Fundada em 1943, Levorin registrou em 2015 um volume de negócios de US$ 150 milhões e emprega cerca de 2.000 funcionários em suas fábricas de São Paulo e Manaus. O motivo da compra é a estratégia da empresa em consolidar sua presença no mercado brasileiro e assim reforçar o desenvolvimento mundial de sua linha de pneus para veículos de duas rodas.

Sobre a Michelin

A história de sucesso da Michelin foi resultado de uma herança e muita originalidade. Edouard e André Michelin assumiram a pequena fábrica de seu do avô e, com boas ideias aliadas a um faro aguçado para negócios, conduziram os primeiros passos da empresa que é hoje uma das líderes de mercado no quesito pneus.

A trajetória da Michelin começou com uma inovação: o primeiro pneu de bicicleta desmontável em 1891. O insight, que partiu de Edouard após a visita de um ciclista à fábrica, logo chamou a atenção do mundo – Charles Terront, único que utilizava os novos pneus Michelin, venceu a corrida Paris-Brest-Paris daquela temporada.

Após uma série de aperfeiçoamentos em seus produtos, a Michelin teve seu próximo grande marco com o lançamento do pneu radial em 1940, que revolucionou o mercado. Com tecnologia superior aos concorrentes, os pneus radiais logo mostraram um excelente desempenho. Foi um período extremamente positivo à Michelin, que consolidou a empresa e expandiu mundialmente seus negócios.

Hoje, a companhia é uma das líderes mundiais na fabricação e comercialização de pneus, com presença comercial em mais de 170 países, além de 68 unidades de produção, três centros de tecnologia e três unidades de beneficiamento de borracha. No Brasil desde 1927, conta atualmente com quatro fábricas, em duas unidades industriais e duas Usinas de Beneficiamento de Borracha Natural.

Separador_motos



Mário Sérgio Figueredo

Motociclista apaixonado por motos há 42 anos, começou a escrever sobre motos como hobby em um blog para tentar transmitir à nova geração a experiência acumulada durante esses tantos anos. Sua primeira moto foi a primeira fabricada no Brasil, a Yamaha RD 50.