FYM é condenada a ressarcir consumidora

“Comprei a moto em 10/2007, e tive vários problemas, alguns muito sérios,conforme o relatorio que vou anexar. Como ainda não fazia 90 dias da compra, fui aconselhada a entrar na justiça pra que devolvessem meu dinheiro( 7.500,00 de entrada + 24 parcelas de 140,00) e para que a moto fosse devolvida para a Germanica,que é a agencia que vende motos da FYM aqui em Campinas.Em fevereiro de 2008 entrei na justiça.É assim que eles tratam os consumidores, no começo dizem que a moto tem motor da Honda, e que o projeto foi feito por um ex-engenheiro da Honda,depois tratam a gente como bandidos.Essa loja teve três gerentes diferentes desde que eu comprei a moto, nenhum deles foi capaz de resolver o problema.O último nos tratou até com falta de educação.

Por sua Assessoria de Imprensa, a FYM responde:
“Segundo os laudos técnicos referentes à moto modelo FY250 da Sra. Regiane Cabrio Mogio, foram encontrados problemas corriqueiros de mecânica em geral, facilmente corrigidos pela equipe técnica, e problemas ocasionados por mau uso da moto, isto é, o condutor não obedeceu algumas orientações constantes no manual do proprietário que visam o adequado funcionamento do produto.
Apesar do relatado acima, a concessionária Germânica nunca se negou a prestar assistência técnica para cliente.
No entanto, o fato que causou estranheza à equipe de relacionamento da concessionária Germânica foi que, após finalização do último atendimento prestado (a consumidora deixou a moto na concessionária em 28/01/2008, conforme próprio relato da mesma abaixo), a cliente se negou a retirar a motocicleta da concessionária e começou a ignorar toda e qualquer tentativa de contato por parte da Concessionária Germânica.
A FYM Motos do Brasil tem como filosofia o máximo respeito aos direitos dos consumidores. Colocamo-nos a inteira disposição para resolver prontamente o caso da motocicleta da Sra. Regiane Cabrio Mogio, e prosseguir com a missão de comercializar produtos de qualidade e trazer total satisfação à nossa cliente.
Atenciosamente,
FYM Motos do Brasil Ltda.”

A leitora indignada com situação vexatória imposta pela FYM, ajuizou ação de ressarcimento, que fora julgada parcialmente procedente. No processo, foi pedido, além do ressarcimento do que pagou pela motocicleta, indenização por danos morais que foi negado pelo Juiz. O importante nesta decisão, foi a aplicação do Código de Defesa do Consumidor, onde a montadora terá que devolver o que foi pago pela famigerada motocicleta. Segue tópico final da sentença judicial de primeiro grau: Sentença nº 4745/2008 registrada em 23/10/2008 no livro nº 76 às Fls. 210/218: (…) Diante do exposto JULGO PARCIALMENTE PROCEDENTES os pedidos formulados por VALDEMAIR MOGIO para o fim de rescindir o contrato havido entre o autor e primeira ré, condenando COMERCIAL GERMÂNICA LTDA. e NOVA TRADE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. ao pagamento da quantia de R$ 8.567,40 (oito mil quinhentos e sessenta e sete reais e quarenta centavos), devidamente corrigida, desde os desembolsos, e acrescida de juros de mora de 1% ao mês a partir da citação. Deixo de condenar as vencidas nas verbas de suculência em razão do disposto no art. 55 da Lei 9099/95. P.R.I. e C. Campinas, 29 de setembro de 08. ELIANE DA CAMARA LEITE FERREIRA Juíza de Direito.”

Infelizmente, a resposta da FYM é contraditória, todavia, se realmente respeitasse os diretos do consumidor, não teria sofrido condenação judicial, onde minha experiência não vislumbra qualquer possibilidade de reforma pelo Colégio Recursal, dado a excelente decisão: concisa e exemplar.
Diante de tudo isso, é salutar uma reflexão quando o amigo leitor decidir por comprar uma motocicleta. Não existe bonitinho, bom e barato. O barato,sai muito caro. Exija qualidade. Antes de comprar, faça uma vasta pesquisa na internet usando ferramentas como Motonline e Google. Dinheiro se ganha outro, mas o sofrimento moral é irreparável.

O canal continua aberto a Germanica para manifestação.