Foto: Clement Desalle, piloto Honda no Mundial de Motocross

GP da Alemanha promete esquentar disputa no Mundial de Motocross

Foto: Clement Desalle, piloto Honda no Mundial de Motocross

Foto: Clement Desalle, piloto Honda no Mundial de Motocross

Competição chega à nona etapa neste final de semana com provas das categorias MX1 e MX2

O Grande Prêmio da Alemanha, neste final de semana (20 e 21), promete esquentar a disputa do Mundial de Motocross. Vários pilotos têm grandes chances de vencer e outros a possibilidade de retornar à forma. Esta será a nona etapa da competição. O italiano Antonio Cairoli sabe como triunfar neste circuito. Em 2007, o atual líder da MX1 subiu ao lugar mais alto do pódio na categoria MX2 e quer repetir o feito. Marvin Musquin, primeiro colocado da MX2, busca a sétima vitória da temporada e a terceira consecutiva.

MX1 – Além do líder Cairoli, Max Nagl, vencedor da última etapa, em Erneé, na França, está confiante. Ele ocupa o terceiro lugar no campeonato, atrás do italiano e de David Philippaerts. O piloto Honda Clement Desalle, quinto colocado também planeja sub ir ao pódio e melhorar sua classificação.

O veterano Mickael Pichon, da equipe Martin Honda, vai em busca de um bom resultado em sua despedida do campeonato. Ele ocupou o lugar de dois pilotos da equipe, Marc de Reuver e Kevin Strijbos que tem previsão de retorno em breve. Reuver, que sofreu fratura em duas vértebras e passou por uma cirurgia no quadril em maio, já sente melhoras. O piloto já pode caminhar sem ajuda e espera voltar às pistas rapidamente. Um outro check-up em três semanas dará uma melhor posição sobre a data do retorno. Já o companheiro de equipe, Kevin Strijbos, que também está fora com uma lesão no pulso tem a volta marcada para o dia 2 de agosto na Bélgica.

MX2 – O francês Marvin Musquin tenta a terceira vitória consecutiva no campeonato. Ele soma 284 pontos na competição. Logo atrás, segue o conterrâneo Gau tier Paulin com 34 pontos a menos. Em terceiro lugar no campeonato, com 235 pontos, David Guarneri é pressionado pelo português Rui Gonçalves, com apenas 13 pontos de diferença.

Classificação após sete etapas:
MX1
1 – Antonio Cairoli – Itália
2 – David Philippaerts – Itália
3 – Maximilian Nagl – Alemanha
4 – Joshua Coppins – Nova Zelândia
5 – Clement Desalle – Bélgica
6 – Ken de Dycker – Bélgica
7 – Tanel Leok – Estônia
8 – Jonathan Barragan – Espanha
9 – G. Swanepoel – Rússia
10 – Aigar Leok – Estônia
12 – Billy Mackenzie
14 – Kevin Strijbos – Bélgica
17 – Mickael Pichon – França
21 – Marc de Reuver – Holanda

MX2
1 – Marvin Musquin – França
2 – Gautier Paulin – França
3 – Davide Guarneri – Itália
4 – Rui Gonçalves – Portugal
5 – Steven Frossard – França
6 – Xavier Boog – França
7 – Nicolas Aubin – França
8 – Manuel Monni – Itália
9 – J. van Horebeek – Bélgica
10 – Ken Roczen – Alemanha

Calendário
29/03 – Faenza, Itália
05/04 – Sevlievo, Bulgária
12/04 – Istambul, Turquia
26/04 – Valkenswarrd, Benelux
10/05 – Águeda, Portugal
17/05 – Belppuig, Catalunha
31/05 – Mallory Park, Inglaterra
07/06 – Ernee, França
21/06 – Teutschenthal, Alemanha
28/06 – Kegums, Letônia
05/07 – Uddevalla, Suécia
02/0 8 – Lommel, Bélgica
09/08 – Loket, República Tcheca
30/08 – Lierop, Holanda
13/09 – Canelinha, Brasil